Total Pageviews

Thursday, April 30, 2015

O caso em que não deixo para amanhã o que posso fazer hoje

A feitura das malas e mochilas. Se confirmei a viagem, já pego a mala ou mochila e deixo à vista, e vou colocando dentro todos os itens que quero levar. Geralmente faço isso com no mínimo uns 3-4 dias de antecedência e vejo inúmeras vantagens, tipo:

1 - não corro o risco de usar uma roupa que quero levar na viagem e ela não estar lavada na véspera;
2 - vou me recordando daquilo que quero levar, e posso ir inserindo numa lista ou riscando caso já estivesse anotado;
3 - se eu tiver pouco tempo na véspera, não preciso me preocupar com isso, afinal, já deixei a mala antecipadamente feita;
4 - posso lavar alguma roupa uma roupa que usei a tempo de colocá-la na mala;
5 - posso comprar ou mesmo aproveitar itens que vou me recordando ao longo dos dias ao invés de ter que comprar chegando lá (pinças, desodorantes, demaquilantes e medicamentos são os campeões de eu me esquecer de véspera);
6 - psicologicamente, já vou entrando no clima do passeio. Se for a trabalho, sinto que é menos trabalhoso!

Lembrei de escrever sobre isso pois essa semana viajei domingo à  noite. E foi muito mais fácil, por causa dessa metodologia.

Friday, April 24, 2015

Filme: Chef


Senhoras e senhores, abandonamos a programação de sempre do Netflix (ou seja, Desperate Housewives), para assistir um filme com o boy no domingo. Por motivos óbvios, o filme trata de comida: Chef.
Carl é um chef de cozinha sem autonomia para criar o menu do restaurante em que trabalha. Depois de um conflito com um crítico de gastronomia que repercute muito na internet, se demite e vai trabalhar num foodtruck, fazendo comida cubana. Nesse meio-tempo, ele resgata um relacionamento superficial com o filho, reconquista a ex-mulher e se torna sócio de seu ex-crítico num restaurante enorme. Fim.
Honestamente, em pleno 2015 não tinha como fazer um roteiro mais criativo não?! Me senti tonta por ter assistido até o final. Confesso que fui até o final atrás de algo surpreendente, que me provasse que não foi um erro esperar, mas não veio. Me lembrou um filme dazantiga da sessão da tarde com Stallone, como um caminhoneiro que fica com o filho e na viagem os dois descobrem o vínculo de novo. Só que pior, poderia ter visto DOIS episódios de Desperate Housewives enquanto vi esse filme.
Mas vou confessar: sabe o que mais me frustrou? Não ter praticamente nenhuma cena de cozinha!
Aliás, quem quiser me indicar filmes com muitas comidas, eu já devo ter visto a maioria, mas um ou outro a gente sempre deixa passar...

Wednesday, April 22, 2015

As piores sacadas de marketing que ouvi recentemente

Sou uma pessoa suscetível a uma boa publicidade, não nego. Como toda criança da década de 90, parte substancial de minha educação foi realizada pela televisão aberta, e estou desde então desejando brinquedos da Estrela e MC Lanche Feliz. 
Justamente por não ser imune à propaganda, tive que rir escutando dois comerciais recentes:

1 - as livrarias Catarinense estão anunciando uma "chuva" de cultura: em compras acima de R$100, se você for cadastrado na fidelidade da loja, por apenas R$4 você leva um lindo guarda-chuva! Tem como ser pior essa promoção?

2 - já as farmácias Angeloni anunciaram que "congelaram" os preços dos medicamentos que receberiam ajuste anual...este mês! Aparentemente, o freezer deles dura pouco!

É comigo o problema ou é com eles? Sou muito vintage por querer uma sombrinha de brinde, um post-it, uma coisa dessas?! Tenha dó.

Wednesday, April 15, 2015

Precisamos falar sobre minha bixiga

Brincadeira com o filme Precisamos Falar Sobre Kevin, o qual eu até já opinei a respeito aqui. Bem, o que eu queria contar é que pela quarta vez em menos de seis meses, estou com cistite outra vez. Já não temos tantas opções de antibióticos para mim, e eu estou tomando vacina. Dai outra bactéria, que a vacina não contempla, me atingiu. Fico com receio dos efeitos de tantos antibióticos assim em minha imunidade, flora intestinal e sei lá o que mais. Além disso, sinto-me deprimida, porque. A dor derruba qualquer ser forte e corajoso. E como sei que não passa rápido, fico com receio de dormir uma noite toda sem medicação. 
Mas agora vem o #mimimi que me motivou a iniciar a postagem: justo nas férias?!

Wednesday, April 01, 2015

A confirmação: eu detesto Páscoa

Os "coelhinhos" de páscoa, mais um bolo que comprei para mim.

Desde criança tenho estranhas recordações da Páscoa: sair para procurar ovos e cestas pela casa, comer tudo o quanto quisesse neste dia, ir na casa da avó ganhar mais alguns chocolates e brincar com os primos. Levar um pedaço de ovo no lanche do dia seguinte, igual todas as outras crianças.
Ocorre que nunca fui muito fã dos ovos: sempre preferi as cestas por motivos de: CHICLETES, coisa que me era restrita e que eu amava. Mascava todos os chicletes antes mesmo de sair de casa, me deliciando, comia um chocolate aqui, outro ali. A Páscoa era eventualmente "estragada" para mim, pela obrigação de frequentar a missa. Não era um feriado legal, tinha uma tal de procissão no meio, filmes religiosos na tevê, enfim, não me recordo como algo divertido.
Mas as pessoas por motivos alheios à minha compreensão ficam em polvorosa com isso, e acho que de tanto me sentir estranha, em algum momento entrei na onda e pronto. Troquei ovos com as pessoas, agradeci aqueles que ganhei.
Mas...a verdade é que eu não gosto de chocolate, nem de ovos de chocolate, nem de bombons de chocolate, raramente aprecio um bolo ou brigadeiro de chocolate. E há anos estou tentando educar as pessoas ao meu redor, dizendo que NÃO QUERO CHOCOLATE, e nem sempre funciona.
Esse ano, passarei o feriado em São Paulo, em reunião, mas devo ver a família no início da semana. Não querendo ser mais do contra do que já sou, comprei uns doces hoje numa loja muito bonitinha que descobri pelo instagram. Comprei para o namorado, também. E comprei uma para mim.
Daí que ao provar, chegando em casa, concluí pelo óbvio, contemplando a minha fruteira: banana-frita é mais gostoso. E saí correndo na busca de um pão de queijo ou coisa parecida para tirar o gosto doce da boca (não resisti a provar).
Pensei em como aprecio macarons, de sabor tão suave, menos doce, mas sempre os de limão e frutas vermelhas. E como mousse de maracujá me parece bom, comparado com a de chocolate. E de como, mesmo sendo pistache o meu sabor favorito de sorvete, eu como ele somente duas vezes ao ano.
Em eu não sendo religiosa, nem apreciando chocolate, o que me resta num feriado como o de Páscoa?
Dar chocolates, mas espero receber outra coisa em troca. Pode me dar um livro, um vinho, um tasco de parmesão. Pode me dar uma meia, ou uma calcinha, uma cumbuca cheia de limões. Mas por favor, sumam com esses ovos da minha frente!

Retrospectiva de mim mesma incomodada com a Páscoa, aqui nesse bloguinho. Não reparem a falta de educação, às vezes eu tinha tido um dia ruim:





Blog Archive