Total Pageviews

Thursday, October 23, 2014

Omeprazol, aqui me tens de regresso...

Após mencionar que andava sentindo o esôfago arder e não saber direito como lidar, cortei o açúcar (que estava aparecendo demais, em balinhas que os colegas me davam após o almoço e uns bombonzinhos que eu mesma me dava) e senti uma grande melhora. Também havia discutido com A Analista como depois que falamos sobre eu me sentir sufocada pelas palavras que não digo, eu havia sentido muita ardência. Achei que a somatização mais o açúcar eram o problema e de fato depois de conversar a respeito e cortar o açúcar, eu estava melhor.
Mas anteontem o negócio voltou a arder, e perto demais da minha viagem para o Chile, tomei uma decisão. Passei na farmácia e comprei meu querido e parceiro Omeprazol, para tomar até voltar e poder ir ao médico. Nem esperei o jejum, já tomei o primeiro agora, para ver se a partir de amanhã estabiliza esse negócio.

Wednesday, October 22, 2014

Pechincha: a pequenina cidade de Ilhota

Ilhota é conhecida pelo seguinte feito: ser a capital nacional da moda praia e moda íntima. Penso que é possível ser verdade pois muitas marcas são originadas dali, e mesmo que não seja, elejo democraticamente a minha capital mundial da moda praia e moda íntima!
Eis os fatos: descobri vasculhando nesse booking de meu Deus que há um apart hotel ainda mais lindo que o primeiro (no qual ficarei assim que chegar) em Santiago, com banheira no quarto para eu fazer umas cleopatrices e uma piscina bapho para eu exibir esse corpinho branquelo e reluzente de falta de Sol.
Viagem linda também exige fotos lindas, e é por isso que levarei uma mala apenas com minhas roupas prediletas (todas são confortáveis pois roupas lindas desconfortáveis não são para mim), vou cortar o cabelo antes de ir e queria também um biquini novo. E já que irei numa piscina e agora tenho 30, porque não um maiô? (acho mulheres de maiô chiques e almejo ser uma delas, mas acho que me falta o glamour).
Lá fui eu, na volta de um finde em Curitiba, dar uma 'passadinha' em Ilhota para resolver o problema. Dois biquínis, sete calcinhas, um top de ginástica e um cojunto calcinha-sutiã depois, tenho apenas um argumento para lhes convencer. Ou melhor, dois, sendo que o primeiro é a foto em que se vê quão lindas são as estampas, e atesto que a qualidade é superior a qualquer marca que você já tenha adquirido. O segundo argumento é: cento e sessenta reais. Por tudo.

Foco nos biquínis, porque apesar de compartilhar mil coisas, não é preciso revelar a integralidade das calçola, certo?

Estou indo viajar com dois biquínis lindos para lindas fotos e atualizei o estoque de roupas íntimas que andava muito fraco. E se tivesse tido mais tempo, entraria em mais alguma lojinha de roupa de ginástica para me comprar umas legging's, porque vi várias bonitas, lisas e estampadas, e as minhas já são doadas de minha mãe e com mais de ano sendo usadas por mim. Achei que me beneficiaria de umas novas. Mas não comprei, porque resolvi comprar tudo numa loja só e não demorar (eu ainda ia trabalhar). 
Mas tem ainda pijamas, camisolas, e essas roupas fit para quem aprecia. Tem ainda roupas íntimas e de praia para homens, também. 
Sei que minha dileta audiência em sua maioria não é daqui, mas pode sempre surgir algum incauto. E caso venham para as festas de outubro, Ilhota está no caminho de Blumenau. A cidade é tão pequena que não dura mais que 10min de carro, e as lojas ficam todas assim na beira da rodovia. 
Achei um badalo! 

Tuesday, October 21, 2014

A sardinha já queimou nessa brasa!

Cá estou organizando evento da repartição. Palestrantes que querem 'fazer nome' resolvem não cobrar pela palestra, apenas pedem ajuda de custo com transporte e alimentação. Daí inserem um valor para este custo e não explicam de jeito nenhum se é ou não para pagar o valor que inserem, ou se estão apenas dizendo quanto custaria se cobrassem. E eu pergunto inúmeras vezes, e o cara só diz que 'devido à parceria com o órgão tal, não cobrará'.
Babe, eu já entendi que você é foda e está sendo parceirão. Já entendi. Mas você precisa mesmo me explicar se quer algum dinheiro ou não.
Daí me liga o órgão tal reiterando o questionamento, se pagaremos or not seu almoço e deslocamento. Daí começo a entender que 'os parceiros' todos querem receber um dinheiro simples, toma lá-dá cá, sem comprovar despesa, sem ser cadastrado como fornecedor, jogo simples, sabe?
Sabe de nada, inocente.
Vou ter que cadastrar dois fornecedores para emitir despesa de menos de R$200 ao total, sendo que a mim tanto fazia se ia ser R$200 ou R$4mil. Mas o que importa é que os palestrantes em nome da parceria não cobraram!
Se eu receber mais um e-mail dizendo que não cobraram, darei um piti.

