Total Pageviews

Tuesday, December 30, 2014

Revisando as Resoluções de 2014

No fim, não gostei do jeito que defini minhas resoluções de 2014. Neste ano voltarei com uma lista bem objetiva, pois fica mais fácil mensurar e compreender se atingi ou não meus propósitos. Mesmo assim, segue a análise final:

 1 – SAÚDE. Isso representa aumentar minha imunidade, melhorar meus níveis de triglicerídeos e colesterol, ter mais disposição, flexibilidade, e talvez, em decorrência disso, baixar meu peso. 

Eu tive um excelente avanço na parte da disposição e do meu corpo, mesmo, mas o peso estabilizou e os índices mais gerais não medi para poder saber como ficou.

2 – TRABALHO. Quero sair daqui, e para isso preciso fazer outros concursos ou outros processos seletivos.

Eu modifiquei os planos quando entrei para o sindicato, agora por ora sigo onde estou, mas com perspectivas de fazer concursos que considero bons - melhores que o atual.

3 – ORGANIZAÇÃO. Maior controle e gestão do tempo, menos tarefas que chegam de surpresa, rotinas matinais e noturnas, além de rotinas para organizar o trabalho e as minhas outras tarefas.

Nisso, ainda tenho muito a evoluir. É verdade que a vida foi terrivelmente caótica, mas também muitas vezes não priorizei a organização, e isso me deixou atrapalhada, além de mais indisposta que antes. 

4 – COMIDA. Quero comer radicalmente diferente, sem desperdício de dinheiro, de ingredientes caros (ou baratos), ficar satisfeita e de forma correta. Para isso, preciso planejar os menus, as compras, controlá-los, me organizar para não pedir comida e nem sair sozinha para comer em restaurantes (as duas maiores torneiras de dinheiro de meu orçamento).

Eu avalio que simplifiquei, eliminei alguns alimentos quase que em definitivo (por exemplo, não como mais glúten, nem iogurte...), mas ainda tem muitos desperdícios envolvidos. Isso me frustra, pois mostra que falta organização e que estou jogando dinheiro fora. 

5 – VIAGENS. Voltar em alguns lugares amados, como Buenos Aires (está previsto para logo), conhecer alguns lugares novos (está previsto para logo, mas quero ir no mínimo duas vezes este ano viajar), conhecer o Inhotim, tirar meu visto americano.

Fui novamente em Buenos Aires, Santiago e São Paulo, conheci o Uruguai melhor, voltei a Parati, mas foi um ano de poucos feriados, poucas promoções que rendem aéreos baratos, portanto, de menos viagens que o habitual. E continuo sem o visto americano!

6 – NOVIDADES. Quero novos livros (2 ao mês está bom), novos filmes (12 ao mês está bom), novos lugares (item 5), novas experiências e novas pessoas.

Certamente li os livros, nem cheguei perto de 12 filmes por mês, e os lugares novos foram poucos. Pessoas? Sim, algumas, mas bem poucas também. Experiências? Sim, com certeza muitas novas experiências. Foi um ano de novidades.

7 – CABEÇA NO LUGAR. Quero ser uma pessoa concentrada, focada, que respira e que medita direitinho, que reflete sobre o que diz e faz (e sobre o que não diz e não faz).

Eu fui me focando e concentrando mais à medida que ia me dando conta que estava desfocada e desconcentrada, sabe como? Mas penso que muitas vezes apenas respondi às urgências, e não estava com a cabeça bem no lugar. Mas lembro de que, neste ano, tive condições de parar e sair quando percebia que estava me prejudicando, e isso me deu mais equilíbrio.

8 – FINANÇAS. Quitar todas as dívidas e poupar 3 meses de salário.

Essa é, mais uma vez, a vergonha do ano. Não quitei as dívidas, pelo contrário: tenho outras duas agora. Além disso, não poupei sequer um dia de salário.

9 – MINIMIZAR ou FRUGALIZAR? Outro dia li sobre a diferença entre um e outro, e sinceramente tenho dúvidas do que exatamente preciso mais. Acho que nesse momento o minimalismo me faria mais sentido, pois estou numa intensa troca de muitas quinquilharias por poucas coisas de genuíno valor. Quero ter comigo apenas coisas realmente boas, coisas amadas, coisas que valem o que custam – e quero saber quando essas coisas aparecerem.

Bem, esse processo foi intenso mas não completo, pois a quinquilharia é algo que não para de surgir. Ainda preciso melhorar muito, essa questão do acúmulo, pois me livro sempre de muita coisa, mas quando olho, as coisas se multiplicaram de novo.

10 – AS PESSOAS. Em primeiro lugar, é tempo de eliminar em definitivo gente chata, gente que não agrega nada, gente que opina sem ser consultada, que julga sem saber do que fala, e que essencialmente não me escuta, pois pensa me conhecer tão bem que não há nada sobre mim que não possa aprender. As que não sou obrigada, basta eliminar, as que sou obrigada, basta restringir ao mínimo obrigatório. Por minha vez, devo eliminar meus julgamentos e minhas conversas à toa, aprendendo a guardar minhas opiniões para quando forem solicitadas (quanto a isso, considero que já estou bem avançada – os julgamentos é que precisam diminuir muito).
Em segundo lugar, aproximar as pessoas que agregam, que não importunam, não julgam nem aborrecem com sua presença. Gente que não rouba nossa energia, gente que está lá quando solicitada e sabe quando é necessária, gente realmente disponível a uma troca benéfica. E obviamente, ser essa pessoa para as pessoas! 

Aqui, acho que exagerei um pouco, pois fui ao extremo de me manter sem praticamente nenhuma companhia em muitos momentos. A parte boa, é que quando então resolvo me socializar, estou inteira no processo, mas a parte ruim é que acabei ficando anti-social. 
Muito importante: neste ano, com análise, estou me livrando em definitivo desse jeito julgador e também de algumas pessoas.

1 comment:

uaifai said...

Eu não me lembro das minhas resoluções para 2014, mas ou relativamente bem sucedida nas coisas que me proponho.
Olhando por fora, acho que vc se saiu bem. Eu não fui antissocial em 2014, mas deixei as amizades antigas muito de lado. Tem gente que nem me procura mais... =(

Blog Archive