Total Pageviews

Thursday, December 18, 2014

Uma homenagem que precisa ser rendida

Ontem no bar conversava com amigos sobre como foi que nossa alfabetização iniciou, e concordamos que todos começamos pelos gibis. Continuamos com literatura de pouca qualidade e ao fim fomos ficando mais exigentes. Então no decorrer da discussão (é ruim ou bom iniciar com gibi?), lembrei de algo que li bastante e que, tempos atrás, comentei com amigas que fez toda diferença em minha vida: as revistas femininas voltadas para o público adolescente.
Eu lia virtualmente todas as suas páginas, já com o hábito da leitura bem consolidado, passava reto pelos editoriais de moda (nunca gostei muito desse tipo de matéria), e adorava as que falavam sobre comportamento, sexo, relacionamentos e os testes.
E quero agradecer imensamente esse segmento que garantiu minha educação sexual.
Porque na escola, a formalidade é grande, na família ainda mais. Pais que dizem 'estarem abertos para qualquer pergunta' mas que não estão lá muito a vontade com o tema nem tomam iniciativas? Temos também. Daí que, lendo muitas e muitas reportagens e orientações a respeito, foi que entendi diversos conceitos importantes. E lembro nitidamente quando, adolescente virgem ainda, minha mãe aconselhava a mim e outras meninas um pouco mais velhas (funcionárias dela) que usássemos duas camisinhas, para proteger melhor. E o que eu dizia nessas horas?
Que usar duas camisinhas é pior, pois o atrito entre o latex das duas fazem com que rompam. :)
Quem me ensinou isso? 
Revista Capricho!
Isso, e mais um monte de informações úteis que já vi diversos homens teoricamente descolados fazerem cara de 'oh' quando você menciona. 
Se eu tivesse uma filha, certamente, assinaria a Capricho para ela. Não que a qualidade editorial seja ótima, nem que a propaganda envolvida não seja um problema, ou que não reforce muitas vezes comportamentos machistas (quantas e quantas reportagens para 'conquistar' - OMG), mas porque ainda não vi literatura acessível, objetiva, correta e na linguagem adolescente de qualidade melhor.
Obrigada, Capricho!

3 comments:

Cristiano said...

Já eu comecei a ler pela placar...

Nay said...

Havia percebido que meu interesse por leitura reforçou muito com revista Cláudia (fora a vontade de ser jornalista a partir daí), mas não havia notado a influência positiva acerca das revistas mais voltadas para adolescentes. Me lembro de uma delas com um "compilado" de Jairo Bouer muito útil com informações tipo essa de duas camisinhas e tal. Muito boa sua colocação.

uaifai said...

Concordo contigo!
Quando era adolescente, eu lia muito a capricho. Tinha a carinho e a carícia, que eu não sei que fim levaram.
Lia todas!

Blog Archive