Total Pageviews

Wednesday, August 16, 2017

O potencial de um peito de frango

Print do meu instagram - esse é o dia seguinte, por isso o contraste entre o interior tão branquinho e a casquinha bem escura :)


O frango é uma carne que acho bastante sem graça, com especial destaque ao peito, seco, sem gosto e de textura estranha. Também acho que peguei bode de tanto ouvir falar que são cheios de hormônios e antibióticos.
Procuro comer mais as sobrecoxas, e normalmente lá para casa uso orgânicos. Dei uma chance da última vez a estes teoricamente melhores, da Sadia, que anunciam ser sem antibióticos.
Acho que não é completamente seguro, mas me parece um avanço interessante. E em dias de crise, inflação e outras reflexões, quero ir testando formas mais baratas de me alimentar o melhor possível. Com o tanto de frango que tenho comido, não seria viável comer só orgânico.

Minha marinada: suco e raspas de laranja, gengibre, lemon pepper, sal

Na minha viagem de férias, comi o peito de frango de formas gostosas que o deixava suculento, e voltei para casa querendo aplicar isso mais. A vantagem dessa carne é justamente ser uma base neutra que pode absorver sem brigar com outros temperos, então, porque não aproveitar isso, certo?

Este aí me veio a inspiração assistindo a Lara Nesteruk no snapchat (que eu também uso, caso alguém queira assistir: meu usuário é @thaismacadamia, igual meu instagram): ela fez o dela com limão e alecrim, eu fiz o meu com laranja e raspas de gengibre. No entanto, cometi um erro ao colocar o suco cedo demais na frigideira, pois com o seu açúcar natural da fruta, ele caramelizou e queimou um pouquinho (o caldo, não o frango).

Fiz uma marinada com o suco e raspas de uma laranja, gengibre ralado, lemon pepper e sal. Fritei por cerca de 6-7min com uma frigideira tapada, depois virei e fiz a mesma coisa. Como os peitos eram mais altinhos, foi o suficiente para deixá-los bem cozidos, porém macios no centro. 

No dia seguinte, para requentar, dourei uma cebola roxa na manteiga, adicionei o frango e o caldo com um golinho a mais de água, e ao final dos mesmos 6-7min (não virei, pois já estava cozido e só queria aquecer), adicionei uma colherada de requeijão para engrossar o molho. Ficou DELÍCIAS CREMOSAS, e ouso dizer, quase melhor que a noite anterior!

Ainda tenho vários outros planos para o frango: besuntar de páprica para vê-los vermelhinhos, minha mãe também deu a dica de usar o alho em pasta e deixar aquilo tostar, vou fazer o de limão com alecrim, e também pensei em "empanar" no ovo com gergelim. Enfim, ideias não faltam. Todo poder ao frango!

Tuesday, August 08, 2017

Um coração diminuído por uma arcada dentária

Então meu cãozinho iniciou a ficar banguela. De velho.













Suspiros.


Levei um tempo para perceber, talvez quando perdeu um ou dois, mas agora, quando ele boceja, é impossível não perceber que os de trás (e mesmo as laterais) da boquinha estão quase todos perdidos. Continua com os centro-avantes todos lá, no entanto.
Ele ainda mastiga a ração, mas agora já precisa se ajustar para fazer isso, e come mais devagar. Come cenouras sozinho, ainda. Segundo o veterinário, ele engole os próprios dentinhos, e quando ficar quase sem nenhum, deverei molhar a ração, ou mesmo dar apenas comida de verdade. Projeto esse que sempre adiei, pois viajo demais, e embora eu não me importe em cozinhar para ele, sempre tive receio de não encontrar outra pessoa que possa fazer isso por mim(ele). 
Gradativamente, no entanto, estou mesclando a alimentação dele com carne moída (cozida, ainda não tenho coragem de dar carne crua). Quero ele bem alimentado, feliz e saudável como sempre foi. Gradativamente, estamos nos preparando para o inverno da vida dele que é agora, e me sinto grata por ter a oportunidade de cuidá-lo após tantos anos - reconheço que, mais de 10 anos atrás, quando ele nasceu, eu era bem menos cuidadosa.
Aceito quaisquer dicas e/ou sugestões para inserir a alimentação de comida de verdade no cãozinho.


