Total Pageviews

Tuesday, November 14, 2017

Um ano de musculação

Há cerca de um ano atrás eu comecei a levar a prática de musculação realmente a sério. Antes disso, vinha esporadicamente praticando treinamento funcional, HIIT, crossfit (nas férias) e alguma coisa de aeróbio.
Foi um processo que aconteceu de forma natural, eu fui sentindo vontade e necessidade de me exercitar, e quando vi que a vontade não estava passando me dei a chance e resolvi investir num plano semestral na mesma academia que anos antes já havia tentado e bem pouco praticado.
Primeiro, fiz aquele treino de adaptação, bem simples, e no início já sentia bastante dores, e comentei com o instrutor que eu queria “ficar forte”, coisa que sei que a maioria das meninas não diz. Então ele se animou e me ensinou todos os exercícios.
Passado este tempo, me prescreveu um treino para hipertrofia, dividido em ABC, que eu já decorei e está na hora de mudar. Faço na sua maioria, mas ultimamente, por conta própria, eu mudei a divisão dos grupamentos musculares para ficar mais adequado entre treino e descanso (basicamente inferiores e superiores, mas às vezes ainda divido o inferiores de modos que frito as coxas em dias diferentes que frito a bunda).
Pego o mais pesado que consigo, mantendo a execução correta e a amplitude dos movimentos. Uso como medida-guia a ideia de não contar as repetições, apenas executar as séries até a falha, numa média de 8-12 (nas primeiras sempre faço mais). Também gosto de diminuir a carga e “terminar” o músculo, não ultrapassando as 15 repetições.
Evito exercícios que considero isolados demais, como cadeira adutora e abdutora, quatro apoios e outras perfumarias. Foco principalmente no afundo, legpress e cadeira extensora (para inferiores) e faço TODOS os de superiores com bastante empenho, mas dando especial ênfase (atualmente) nas flexões. Quero fazer o máximo de flexões possível, e também estou tentando desenvolver a habilidade de fazer barra fixa. Mas isso ainda está devagar. Abdominais, só prancha, quatro repetições pelo maior tempo possível e jamais as laterais (porque a gente vai “comendo” a cintura e ficando quadrada).
Essas medidas acima, tomo por conta própria, sem que o instrutor me falasse. Descanso sempre entre os treinos, no mínimo um dia, raramente faço cardio (isso é um ponto de melhoria, inclusive, que preciso avançar).
Mas ao final desse um ano de treino, tendo tido um mês de férias, garantindo basicamente três idas por semana na musculação, muitas vezes furando, com uma alimentação bem básica, sem muita preocupação e alguns consideráveis furos e besteiras, dormindo muito bem, o resultado que alcancei é bem interessante.
Além de uma melhora considerável na composição corporal, com diminuição de números, percentuais de gordura e massa magra, notei esteticamente (de uns tempos pra cá com muito maior nitidez) que estou com uma definição muscular muito aparente nas pernas e razoavelmente aparente nos braços e no deltoide (o ponto em que a saboneteira afunda).
Em cerca de 30min resolvo todo o treino do dia, e me sinto muito bem psicologicamente, principalmente depois de um bom treino de inferiores, que exige mais principalmente da “ciática”, que nunca mais doeu.
Quero agora evoluir em outros quesitos, de performance, coordenação motora, força e também usufruir um pouco mais da parte lúdica da academia, experimentar uma aula de zumba de repente. Vamos ver.
O mais fascinante deste processo é que como eu não tive pressa, nem pressão, um belo dia fui me olhar no espelho para me arrumar e reparei nos musculinhos aparecendo nos braços! Se a gente fica mês após mês procurando cadê o resultado, tende a se frustrar, mas assim, sem compromisso, quando finalmente a pessoa bota reparo, a surpresa é grande. E mesmo que devagar, o resultado é real!


Monday, November 06, 2017

Uma movie person em formação

Eu não sou uma pessoa com bom ritmo para assistir filmes, isso é um fato real e antigo - embora tenha um ótimo ritmo para leitura, especialmente literatura.
Então, recentemente, me ocorreu que poderia pacientemente me acostumar com o hábito de assistir filmes da mesma forma que um dia me acostumei com leitura: lendo primeiro as coisas mais fáceis e agradáveis (tive uma infância inteira de gibis e literatura infanto-juvenil, passando por uma adolescência de revistas adolescentes e literatura água com açúcar), depois aprendendo o que mais me agradava e por fim me desafiando a tudo que achava que "devia" ler.
Assim, decidi que eu deveria primeiro me acostumar a assistir filmes em primeiro lugar. Se forem blockbusters, comédias românticas ou o que for, tanto faz (particularmente detesto comédias românticas, que considero uma verdadeira epidemia mundial, mas aprecio grandemente o gênero de documentários e filminhos que envolvem comida, e o Netflix super me ajuda nisso, tem vários).
Então, embora eu tenha listas e mais listas de filmes que são importantes, que considero que "devo" assistir, também estou gradativamente me habituando a assistir filmes, sejam eles grandes obras ou não. Fixei na parede de casa duas listas: uma com essas super obras, e outra com filmes disponíveis no Netflix e de qualidade (técnica e artística) duvidosa. 
Queria ver mais filmes no youtube, mas acho que eles vêm sempre dublados, ao menos os links que encontrei, e apesar de tudo, meu grau de desapego não é tão grande. Eu ainda me importo um pouco, a ponto de poder ver filmes de qualidade medíocre, mas com os áudios originais.
Aceito e preciso de indicações!

Blog Archive