Friday, October 17, 2014

A maldade instituída

Compromissos profissionais me levaram ontem e anteontem à pacata Fraiburgo. Tive a oportunidade de verificar o quão tímidas e retraídas as pessoas são lá. Elas falam apenas o necessário com desconhecidos e parecem mesmo muito incomodadas com esse contato. Como não lhes fiz nada de mau, resolvo apenas considerar que são tímidas e não é nada pessoal.
No dia seguinte lá vou eu trabalhar e conhecer, sem mentira, uma das piores pessoas que já conheci na vida. Embora educada, comportada, teoricamente num bom momento da vida pessoal e profissional, me chocou como para cada pequena atitude das pessoas, ela buscava enxergar uma maldade interna, a contradição que provaria como todos são maus, indolentes, errados. Adivinhe quem era a única certa?
Foi ali que me dei conta de que pessoa não quero ser. De como não quero ser aquela que quando alguém se queixa de algo difícil, você bate no peito para dizer que fez isso assoviando e numa perna só. Também fiquei aliviada, por ver que não sou. Mas que sometimes fico ali elucubrando a respeito das escolhas alheias. Deixa eles, vai. Deixa eles.

O Desafio

Aceitei o desafio da Bah e vou postar as minhas respostas para as perguntas. Adorei a brincadeira, beijos!


1) Como surgiu a ideia do blog e por quê?
Em 2006, quando criei este blogue, eu vinha de um outro no weblogger, me parece que era vinculado ao Terra na época, com um layout bem divo que uma amiga minha me fez. Havia conhecido alguns dos blogues mais clássicos dessa geração (O Mundo é Estranho e Homem é Tudo Palhaço) e adorei a ideia de poder escrever, também eu, as minhas histórias. Entrei na onda! O segundo blogue, este atual, fiz porque queria desativar o anterior e renovar algumas coisas no estilo de relatar e escrever. Lembro nitidamente que andava chateada com o fim de um namoro e, achei que mudando de blogue, mudaria um pouco também minha postura com relação à vala.
2) O nome dele tem algum motivo específico?

Eu havia naquele ano comprado um CD chamado Tom Jobim Lounge. Particularmente hoje em dia nem gosto mais das músicas dele, mas buscando um nome que coubesse, ainda não tivesse sido utilizado, relativamente anônimo (sem meu nome na url), escolhi uma música, por isso, 'bossa beat'. O título, 'Fazer o que?' tinha a ver com a impotência que sentia à época com relação aos acontecimentos da minha vida. Eu estava um pouco triste, e decepcionada também. Achava que a melhor forma de evitar de me sentir assim novamente, era baixar completamente as expectativas e ficar passivamente vendo as coisas acontecerem (isso mudou, ainda bem!).
3) Já me meti em problemas por causa do blog?
Sabe o namorado do pé na bunda? Ele era muito chato. Vivia implicando com aquilo que eu escrevia e achava que minhas postagens eram indiretas sobre ele (megalomaníaco, nada). Pessoas que eu conheço chegavam no blogue de alguma forma, e ao lerem o relato de alguma situação que as envolvia, ficavam chateadas com a maneira como eu a descrevia. Já passei por isso com amigos, familiares e até com um povo de uma festa que conheci apenas na festa e mencionei au passant (essa é engraçada: eu havia ido numa festa de um povo da ciências da computação, falei que eles eram nerds com dificuldade de socialização, especialmente com as mulheres - óbvio que me expressei pior que isso e eles detestaram né gente? Olha eu! E o pior: peguei sinistramente um 'nerd da computação' durante ALGUMAS semanas depois dessa festa!). 
4) O que o blog te trouxe de bom desde a origem dele?
Algumas pessoas que conheci, e por quem tenho muita estima, especialmente Olívia, com quem desenvolvi uma relação muito legal em que já conheci sua casa e sua família. Mas não só ela, tenho várias pessoas com quem sinto essa espécie de conexão e gosto de acompanhar. Alguns presentinhos, também já ganhei de pessoas queridas que me leem, um apoio todo especial quando me sinto por algum motivo sozinha na vida 'real'. E uma extensa memória de tudo que considerei legal mencionar nestes tantos anos com o mesmo blogue!
5) Já teve sua privacidade invadida por causa do blog?
Algumas vezes descubro mais alguém(do meu círculo 'real') que lê meu blogue e fico ressabiada. Perdi o controle disso há muito tempo, apesar de hoje em dia restringir ao máximo este acesso aos meus conhecidos do cotidiano. Não é escondido, mas também não é facilitado o acesso. 
Indicar 5 blogueiros

