Total Pageviews

Monday, November 17, 2014

Filme: A menina que roubava livros


Tendo dado uma variada nos assuntos, achei que poderia retomar a falar sobre livros e filmes que consumi caudalosamente no último período. Este eu assisti no domingo passado, numa onda de filmes pelos quais estive interessada no Telecine. Eu li o livro há muitos anos atrás, que havia ganhado de minha mãe, e à época havia achado o livro ok, nem ruim mas nem ótimo.
Talvez por ter lido há tanto tempo atrás, em 2009, fiquei sem aquela pressão entre livro e roteiro, e considerei o filme muito bom. A historinha de Liesel, uma garotinha adotada por família pobre alemã que, apesar da dureza da vida ainda buscava contribuir em tudo que fosse possível para amenizar os tempos de guerra em sua comunidade, é contada de forma muito instigante no filme. Passei o tempo todo tensa, o filme naquele ritmo meio 'vai acontecer alguma coisa', e achei que no geral ficou uma boa adaptação. 
O filme se concentra em dizer como a vida das pessoas era dura naqueles tempos, retrata de uma forma muito incisiva o ufanismo hitlerista e como iplus interessante que é o fato de que, em alguns momentos, havia um narrador onisciente (com voz de homem), que era A Morte. A morte é muito presente em filmes ambientados na guerra, e neste, cumpriu um papel fundamental. Algo que me chamou a atenção foi o foco que é dado no apreço de Liesel pelos livros, quaisquer que sejam. Em tempos de abundância de tudo, inclusive de livros, é um pouco comovente ver como as coisas são ressignificadas nas dificuldades. Talvez eu esteja exagerando, mas achei um excelente filme, com uma bonita mensagem, sem ser o clichê completo. Um filme de sutilezas, apesar de algumas coisas serem retratadas de forma mais óbvia. Daí você vai prestando atenção, e surge uma nova camada, sabe como?
sso foi afetando as pessoas de diferentes formas. Tem um
É assim. :)

2 comments:

Bruxa do 203 said...

Achei o filme lindo, tão bom quanto o livro. E o elenco simplesmente maravilhoso.

Bah said...

Muuuito, muito bom.

K!

Blog Archive