Total Pageviews

Monday, June 06, 2016

O calendário de advento e as feiras de Natal na Europa


Feirinha de Budapeste - se ampliarem a imagem verão as decorações nas árvores com maior nitidez

Eu já escrevi muitas vezes sobre como odeio as datas oficiais e o Natal acho uma das piores. As razões são várias, mas parte era certamente o fato de que sou muito suscetível ao calor e não gosto nada de comer a ceia típica em finais de dezembro. 
Kosice dia 25/12/2016 - concorda que enfeitar de vermelho e doirado ajuda?
Daí o mundo deu voltas, eu dei um pouco de voltas pelo mundo e finalmente estava em dezembro no continente europeu pronta para passar o Natal.
E chegando lá não pude deixar de ser tocada pela famosa "magia do Natal", pois absolutamente todas as cidades por onde passei estavam decoradas e tinham uma feira de Natal. 

Feirinha em Viena pela manhã, as criança tudo correno e as professora organizando o babado (mentira, estavam bem lindas esperando para comer um pão doce)

Basicamente, é um monte de barraquinhas vendendo artigos de decoração natalina, biscoitos, doces, vinho quente (bem parecido com o quentão, mas é de vinho branco e menos aromático de especiarias), comidas "de feira" (as deles, não as nossas, é claro), eventualmente um palco e apresentações musicais e de dança. 

Em Bratislava, 15h da tarde, povo mandando ver no vinho quente e comidinhas

Anoitecia logo perto das 15h e nada das barraquinhas fecharem - pelo contrário, era a partir das 18h que começava a "ficar bom", as pessoas lotavam as feiras, para comer, beber, confraternizar umas com as outras. 
As decorações e as luzinhas eram incríveis. Ouvi musiquinhas natalinas que não conhecia, é como música pop só que de Natal (tipo aquela All I Want From Christmas Is You, sabe?), vi pinheiros cortados para as pessoas comprarem, e imensas coisas diferentes, como os calendários de advento e o clássico enfeite com quatro velas (sendo uma acendida a cada domingo de dezembro).

No centro de Kosice, estávamos no terceiro domingo do advento (três "velinhas" acesas)

No dia 24 de dezembro, o comércio funcionou até mais ou menos meio-dia, e a partir de então, só voltei a ouvir notícias das coisas abrindo no dia 26. Os eslovacos a quem perguntei relataram uma festa íntima e familiar, algo simples, muita visita aos mais velhos e brincadeiras com as crianças - a festa é para eles. Achei isso ótimo, pois uma coisa que sempre me incomodou no Natal brasileiro (ao menos o que participava) é que era uma festa totalmente centrada nos adultos. 

Eu em Viena - não era fácil dar foco sem as luvas

Existe um exagero de coisas sendo vendidas, produzidas, compradas, mas apesar disso, não é como aqui no Brasil. Parece haver uma hierarquia melhor distribuída entre o tempo e energia dispendidos em cada atividade, e passar tempo juntos, visitar os parentes, assar biscoitos em casa é mais importante que os presentes. Acho que alguém me contou que não são tantos presentes assim, no geral.

Mais uma belezinha em Viena

E no frio, preciso confessar que comi uma ave assada com prazer. Bebi eggnog, que compramos engarrafado, mas não estava tão gostoso (vou tentar preparar uma hora dessas). Foquei no vinho tinto mesmo. E próximo ao dia de Natal, as coisinhas foram entrando em promoção, para logo depois as feiras serem imediatamente desativadas e sumirem...

1 comment:

Cristiano said...

eggnog é gostoso?!

Blog Archive