Total Pageviews

Wednesday, April 27, 2016

Reações perante situações

Sempre preocupado com a crise e a atual conjuntura do país

Meu cãozinho está com uma úlcera na córnea esquerda, correndo o risco de não enxergar mais. Na mesma consulta, identificamos que ele estava excessivamente magro e com cataratas.
Dali por diante, meu coração ficou do tamanho de uma azeitona e passei a me preocupar constantemente com o que poderíamos fazer para curá-lo. Segundo seu veterinário, que cuida dele a vida toda, as cataratas são insignificantes, mas a úlcera exige preocupação e estamos agora, de 2h em 2h aplicando dois tipos diferentes de colírio para tentar evitar a cirurgia.
O mais importante que me ocorreu nestes dias, é que estamos lidando com provavelmente seus últimos anos por aqui. Não sei qual a idade máxima que um lhasa pode atingir, mas tomo como estimativa que vão talvez mais uns 3,5 anos? 
Isso me pôs um senso de responsabilidade maior. Com exceção destes dias em que ele está com o olhinho com problemas, ele é ágil, enxerga bem, come normalmente com os dentinhos preservados, ainda ama passear, é afetuoso, nada agressivo e ama seus biscoitos.
Quero ter em mente, que em se tratando de um cãozinho, já é um senhor idoso que merece respeito, afeto, e muitos mimos. Mais do que os anteriormente dispensados.
Aumentei a dose dos passeios, aumentei a dose dos biscoitos. Estou namorando a ideia de preparar sua alimentação, mesclada com a ração - mais nutritiva e saborosa, será bom para sua saúde e para seu contentamento. Aumentei a dose das brincadeiras - menos ficar deitados juntos, mais corridinhas, mais voltinhas pela praça. Nunca mais cogitei deixá-lo fora do quarto - ele dorme numa cobertinha ao lado de minha cama, e quando quer, pode subir. A cada dois dias, damos um passeio de carro, sempre com as janelas abertas, para que ele possa curtir o vento. Massagenzinhas nos ombros - ele adora. 
Isso pode ou não aumentar seu tempo de vida conosco, mas não importa tanto. O que importa é expô-lo mais vezes a situações em que ele sente-se contente.
Enquanto faço as coisas para ele, sei que estou fazendo também para mim. Ter todas estas memórias, vai me deixar tranquila no eventual dia em que ele não estará mais por aqui - e que eu espero, ainda está muito longe.
Casualmente camuflando os olhinhos


Monday, April 11, 2016

A oficialização de que sou adulta

Estava andando com o cãozinho ontem à tarde quando percebo duas meninas na esquina do meu prédio respondendo um homem que "pedia uma informação"*. Como se fosse meu cão, levantei bem as duas orelhas e já fui encerrando o passeio dele pela praça, para me aproximar da esquina onde elas estavam. Ao me ver, as duas só faltaram me abraçar de alívio, e cochichando uma para a outra "ai olha ali aquela moça!", se aproximaram.
- Oi meninas, tudo bem com vocês? 
- Sim, esse moço quer saber como faz para chegar na igreja!
- Pode virar a primeira a esquerda e seguir reto que vais chegar na igreja.

Vai-se ele embora e as duas:

- Obrigada, a gente ficou com medo!
- Onde vocês vão?
- Minha amiga estava indo embora, mas acho que vamos entrar de novo!
- Esse moço não estava procurando igreja nenhuma*. Tomem cuidado (blablabla)...

O dia em que você é a moça que salva duas mocinhas que juntando a idade delas não soma a sua, você percebe que envelheceu e que não é mais elas - embora muitas horas se sinta ainda mais novinha que elas. 

