Total Pageviews

Monday, March 21, 2016

Filme: Spotlight




Esse ano não pude me preparar para o bolão do Oscar como gostaria. Daí que, depois da cerimônia mais previsível e boring dos últimos anos, fui ver o que havia de bom nos cinemas e resolvi assistir o melhor filme.
De verdade, só não considero tempo e dinheiro perdidos porque ainda tinha a graciosa companhia do ex (sim, aconteceu - espero que você fique do meu lado nessa hora porque o apoio é importante). E porque o rito de ir ao cinema sempre me deixa contente.
Mas honestamente, achei um filme que não se compromete muito, não faz feio... Mas também não é nada de mais, sabe? Trilha sonora bem ok, ritmo meio parado para um assunto tão envolvente, a glamourização do jornalismo investigativo, pouco foco no tema da investigação, no objeto das matérias.
Apenas um adendo: quero casar com Mark Ruffalo desde sempre. E acho que ele atuou lindamente nesse filme, caracterizando um homem comum, meio sem perspectiva, sem grandes questões pessoais. O que era aquela corcunda que o homem inventou pro filme, minha gente? Conseguiu até ficar feio! Mentira, Mark. Você sempre vai ser meu lindo, my boo, não liga pra isso que eu disse não.
Aconselho você a ver em casa, baixando de algum lugar gratuitamente, do jeito que o cinema anda caro!

2 comments:

Liu said...

Nossa, o Oscar foi bem chatinho esse ano, né? Inclusive, os filmes. Tem anos em que a gente assiste e se recorda por muito tempo de quase todos os favoritos, mas sinto que 2016 não vai ter essa sorte. Já me falaram que Carol também é meio sem graça, que não vale a pena ir ao cinema pra ver. Assisti Brooklin e achei a mesmíssima coisa: não tá valendo o ingresso.
Em compensação, The Room (O quarto de Jack) é simplesmente incrível. Faz um recorte bem interessante das vidas de uma mulher sequestrada e de seu filho que nasceu no cativeiro. O roteiro é bom, as atuações são boas, a direção, idem. Esse sim vale a pena.

Sobre o boy: força, sua linda! Como me disse um camarada nosso há alguns dias, toda transformação é dolorosa, mas seja paciente, porque esse aprendizado é importante.

Mark Ruffalo, que homem é esse??? Menina, eu adoro, também! Apesar de estar um pouco acima da minha faixa etária, eu acho um charme, um excelente ator, um daqueles famosos que dá vontade de conhecer, sabe? Assisti a um filme mais boboquinha com ele e Kyra Knightley esses dias e adorei, chama-se Begin Again (Mesmo se nada der certo). Uma romancinho bem leve, bem com cara de domingo. Acho que falei dele no blog, mas dei mais ênfase a Kyra, porque vê-la cantando foi muito fofo. Tem no netflix.

Look Day said...

Vou aproveitar e baixar, depois conto o que achei.

Beijos.

Blog Archive