Total Pageviews

Thursday, January 18, 2018

Apenas um relato solto de um dia ordinário






Mais uma visita à Ortodontista (e vocês nem imaginam o tanto que estes dentes já se movimentaram), que termina comigo nervosa, sempre saio de lá mais mexida do que entrei, mesmo que em teoria, ontem tenha sido quase indolor.

Descobri as maravilhas do Buscopan em gotas somente aos 33 anos de idade, honestamente, não sei como fazia antes. Decido tomar algumas, porque nosso cinema era logo, e eu ainda me sentia com o abdome distendido, desconfortável. Fecho meus olhos, que ardem, decido tirar as lentes também. 

No quarto geladinho, o cãozinho ressona e de vez em quando bufa. Sim, meu cachorro tem 14 anos de idade e gosta de reclamar, então volta e meia, ele solta um FFFFFFFF, muito ostensivo.

Em cima da cama, procuro uma posição cômoda, administrando dois travesseiros, e duas pessoas: a minha, e a dele, que está sempre por perto. Sempre quer estar mais perto, por mais que já esteja perto. 

Conversamos cumplicemente, no escuro, coisas nossas - nossos dias, nossos planos, e reviramos nossa história desde o princípio. As partes que mais gostamos, as partes que divergimos (como o dia em que ele me pediu em namoro, eu perguntei o que mudava, e ele retirou o pedido) sobre o que realmente aconteceu.

Falamos também de futuro, e das coisas que queremos para nós, das que não queremos, e de como gostamos de estar ali, vivendo nossa vida e fazendo as nossas coisas. 

Não há presente maior que o presente, quando bem aproveitado. E ontem, fazendo contas, percebemos que fazia um ano que eu havia me declarado a ele. Tinham só algumas semanas de convívio, nenhuma perspectiva de futuro (ele tinha uma passagem só de ida marcada para 25/01/2017), e eu estava irremediavelmente apaixonada.

Ele voltou. E ainda está aqui. 

E ao voltar, trouxe consigo o meu mixer do coração


Teve que comer meu creme de chuchu (e admitir que é bom), arrumar meu quarto, passear o cãozinho, instalar minha bancada de especiarias (finalmente tenho uma!), e até aprendeu a fazer jejum intermitente (nunca ofereci, mas ele gostou). Me deu flores amarelas de aniversário (amarelo é minha cor predileta). 

Não há nenhum dia, desde que ele chegou, em que eu não me sinta sortuda.

Mas como diz um amigo meu, importante saber quem é quem na relação, hahaha: do casal, o bonito é ele, sem sombra de dúvidas!

2 comments:

Nanda Silva said...

Que demais esta postagem !!! Tão bom quando nos sentimos bem ao lado de alguém, nos completa de uma forma que nem sabemos explicar. Tenho vivido assim nos últimos meses, feliz ao lado de uma pessoa que me quer bem, me faz bem e juntos aos poucos vamos traçando planos e realizando cada um deles! Fico feliz por você e que esta felicidade, cumplicidade perdure em suas vidas :) Bj

Caroline Moral said...

Que essa felicidade seja rotina. e vc ta gatissima !

Blog Archive