Total Pageviews

Friday, January 15, 2016

Eu na night

2015 demorou tanto pra acabar que deu tempo deu ir e voltar prazoropa e era 2015 ainda. Deu tempo de eu pegar mais uns 20 engarrafamentos e era 2015 ainda, deu tempo dazamiga me visitar e era 2015, e por fim quando nada mais fazia 2015 acabar eu fui pra balada.
Amigo meu ia concorrer ao prêmio de "personalidade do ano" no tal do 13, em Florianópolis, e de má vontade e sono, fui porque amiga minha disse que eu TINHA que ser leal e lhe fazer companhia nessa roubada. Identifiquei a justeza da convocação e fomos.
O lugar é pouca coisa maior e melhor que o Blues, no sentido infraestrutura, mas esse pouca coisa promoveu menos claustrofobia e climatização mais agradável, fora o teto de vidro que diminui a sensação de aperto, a noite estar não muito cheia também. A carta de drinks era uma sucessão de coisas usando aquele digestivo alcoólico com sabor de biotônico ou outras coisas açucaradas em demasia. Gastei dinheiro e joguei fora sem conseguir tomar. As músicas eram uma seleção meio Jovem Pan e outras rádios de pop que havia ouvido em Viena dias antes e honestamente não critico tanto. Melhor isso do que música eletrônica.
Sabe encerramento de final de ano, com amigo oculto, cocrete e brinde da firma? Era isso a festa, com a diferença de que eu NUNCA "trabalhei naquela firma". A premiação era um monte de gritinhos a cada pessoa que vencia, meu amigo perdeu e eu gritei recontagem, e quando a surrealidade já estava satisfatória, o "apresentador" chama os dois seguranças da casa a abandonarem seus postos para também receberem uma homenagem. Um deles se chamava Cris. E como eu sei?
Porque a turba enfurecida começou a gritar "Cris! Cris! Cris" enquanto o próprio ia abrindo caminho até a mesa do DJ, aqui fazendo as vezes de "palco". Sem graça e emocionado, Cris fez um breve discurso pedindo ao pessoal que "curta a noite tranquilo e não leve a mal que ele pega no pé, é apenas para todo mundo poder curtir melhor". Ovacionado outra vez, Cris retoma seu local.
Ah, 2015, a saudade de você é tão pouca... Ainda bem que acabou!

No comments:

Blog Archive