Total Pageviews

Thursday, January 08, 2015

O anti-Natal

Conforme havia mencionado antes, não passei o Natal com a família. Isso me livrou de: comprar presentes, comer peru e outras comidas que não aprecio, enfrentar trânsito e outros desgastes emocionais.
No entanto, não foi tão simples quanto poderia, e eu explico.
Eu e meu namorado passaríamos a noite juntos, e por isso, programamos um cardápio. No entanto, ele trabalhou até as 16h, e sobrou para mim fazer as compras e preparar os alimentos. Ele ajudou, mas ficou mais em meus ombros. 
E eu, que estava muito ocupada dias antes, deixei para encarar o Angeloni em pleno dia 24/12 - fui uma das primeiras a chegar. 
As pessoas estavam imbuídas do espírito natalino e eram educadas, mas mesmo assim tive dó dos funcionários, pois a correria era enorme. Eles repunham as coisas, mas não parava de vir gente pedir mais.
Escolhemos umas comidas tipicamente árabes, e o cardápio foi baba ganoush, homus, quibe de forno, tabule e pãezinhos sírios para acompanhar. Pela primeira vez na vida, me coloquei na fila de um açougue para pedir 600g de patinho moído duas vezes, conforme havia lido na internet. Uma senhorinha de traços árabes, na minha frente, pediu exatamente a mesma coisa, o que me fez sorrir pensando que estávamos emprestando uma tradição de famílias por aí.
De lá ainda precisei ir no Bistek pegar tudo aquilo que não achei no outro. Angeloni e Imperatriz não vendem grão de bico em conserva! Quem diria?!
Com isso, foram quase 3h indo de uma parte a outra. Ainda precisava limpar e arrumar a casa para a noite, e quando de fato chegou a hora de jantar, eu estava cansada. Acordamos 1h da manhã, no sofá, vimos que já era Natal e trocamos nossos presentes. Aprendi, com isso, que ano que vem teremos uma noite normal na véspera, e faremos um almoço gostoso no próprio dia, quando estaremos bem menos cansados - e sem ter onde comer, pois tudo está fechado. Comprei e fiz bastante comida, mas não foi suficiente para dois jantares e um almoço, e à noite, já sem sobras, comemos no Mac Donalds. Sim, foi assim mesmo que se deu.
Em sentido horário: os pães sírios, o homus e o baba ganoush, uns tomates confitados que eram totalmente desnecessários, rabanadas , tabule e o quibe de forno.
Também não queria investir em decorar minha casa, então juntei tudo que tinha: enfeites de anos anteriores, itens vermelhos e verdes e pus tudo junto em cima da mesa. Achei que ficou bem digno, mas vocês podem julgar:


Esta é uma visão geral, com as louças e utensílios, com as cores bem típicas...
 Eu peguei uma caneca, e dentro coloquei os espetinhos de tâmaras com morangos orgânicos (melhor sobremesa ever, que me foi ensinada no Mercadão de São Paulo), em outra pus os tomates confitados, e o resto foi improviso. Usei uma caçarolinha de cerâmica vermelha para servir o baba ganoush, a do homus era laranjada mas foi mesmo assim. Meu vasinho que fica no criado-mudo foi para a mesa por ser vermelho, com as florzinhas que havia ganho do namorado, e a garrafa de Perrier pusemos na mesa para dar mais verde - achamos que tinha vermelho demais. Usei ainda uma panela esmaltada na qual paguei R$5 há anos quando ainda morava em BH nas Lojas Americanas, e pus as rabanadas dentro. Nem quis saber se torrone era ou não era natalino, enfiei eles de pé dentro do suportezinho vermelho, para dar mais cara natalina e achei que ficou lindo:


Nesse cantinho dá para ver que mantive o vidro com as luzinhas dentro, mas como já tinha comido os ursinhos, também adicionamos Ferrero Rocher dentro, assim teriam elementos dourados.
No fim achamos tudo muito engraçado e bonitinho, sem firulas, sem compras, mas com bastante elementos que faziam referência à data. Na realidade, acabo de me lembrar que comprei aquele suporte dourado por baixo das tigelinhas, se vocês olharem bem. Custou R$8 no Bistek. 
O mais importante de tudo foi o tanto que estivemos em paz. Sem a pressão toda do consumo, as expectativas dos presentes, o arruma-arruma, que nós fizemos, mas nos divertimos fazendo. Foi cansativo, e isso precisamos melhorar para o ano que vem, mas foi muito menos que qualquer outro Natal em minha vida. 
E ainda me deixou de lição que arrumar a mesa é ótimo, e agora, a ideia é buscar reproduzir outras mesas temáticas. Rumo a uma mesa tropical nesses dias calorosos.

1 comment:

uaifai said...

A ideia de um cardápio árabe no natal foi bem digno. Gostei das cores dos itens na mesa. Pelo visto, vc gosta de fartura de cores. Tenho notado isso. =)
Sobre comer a correria da véspera de natal, eu não abri mão de trocar presentes, mas já aprendi a não encarar o comercio de forma geral o mês de dezembro todo. Como o supermercado é inevitável, eu evito uma semana antes. Mas isso requer planejamento. =)

Blog Archive