*Desculpem por estar dizendo isso, queria muito ser diferente e poder confiar em estranhos, mas tanto a mocinha que já fui quanto a assistente social de infância que também já fui, me treinaram para reconhecer um perfil - não um perfil sócio-econômico ou cultural, mas um perfil psicológico, um jeito de olhar, um quê de ameaça que todo violador tem. Vítimas e profissionais envolvidos com o tema vão me entender. Entre diversas outras atitudes que tomo ao longo da vida para que a violência não seja tão presente na vida de crianças (pequenas e crescidas), uma delas é, infelizmente, ser a adulta que enfrenta homens nas esquinas e manda as meninas desconfiarem deles. 

Friday, April 08, 2016

#15diasbichoeplanta com aperitivos




Esses bolinhos não foram feitos para o desafio, na realidade, é uma receita antiga de semanas atrás. Eu AMO coxinha, e por isso, adoro as variações conhecidas como salgado maromba. Depois que ganhei uma airfryer, tem que tomar cuidado: falta pouco para jogar o cãozinho lá dentro, só para ver se fica bonito.

BOLINHOS APERITIVO DE FRANGO

200g de frango cozido desfiado
1 cebola picada miúdo
1 ovo
cerca de 100g de batata-doce ou inhame cozido muito molinho e amassado
6 azeitonas sem caroço (uma para cada bolinho)
alho em flocos, salsinha e sal a gosto


Misture todos os ingredientes, menos as azeitonas e a farinha de coco. Vai virar uma massinha manipulável, mas não muito liguenta. Forme um disco achatado, coloque uma azeitona no centro, e então modele as bolinhas. Passe-as na farinha de coco, e leve à airfryer por 10min a 180ºC - se for fazer no forno, não sei o tempo que leva, mas é pouco, pois tudo está cozido, basta tostar a farinha.
Sirva com pimentinha e, fora do desafio, com uma cerveja!

Tuesday, April 05, 2016

#15diasbichoeplanta - como aumentar o consumo das plantas?


Para decorar, separei uns cubos de abóbora e algumas vagens separadas do molho, preservando suas lindas cores!

Sempre gosto de dizer que meu problema não se localiza nos alimentos de que não gosto, mas sim no fato de gostar de coisas demais. Eu gosto de legumes e verduras, o problema é que junto disso eu gosto muito de picar uns oreos por cima do sorvete...
Uma das coisas que me ajudou muito a aumentar a ingesta das fibras oriundas de vegetais foi parar de idealizar essa hora. Crudivorismo e agricultura familiar são coisas bonitas que sempre admirei de longe, mas não tendem a ser minha realidade. Por causa disso, eu vou ficar sem mais legumes?
O ótimo não pode ser inimigo do bom!
Assim, por mais que eu saiba que uma salada de vegetais frescos e crus é mais saudável, se a única forma de eu comer umas cenouras no dia de hoje é adicionando-as ao picadinho, que seja. Gosto muito do sabor de alguns vegetais depois de cozidos, e quase tudo me parece mais lindo e saboroso depois de uns minutos de forno... Cenouras e abóboras são os meus prediletos, mas acho que virtualmente tudo fica mais gostoso, especialmente se deixar tostar um pouco!
Nesse picadinho de carne com vegetais, aproveitei para adicionar vários vegetais que já não estavam tão bonitos para compor uma salada: abóbora, vagem, cenoura e também uns rabanetes picados. Acho que quando vamos cozinhar esse tipo de receita, em que enchemos de ingredientes de sabor marcante o molho, é a melhor oportunidade para colocar aquilo que gostamos menos, mas que sabemos da importância de consumi-los.

PICADINHO LOWCARB

250g da carne bovina de sua preferência (nesse caso é uma picanha, mas pode ser MESMO qualquer uma, inclusive os cortes mais baratos)
1 colher de sopa de bacon em cubos
1 folha de louro
1 cebola média picada
3 dentes de alho picados
variados vegetais picados, totalizando cerca de 150g
1 colher de sopa de passata de tomate
ervas e sal a gosto