Tuesday, October 14, 2014

O dia em que fui promovida a ministra

Houve uma forte chuva de granizo em Lages/SC, e neste caso minha repartição tem alguns procedimentos a adotar. Considerando a quantidade de gente atingida e que hoje não foi trabalhar, não se pode lançar uma falta no ponto desse povo, existe um item chamado 'calamidade pública', o qual, segundo o chefe dos pontos, disse que só poderá ser utilizado a pedido da assistente social, comprovando a calamidade pública conforme o previsto no decreto tal de 2010. O qual estabelece que o município pede ao Ministério da Integração Nacional decrete a calamidade pública.
Fiquei aqui me perguntando que outra comprovação superior à do ministro poderei dar eu, mera assistente social barnabé duma repartição tão chinfrim.

Monday, October 13, 2014

Filme: Faroeste Caboclo

Como sempre estou com a faísca atrasada em relação aos lançamentos de filmes, assistindo-os tardiamente. Pois bem, neste caso, aproveitei que tinha TV e assisti no Telecine. Como o Brazil inteiro já sabe, o filme é uma adaptação para roteiro da música que conta a história de João de Santo Cristo, um jovem negro e pobre que tenta vencer na vida, mudando de cidade, oscilando entre trabalhar de forma honesta (e ser pouco recompensando por isso) e se envolver com o crime (e obter ao mesmo tempo alguns ganhos e se dar invariavelmente mal). Paralelo a isso tem o romance que ele vive com Maria Lucia e seu rival e inimigo, Jeremias. O final, todo mundo já conhece.
Achei o filme interessante, sendo que João e Jeremias ficaram perfeitos em seus papéis, enquanto Maria Lucia, em minha cabeça, era apenas uma moça simples e sem muita relevância no contexto. No filme, a gente conhece ela desde antes dela entrar na vida de João, e é dado uma centralidade maior à história. O que na minha opinião empobrecia o drama de João e suas diversas frustrações, mas é talvez uma forma de mostrar como elas apareciam. Também achei que a cena do duelo, que é um grande clímax na música, ficou de forma meio 'paradona' no filme, apesar de muito tensa.
Totalmente não consegui ver as cenas em que ele é violentado, o que é sinal de que eram boas do ponto de vista de passar veracidade ao espectador. E achei linda a sequência em que retrata o início do romance de João e Maria Lucia. 
Ao final, escutando a música (achei boa a sacada de pedir para as pessoas esperarem uma última cena após os créditos, mas também acho que seria estranho demais não escutá-la ao menos uma vez no filme), foi que me dei conta da quantidade de músicas que haviam no filme. Curiosamente, não lembrava mais delas, porém pensando melhor, elas foram um excelente pano de fundo para muitas cenas.
Não acho que é um estouro artístico nem um grande destaque, mas não é uma perda de tempo assistir.
Pois não deixa de ser a história de tantos brasileiros também.

O susto.

De repente, você está sentada no carro, com ele parado, conversando com seu namorado. De vestido e pernas cruzadas, não reconhece o coxão que adquiriu em tão poucas semanas de treino mudado, e tampouco a firmeza ao tocá-las com as mãos. Ele mesmo, que te conhece há poucos meses, nota que está muito diferente. Resolve, feliz e contente, não reclamar mais do fato de que toda semana o exercício muda. 
Mas apesar disso, considerando que faz tanto abdominal difícil, acha injusto que isso fique escondido sob a sua barriguinha saliente que tem desde criança - mesmo quando era um palito de magra, sempre tive o estômago bem saltado, uma versão albina e menos trágica das crianças etíopes. 
Foi então que, tendo atingido um certo platô de peso, resolvi dar um susto no meu corpo, e para isso, fazer alguns dias de dieta lowcarb. Evidentemente para mim uma vida sem arroz, feijão, tapioca e panquecas não existe. E bananas, claro. Minhas amadas bananas. Serão apenas duas semaninhas, bem curtinhas, em que comerei apenas os carboidratos provenientes de legumes e vegetais, de frutas com menor teor de carboidratos, darei uma reforçada nas proteínas (olá, ovos mexidos no café da manhã) e um tempo nos grãos, cereais e frutas mais doces. Pois se o treino funcional me deu um susto nas coxas, agora eu darei um susto nos meus pneuzinhos!
Bife com salada, aí vamos nós.


