Total Pageviews

Monday, May 19, 2014

As amizades por poder aquisitivo

Meu salário de concursada pública de ensino superior em empresa pública federal sem filhos pra criar me propicia uma vida confortável. Eu vivo enfiada em enrascadas, mas isso é mais culpa da minha desorganização do que do dinheiro em si. Mas enfim, esse meu salário enquanto não tenho sérios compromissos familiares e financeiros faz com que eu possa sair, viajar, comprar umas coisas, topar os convites que recebo sem fazer contas antes. Isso faz com que eu ande com pessoas cuja preocupação com o dinheiro seja assim também, menor.
Esse mês, no entanto, tendo tido 15 dias de pagamento descontados, estou amargando para sobreviver até o dia 30 com menos de R$100 para fazer tudo. E para meu azar, deu-se isso numa das épocas em que estou mais ocupada, mais precisando me locomover e gastar com combustível, mais preciso comer fora, etc.
Daí que recentemente estou andando muito com o pessoal de minha repartição, não os que trabalham diretamente comigo, mas os que trabalham na mesma empresa. E como todo mundo recebeu o desconto, todo mundo fica calculando mil vezes o que fazer. 
E dessa dificuldade financeira, surgiu solidariedade e companheirismo, para a gente se divertir na medida do possível e do jeito que dá, fazer o que precisa ser feito, e sem constrangimento financeiro. Todo mundo com o mesmo problema, vai criando uma aproximação maior também por dividir o mesmo problema, ainda que momentâneo.
Nestes dias, tenho aprendido muito com essa experiência, e enquanto repenso com o que gasto meu dinheiro e se é ou não importante, também repenso que algumas mudanças desse tipo acabam por exigir uma mudança de relacionamentos. Mas isso é assunto para outra postagem.
Estou sem um centavo no bolso, mas rodeada de gente amiga. E nem fez tanta falta assim os programas que costumava fazer menos de um mês atrás.

2 comments:

Cristiano said...

E nos apertos a gente ve quem é amigo ou colega.

Bah said...

Sua revolucionária uahuahaua

Kisu!

Blog Archive