Numa panela de pressão (ou numa panela grande, se não quiser ou não tiver), refogue a cebola no bacon e adicione a carne em cubos, apenas até selar. Adicione a folha de louro, os vegetais mais duros, como cenouras e abóboras, cobrindo com água. Feche a pressão e cozinhe por cerca de 10 minutos, ou tampe a panela e cozinhe por 15-20min. Ao final deste processo, adicione o alho, a passata de tomate, e os vegetais mais tenros, caso os utilize (no meu caso, adicionei as vagens, se for usar brócolis ou couve-flor, é neste momento também). Raspe com uma colher de pau o molho que se gruda no fundo da panela, para que incorpore neste cozido. Deixe mais 5min com a panela aberta, apenas para amalgamar os sabores, e então desligue o fogo. Acerte o sal, e somente com o fogo desligado, acrescente as ervas frescas (no meu caso, foi salsinha picada). 
Sirva com os acompanhamentos da sua preferência - eu comi puro no dia da foto, e na porção do dia seguinte, comi com farofa.

Friday, April 01, 2016

Umas dicas e receitinhas de #15diasbichoeplanta

Desjejum frugal e saboroso: ovos cozidos com azeite de oliva e orégano, café puro, água com limão. O café está autorizado no #bichoeplanta!


Acabei não conseguindo me organizar para cozinhar e fotografar do jeito que queria. Mas de hoje em diante, me parece que vai ficar mais fácil!

A priori, não entram industrializados, refinados e processados no desafio; a ideia, além de promover uma libertação dos lácteos e farináceos, é que a pessoa não saia substituindo. Quem nunca resolveu tirar glúten da vida comprando uma massinha amidenta e refinada, tão industrializada quanto a de glúten, só que sem? Ou ao resolver sair da lactose paga R$11 num cottage lacfree, cuja única "vantagem" é a adição da enzima lactase no produto?

Daí, tirando esses mortos da sala, quero dizer que hoje preparei um bolinho com coisas que foram processadas industrialmente: cacau em pó e fermento químico. Nesse caso, valeu a regra de conseguir identificar todos os "ingredientes" contidos no rótulo, não abusar dos mesmos e de não deixar o ótimo ser inimigo do bom.

Aproveitei um vidro de óleo de coco vazio (sempre tem muitos desses lá em casa), pensando que ao fazer o bolinho ali dentro, poderia usar aquele óleo grudado no vidro e que não conseguimos tirar quando o produto está no fim, mas não queremos desperdiçar. Quando não faço isso, apenas enfio as pontas dos meus cabelos lá dentro, besuntando tudo para tratar, fazendo a tal umectação que tanta gente faz - daí já aproveito, massageio as unhas e cutículas, se duvidar passo óleo de coco na cara, é uma loucura (ah sim, às vezes esfrego um algodãozinho nas paredes e fundos do vidro vazio para tirar minha maquiagem, assim uso mesmo o óleo até o fim!).

Bem, o bolinho ficou sucesso, mas de verdade, o formato foi um plus de divertimento a mais - mandei para todas as minhas amigas com a legenda "marque aqui aquele seu amigo que parece meu bolinho". No futuro farei numa canequinha.


Tirem as crianças da sala.


BOLINHO DE MICROONDAS PALEO LOWCARB

1 banana madura (possível variação: mesma quantidade de abóbora cozida sem sal)
1 colher de chá de óleo de coco
1 colher de sopa de coco ralado
1 colher de sopa de farinha de amêndoas
1 pitada de fermento
1 colher de chá de cacau em pó (opcional - ele pode ser branquinho, sem o cacau)
canela, baunilha, ou demais especiarias que você goste...a gosto

Amasse bem a banana ou abóbora com um garfo, misture os demais ingredientes batendo bem, deixando o fermento por último. A textura do bolinho é bem líquida mesmo. Leve ao microondas por 90segundos, mas fique por perto, prestando atenção - não entendo de potências de microondas, mas se queimar, é muito rápido. A textura após pronta é bem fofinha, mas úmida. E se for branquinho sem cacau, não ficará douradinho o seu bolinho.

Blog Archive