Friday, October 10, 2014

Supermercado Frugal

Então hoje é aquele dia eufórico em que fico feliz pois chegou o vale-alimentação: já busquei cesta orgânica, já passei no outro mercado atrás de outros orgânicos, já abasteci o carro... Até amanhã ainda devo comprar os itens de limpeza e fazer recarga no celular.
Nestas semanas, fui pouco ao mercado. E quando fui comprei somente aquilo que era necessário para o dia, tentando assim diminuir o desperdício (diminuiu, mas não terminou).
Nesta compra no entanto considero que não fui lá muito frugal, não: comprei queijos, frios, e um leite de coco orgânico que me custou  a bagatela de R$7,90. Nesta semana, por ter atingido um platô de peso farei um intensivo lowcarb e por isso comprei queijos e presunto (porque ovos e bacon no desjejum não admito).
Neste mês, não cheguei até o final dele utilizando os vales. Para compensar, comprei pouquíssimos itens após. Neste mês, observarei carinhosamente a possibilidade de conseguir esta façanha. Oremos.

Wednesday, October 08, 2014

This girl is on fire

Ando com muita queimação/azia, mas nenhuma dor de estômago. Como sou uma pessoa precavida, irei a um gastro, mas nem sei por onde começar a procurar. 

Tuesday, October 07, 2014

Suco vermelho: parte de um café da manhã saudável

Estou para mudar de nutricionista mais uma vez, pois a minha está indo embora da cidade. Mas fiquei de agendar consulta somente em novembro, pois antes disso estarei enfiando meu pé em jacas chilenas. Então sigo de forma informal algumas receitas da última nutri, e uma delas que me passou logo no início foi o suco vermelho. Ele contém beterraba, algo que não aprecio muito e sempre mofa na última gaveta da geladeira, mas nessa receita fica ótimo! Um gostinho bem fraco e uma cor maravilhosa, além da competitiva vantagem de ser consumida crua.

SUCO VERMELHO

1 beterraba pequena
1 fatia pequena de melancia
1 limão
1 folha de couve
água

Bater tudo no liquidificador. Se coar, adicione uma colher de sementes de chia ao final. Também costumo adicionar hortelã e fica mais gostoso do que já é.

Monday, October 06, 2014

As simplicidades felizes do amor

Passei o final de semana inteiro com sonolência, tendo tido alguns episódios de indigestão intercalados com uma crise de enxaqueca. Dormi sonecas esquisitas no meio do dia, tive sono em horas inapropriadas e de manhã, com os primeiros raios de sol, estava desperta e queria levantar. 
Entre levantar e deitar, entre comer sem vontade, episódios febris (não meus, dele), sonolências e compromissos de ambos, redescubro o prazer de poder estar em sua companhia durante dois dias inteiros e três noites, mesmo que sem grandes eventos acontecendo, mesmo com episódios aqui e ali de saúde desfavorecida, não posso evitar de olhar sem parar seus olhinhos doces e pretos de brigadeiro, mesmo quando fechados ainda e se espreguiçam feito um gato no sol, esticando cada pequeno traço de sua linda face. Tem calor próprio e sorriso feliz, mãozinhas quentinhas e macias, e quando vejo estou ali enredada numa situação da qual não quero sair, em que sinto falta de sua companhia silenciosa. Mesmo quando estamos em nossos não-melhores momentos, como no final de semana que passou, em que às 23h de sábado ele lia seus textos no computador enquanto eu arrumava gavetas em outro cômodo, sentia-me feliz por sua presença gentil e tranquila, e torcia para que nunca acabasse aquele sábado a noite, ou as gavetas para arrumar, ou os textos dele para ler. Estou irremediavelmente apaixonada por sua simplicidade e por seu afeto, me tornei assídua frequentadora deste país de felicidade em que sua presença me transporta independente de quaisquer outros fatores. Sinto-me como uma casa, habitada por pessoas solares e por flores como aquelas que me traz de suas incursões pelo meu bairro. 