Ele assim, de gravatinha para trás e roupinha de agasalho, me lembra um pouco o Pequeno Príncipe nas suas poses contemplativas





Thursday, August 03, 2017

Paçoca de colher "fit"



Há um bom tempo eu venho alimentando mais o meu instagram (@thaismacadamia) do que esse blogue, por motivos de: ninguém mais me lê aqui, e eu gosto mais de escrever lá. Mas recentemente tomei para mim o desafio de exercitar minha escrita, não para longos textos, mas pelo menos, para não tão curtos quanto o daquele aplicativo com quem tenho dúbios sentimentos.

Essa farofinha aconteceu meio inadvertidamente: a intenção era fazer uns cookies proteicos (os quais, aliás, já postei a receita neste link), só que no meio do caminho, exatamente quanto juntei a proteína com a pasta de amendoim, encontrei essa gostosa farofa úmida, que me remeteu a algo como paçoca de colher. Hum...interessante.

Deixei como estava e aí encontrei essa forma de usar, mais preguiçosa ainda:

Apenas misture 1 scoop de proteína sabor chocolate com 2 colheres de sopa de pasta de amendoim. Parece que não vai rolar, mas acontece que vai: use um garfo, e pacientemente veja a mágica da umidade da pasta de amendoim absorvendo o pó da sua proteína.

POSSÍVEIS VARIAÇÕES: troque a proteína por cacau em pó e um pouco de açúcar (ou adoçante). Ou se economize e tente chocolate em pó. Como eu gosto de sal com amendoim doce, adicionei por minha própria conta e risco umas castanhas de caju salgadas. Considero um sucesso.

Balanço do primeiro semestre e as perspectivas para o segundo

Gosto sempre de dar o fôlego maior no primeiro semestre para aquilo que exige dedicação intelectual e concentração, e no segundo, vou só nadando com o impulso que já dei. Fiz essa escolha baseada na sazonalidade do meu trabalho (entre outras coisas, a repartição e eu entramos em greve geralmente em meados de setembro - depois da tempestade é tempo sempre de repor horas ou mesmo atividades perdidas).
No primeiro semestre, eu corajosamente encarei o primeiro período da graduação em Nutrição, que foi extremamente gratificante e difícil certas horas. Tinha um processo eleitoral (concorremos novamente à direção do sindicato, ganhamos, mas foram quase 2 meses de campanha e outra greve), fora o trabalho, a casa, o cãozinho e os treinos. De abril em diante, meu boy magya volta de NY e por cima de todas as obrigações, a felicidade e o volume de tempo que obviamente, ele ia acabar me tomando.
No final deu tudo certo; mas agora, passado o turbilhão e recém tendo voltado das férias, estou tentando estabelecer uma rotina, com mais espaços de tempo livres e poder dar mais qualidade nas minhas atividades. Ainda não me decidi entre o trancamento total ou parcial da graduação, mas o fato é que todas as noites estar envolvida com isso, pesou demais no meu descanso, que é uma prioridade.
Alguns planos já estão feitos: inscrita numa prova de corrida (5km) no dia 19/09, o que já me deixa com pouco tempo de preparação, um processo seletivo diferente dos que me submeti recentemente (mais ao final do ano), alguns cursos e materiais diferentes de minha área que quero explorar - para expandir meus conhecimentos e habilidades, mas também para não colocar todos os ovos da vida numa mesma cesta, em tempos mais incertos. 
Exercitar a escrita é uma das coisas que quero retomar; por isso, tenho a ideia de resgatar esse blogue mais para o cotidiano, e não ser tão eventual nosso relacionamento. 
Baseada no texto desse link, já fiz a minha revisão semestral das áreas de foco (no pessoal) e hoje quero me dedicar ao profissional. Pelo alto grau de pessoalidade, não compartilho completamente o esquema, mas recomendo todo mundo a fazer, porque dá uma noção muito boa das nossas prioridades, e se o que queremos fazer é o que estamos fazendo (ou nos encaminhando para lá).


Meu rascunho das áreas de foco da vida pessoal


Blog Archive