Total Pageviews

Friday, July 24, 2015

Aceito opiniões sobre a postagem abaixo

Ontem eu pedi água pelo telefone, quando chegou, encontrei os entregadores de uma loja de móveis junto, e subimos os três.
O entregador da loja terminou antes de entregar a caixa, por isso, desci rapidamente com ele para abrir o portão, enquanto o moço da água terminava de trocar a bombona.
No caminho, na escada, ele cruza comigo - eu subindo, ele descendo, e aí eu digo - falta pagar! E ele:
- se eu soubesse esperava lá em cima...
- espere aí na escada que vou buscar o dinheiro.

Abro minha bolsa e a nota de R$10 está solta dentro da minha bolsa, fora da carteira. A primeira coisa que vejo quando a abro. E meu coração disparou. Olhei ao redor, meu celular no lugar, tudo no lugar - só aquela nota de R$10 solta dentro de minha bolsa.
Desço torturada, sabendo que ele abriu minha bolsa e minha carteira. Porque eu havia sacado o dinheiro 10min antes dele chegar, e ido direto para casa. Billy é esperto e rouba comida, mas não consegue ainda se beneficiar de um roubo de dinheiro.
Como eu havia tirado somente os R$10 para pagar a bombona, minha carteira e mesmo minha bolsa não renderam uma boa incursão.
E como a bombona custava R$10, ele provavelmente repensou o furto, deixando o dinheiro lá onde estava, mas fez isso com pressa, com medo que eu chegasse.

Bem, dali por diante não prestei mais, o resto do dia. Não pude sorrir para ele, nem dizer mais nada quando abri o portão, nem pude chegar a uma conclusão do que pensar a respeito do fato. O que é o mais importante de tudo? Ele ter aberto ou ter desistido? Eu ter deixado ele sozinho por 60 segundos dentro de casa? Será que troco de fornecedor de água? 

Não pretendo denunciá-lo, porque eu não posso provar (apesar de saber), mas também porque não me sinto bem fazendo isso. Eu não sei o que passou pela sua cabeça, nem do que ele precisa. Além disso, mesmo que fosse somente uma má intenção sem nenhum drama por trás, me ocorreu que ele vai repetir esse ato na casa de outra pessoa. Se isso é um hábito dele, fatalmente será pego. 

Estou muito impactada pelo ocorrido, me senti completamente exposta, constrangida, penalizada, com medo, e finalmente entendi o conceito de "vergonha alheia". O que ele fez foi tão constrangedor que eu não pude mais encará-lo.

E vocês? Me dizem o que?

5 comments:

Bruxa do 203 said...

Eu trocaria de fornecedor e não deixaria ninguém sozinho.
E tomara que ele tenha ficado com vergonha e não faça mais isso.

Obrigada pelas dicas. Vou providenciar o óleo de coco!!! Nunca usei.

Valquiria Paula said...

Putzzz, que situação! Sei que vc aceita opiniões a respeito, mas é difícil! Primeiro que, pela reação que vc descreveu, ele certamente percebeu que vc percebeu a bolsa mexida. Vergonha alheia é pouco pra isso. Mas concordo que, se vc não tem como provar, vai apenas criar uma situação de "Ah, é a sua palavra contra a minha", uma situação talvez desnecessária. Prefiro acreditar na lei da vida, que por si só vai se encarregar de dar ao guri a lição que ele precisa... Se vc será ou não a pessoa usada para isso numa outra oportunidade, só Deus sabe, neh? Mas que eu acho que vc deve trocar de fornecedor, isso eu acho sim. Bjs e até a próxima =)

Bonequinha de Luxo said...

Troque de fornecedor, não deixe ninguém que vc não conheça muito bem entrar na sua casa quando vc estiver sózinha. Infelizmente nos dias atuais não podemos nos dar ao luxo de confiar. As pessoas que conhecemos muito bem traem a nossa confiança, porque estranhos não o fariam ??? Já tivemos várias e diversas provas disso né ???? Beijo no coração

Cristiano said...

Troque de fornecedor, enquanto não compra um filtro de água elétrico daqueles que vendem em stand de shopping para não precisar comprar água de fornecedor toda vez que acaba.

Vai ser mais seguro para você.

Jess said...

Eu não denunciaria nada, pq como vc disse, não há provas. Mas trocaria de fornecedor e recomendo comprar um bom filtro. Essa coisa de deixar gente estranha entrar na nossa casa, nunca foi mto bom, mas hoje em dia está bem pior. Cuidado.

Blog Archive