Total Pageviews

Tuesday, July 01, 2014

A lenda de Rudá, o Deus do Amor

Tempos atrás tive que tomar conhecimento dessa lenda indígena, assim, me contado por transmissão oral - como aliás ficamos conhecendo tantas e tantas histórias e lendas. Fui atrás de ler sobre ela e achei o seguinte:

No começo havia a escuridão. Então nasceu o sol, Guaraci. Um dia ele ficou cansado e precisou dormir. Quando fechou os olhos tudo ficou escuro. Para iluminar a escuridão enquanto dormia, ele criou a lua, Jaci. Ele criou uma lua tão bonita que imediatamente apaixonou-se por ela. Mas, quando o sol abria os olhos para admirar a lua, tudo se iluminava e ela desaparecia. Guaraci criou, então, o amor, Rudá, seu mensageiro. O amor não conhecia luz ou escuridão. Dia ou noite, Rudá podia dizer à lua o quanto o sol era apaixonado por ela. Guaraci criou também muitas estrelas, seus irmãos, para que fizessem companhia a Jaci enquanto ele dormia. Assim nasceu o céu e todas as coisas que vivem lá. (fonte)


Fico aqui elucubrando sobre tudo o que o sol criou para poder amar de maneira plena: as estrelas, o deus mensageiro, e que tipo de mensagens que mandava para a lua. Se enaltecia sua beleza quando cheia, ou se quando minguava, e de que forma que esse mensageiro transmitia esse amor. O mensageiro que leva mensagens de beleza, de amor, de luz e de escuridão me deixa hipnotizada por sua doçura - de olhar, de carregar as mensagens pelo mundo afora, de viver nas nuvens e de brilhar mais que o sol, mais que a lua, de ser suave como as nuvens, de trazer a chuva junto consigo e de ser uma fonte de calor inesgotável. Aquece o corpo e a alma com palavras, gestos e mensagens, sorrisos de material cintilante e olhos pretos de bondade. Olhos de generosidade e de calor. Do mensageiro do amor!

1 comment:

Bah said...

Qual a versão grega da história?

K!

Blog Archive