Para se concentrar, é preciso se desafiar

Nesta semana, decidi que preciso solucionar o sedentarismo quase que total com o qual ando fazendo pouco-caso. De modos que preciso fazer caminhada, preciso fazer, senão, outubro se vai e nada de eu andar. Desafio desta semana é: caminhar todos os dias, nem que seja por meia hora.
Analisei meu calendário da semana e já agendei horários:

segunda-feira: 19h 
terça-feira: 15h
quarta-feira: 19h
quinta-feira: 19h
sexta-feira: 8h
sábado: 11h
domingo: 11h

Estou muito resistente a fazer, mas ao mesmo tempo, sei da necessidade. Vamos a isso, então, o desafio será grande porque a recompensa também o será!
Ah sim, recompensa: utilizei isso como forma de dizer, mais no sentido moral, mas acabo de decidir que, caso eu consiga cumprir o desafio, poderei comprar um livro novo - no meu vale-alimentação, é claro, sem impacto financeiro.

Locais a evitar: centro da cidade

Então estou aqui vivenciando meu outubro concentrado, o mais concentrada que consigo, mas com meus pequenos problemas de organização me pregando peças. Na sexta-feira, fui fazer exames oftalmológicos pois pleiteio uma cirurgia que elimine a necessidade de lentes corretivas de minha vida, e tendo terminado cedo, fui mandar fazer meus óculos. Mandei fazer numa ótica dentro do camelódromo (sim, uma ótica, com oftalmologista tudo direitinho, mas claro que por via das dúvidas pedirei para minha médica olhar se eles ficaram ok)e fui caminhando pelo centro. 
Entrei na livraria e quis comprar três livros, passei numa vitrine de loja de bijuterias finas e quis logo três brincos, olhei também uns óculos escuros e quis comprar, só mesmo as vitrines de roupa não me seduziram. Daí quando me cansei de tanto olhar tantas coisas, e não tendo levado nada para comer, fui ali no sushi roots e jantei. A verdade é que eu andava seca por um sushi. 
Consegui voltar para casa quase incólume, só tendo providenciado meus óculos e jantado, mas com a sensação de culpa por não ter providenciado alimentação que evitasse isso. Ali no centro eu vi que a melhor coisa que faço é me manter bem longe, porque nunca vi um lugar com tantas coisas para se comprar.

O primeiro torrão

Sábado fui fazer campanha eleitoral (meus candidatos arrasaram na votação, mas nenhum se elegeu) na esquina democrática e lá permaneci durante cerca de 2h. Foi o suficiente para que meu rosto e meu colo adquirissem um vermelho e um ardor que demorei a identificar como queimadura de sol, pois nesse dia eu havia tido alguns outros problemas de saúde (a famigerada enxaqueca). Quando acordei horas mais tarde e continuava vermelha, foi que entendi que havia pego meu primeiro sol. E fiquei feliz, pois lembrei que terei férias em novembro e poderei pegar muito mais sol.
Até porque esse sol de primavera anda muito mixuruca: muito vento, frio e chuva concomitantes.

Thursday, October 02, 2014

Geladeira vazia, coração cheio


Meu namorado, ao contrário de mim, é pior que um adolescente de 14 anos campeão estadual de basquete, devora tudo que vê pela frente e não sofre de falta de apetite. Considerando isso tudo, e que haviam bananas maduras demais na cesta de frutas, resolvi adiantar o nosso lado e fritar umas panquequinhas funcionais de banana, para substituir o bolo rápido que é de sua predileção mas para o qual faltava a farinha correta. 
Pois bem, fritei panquecas (renderam 6), comi metade de uma e deixei as demais esfriando dentro de um pote, para então guardá-las na geladeira. Ao chegar, eu estava batendo um suco verde de abacaxi para não dormir de estômago vazio, e já arrumei sócio no meu suco. Porção maior minha, menor dele. Antes de dormir, já com tudo apagado, ouço uma voz lá na cozinha perguntando se o que tinha dentro daquele pote destapado sobre a pia (erro meu) eram panquecas, e se ele podia comê-las, 'só uma'. 
Tendo comido as panquecas e guardado as demais na geladeira, acordou como sempre mais tarde que o necessário e, depois de sair correndo atrás do prejuízo escuto o nítido e inconfundível som do pote hermético das panquecas se abrindo.
- Não acredito que mesmo atrasado você parou para me roubar as panquecas!
- Só mais uma, só mais uma! (entre risos). 
Bateu a porta, foi-se embora. Sobraram duas para mim, uma que já comi hoje de manhã, a outra como daqui a pouco quando chegar em casa. Funcionais, livres de gluten, saudáveis e gostosas, recomendo para quem quer cuidar da saúde ou adoçar a boca de homem faminto.


