Total Pageviews

Friday, January 22, 2016

Utilidades de voo

Tá dando um mês que voltei dazoropa e como sempre, gosto de aproveitar quando está tudo fresquinho na cabeça para atualizar listas e procedimentos que sempre faço. Aproveito para publicar porque alguém sempre pode se beneficiar de alguma ideia específica, então, acabo de listar como foi que organizei as paradas para essa minha ida, a malinha de bordo, a transição de temperaturas, etc.
A minha listinha dessa última viagem, no caderninho da vez


1 - essa é velha porém atual: o calçado mais volumoso e pesado da viagem vai nos pés. Saí com um calor abissal em Floripa já com as galochas que me impediriam de escorregar na neve e/ou me molhar na úmida Holanda;
2 - sabe como não precisar levar demaquilante? Não se maquiando! Saí 17h de um sábado, só ia ver pessoas na fila dos voos, não ia bater fotos, e o principal, ia realmente pesar na pequena malinha de bordo;
3 - não coloquei aqueles plásticos transparentes pelos quais se cobra uma fortuna no aeroporto, usando uma mala cheia de pequenos bolsos e compartimentos para fazer as vezes de necessaire. Apenas deixei tudo solto, dentro de um saquinho (desses de freezer, um ziploc bem simplão) no bolsinho lateral da maletinha, que era pequeno e foi apenas com estes itens;
4 - a roupa que seria "descartada" fora do Brasil era leve. Um vestido justo em cima (que não precisa de sutiã) e que fazia pouco volume e peso na malinha de bordo;
5 - tudo o que for hidratar o vivente é necessário: colírio, rinosoro, creminho de mãos e lipbalm é o mínimo para dar tudo certo, mas como plus levaria ainda pelo menos um creme potente para o rosto.  Se só pudesse levar UMA coisa, levaria o lipbalm. De tanto a gente ficar com a boca seca, vai desidratando os lábios severamente também! E uma garrafa cheia d'água, para o caso de durante a noite no voo não oferecerem (dessa vez não foi necessário);
6 - por causa da questão acima, sente-se NO CORREDOR. Especialmente se o voo for noturno mas não só, porque se você como eu viajar com o Buda dos voos, ele dormirá mesmo sendo de dia;
7 - sempre que acordar, levante, dê uma volta, estique a coluna, o pescoço e gire bem os tornozelos. Se não conseguir dormir (meu caso), faça isso no mínimo a cada 40-60min;
8 - se for viajar de calça ou algo mais que um vestido, esqueça cintos e outros trelelês. Inclusive na sua lingerie e nas botas dos pés. Inclusive acessórios. Vesti no final do voo uma legging, um top de ginástica, e todas as camadas eram sem metais e/ou botões complexos;
9 - leve uma mochila que tenha rodinhas. Porque de verdade, perto do final daquelas longas horas de conexão, poder só puxar a rodinha me aliviou bem, fora que já estava com sacolinhas (hihi) de coisas que fui adquirindo no freeshop;
10 - falando nisso, o ideal é ver o preço das coisas com antecedência e também pesquisar na internet o que o aeroporto pelo qual você irá passar te oferece! Eu tinha uma ideia pré-concebida sobre tudo na Europa ser mais barato, e ocorreu que conversão daqui e dali, as coisas que não eram de fato de lá (MAC, por exemplo), mais valia comprar no Duty Free do Brasil;
11 - lista referente a minha malinha de bordo: COMPARTIMENTO PRINCIPAL - 1 muda de roupa para o frio (2 meias, 1 meia-calça, 1 legging de inverno, 2 blusas de manga comprida bem ajustadas ao corpo, 1 casaco, cachecol, luvas e gorro, além de um top de ginástica) e o "kit hidratação" descrito no item 5 - BOLSO "DE FORA"(aquele segundo maior) - meu tablet, 4 revistas brasileiras, as listas com mapas e guias de Amsterdam (as demais despachei na bagagem), papel e caneta, carregador de celular - BOLSO LATERAL 1 - BB Cream, rímel, blush (levei um líquido para não precisar de pincel), lápis marrom e batom - BOLSO LATERAL 2 - escova de dentes daquelas portáteis, mini pasta de dente, desodorante, gominha de cabelo;
12 - nessa viagem não levei lanches, porque era desnecessário considerando os horários (almocei antes de sair, e jantaria no avião). Mas se a pessoa tem esse receio, eu levaria certamente castanhas (ou compraria as salgadas da Nutty Bavarian - ou as doces mesmo, era férias), doses pequenas de óleo de coco (coloco num pote quando está sólido) para derreter no café, chocolate 85% (poderia até comprar no aeroporto), enfim. As coisas que eu considero interessantes no contexto da minha dieta e que custariam caro ou não estariam acessíveis com facilidade nesse espaço;
13 - por fim, eu sempre viajo sem perfume, sem creme, sem nada no rosto, porque se eu estiver entediada, gosto de experimentar os "tester" do freeshop. Sentir perfume num papelzinho dá uma noção inexata se vamos ou não gostar do cheiro, e experimentar BB Cream no dorso da mão também. No pior dos casos, meu perfume tem pra vender lá e eu dou um borrifo :)

1 comment:

Não importa said...

Eu dei uma lida e achei muito interessante. Por exemplo, é muito, mas muito difícil eu ficar doente. Mas tenho alergia a um monte de coisa. Então, levo meus remédios para o caso de alguma crise. Também não tenho o hábito de me hidratar, mas de um tempo pra cá, estou tentando descobrir um bom hidratante (não precisa ser cheiroso) e um bom antiidade para ter sempre na bolsa.
Meu desafio agora é diminuir o volume de roupas. Eu sempre acho que o clima pode dar uma reviravolta e eu posso passar algum perrengue fora de casa. Eu levo muita, mas muita coisa que não chego a usar!

Blog Archive