PANQUECAS FUNCIONAIS DE BANANA

3 bananas bem maduras
1 ovo
meia xícara de água
8 colheres de sopa de farinha sem glúten
1 colher de sopa de aveia em flocos
3 colheres de sopa de açúcar demerara
1 pitada de baunilha em pó
1 colher de sopa de fermento químico
1 colher de sopa de óleo de coco
1 colher de sopa de sementes de chia


MODO DE PREPARO:

Corte as bananas em rodelas, adicione o açúcar e amasse tudo bem com um garfo, para criar aquela gosminha doce de banana. Adicione todos os demais ingredientes, com exceção do óleo de coco, pois ele serve para fritar: aqueça uma frigideira de teflon, e coloque uma quantidade pequena do óleo: espalhe com um pincel de silicone, com papel-toalha ou até mesmo girando a frigideira com paciência. Espalhe a massa, girando a frigideira, até que forme o disco do tamanho que você deseja (usei o diâmetro do fundo da frigideira como meta). Quando tiver bolhinhas na superfície, cutuque com uma espátula e vire para o outro lado, deixando pouco mais de 10 segundos desta forma. Coloque num prato com toalha de papel para absorver gordura, mas, experiência própria, quando se termina há muito pouco a absorver: como eu apenas untei de leve a frigideira, o óleo não sobra, não queima, e basta ir renovando as pouquinhas quantidades outra vez quando for a próxima panqueca. Termina com a frigideira limpa e a casa cheirosa. Renderam 5 panquecas médias.

Wednesday, October 01, 2014

Salva as coxinha da menina!

Treino novo pega pesado no equilíbrio e coordenação motora (isso, aquele que não tive nem quando criança e poderia desenvolver se persistisse), além de aumentar a carga e peso e me deixou com as coxinha tudo em pandarecos. Nível: cancelei o consumo de água porque não tá fácil agachar até a privada por um xixi.

Projeto Outubro Concentrado e as primeiras dificuldades

Apesar de hoje ser o primeiro dia de outubro, estou em concentração desde segunda-feira, na realidade domingo, data que contava os 30 dias faltantes para a viagem ao Chile. Na segunda-feira já comecei a sentir as dificuldades de não se consumir num mundo consumista, e notei que andava querendo comprar um picolé, um bombom, queria ter ido almoçar na padaria (coisa que farei, porém somente após o dia 10 com meu vale alimentação), um chiclete... E acabei foi almoçando um sanduíche feito das sobras de domingo, lanchando uma maçã, um abacaxi esquentado no microondas (ficou bem docinho) e a vida seguiu. 
No dia seguinte, eu tinha outra meta: fazer feira com somente R$10 de orçamento, conforme o meu supermercado frugal! Fiquei feliz porque fiz uma lista, me ative a ela e voltei para casa tendo gasto R$9,70!
Na segunda-feira mesmo, tendo comido pão francês que sobrara do meu domingo, pensei um pensamento comum às segundas: já fugi da dieta mesmo, vou pedir uma pizza e recomeço amanhã. Fiquei muito feliz por me estapear mentalmente e lembrar que eu não devo gastar com pizza! De quebra, uma pizza a menos adentrou esse corpinho...
Hoje à noite farei uma caminhada. O tempo estava muito chuvoso e não me permitiu isso na segunda e nem ontem. Digo isso sorvendo um chá de hibiscos com gojiberry que coloco dentro, pois já que quero me concentrar na saúde, voltei a consumir as magias naturebas que comprei no passado.
Por enquanto minha motivação tem sido ainda maior que as tentações. Deve ser porque estou feliz demais! Passei a noite de sábado comprando produtos de limpeza para um local que não minha casa e a tarefa era selecionar os itens mais baratos - e ir somando conforme ia colocando no carrinho, assim, não extrapolaria o orçamento que tinha. Parece chato, mas me diverti imensamente, porque fiz essa tarefa inglória bem-acompanhada! 
A companhia muda tudo mesmo :)

Blog Archive