Total Pageviews

Wednesday, April 16, 2014

Quando a expectativa excede a realidade: Kimchi

Omelete funcional com kimchi por cima, e saladinha ao lado

Acho que de minha dileta audiência quem tem mais chance de apreciar e comentar este post é a Bah, que provavelmente conhece bem do que estou falando quando falo de kimchi. Escutem só minha história com ele e vejam só como eventualmente o mundo é bom para nós.
Eu ouvi falar de kimchi pela primeira vez neste post aqui, do mandatário em minha vida La Cucinetta, grande responsável por diversas obsessões que desenvolvi ao longo de meu percurso foodie. Quando li, impossibilitada de comprar o meu próprio kimchi, namorava a ideia de, assim que esfriasse, poder fazer eu mesma o meu kimchi, pois estava calor demais. E eu faria uma adaptação com páprica doce, que pela cor me parecia o mais correto, porque não me vislumbrava tendo acesso às pimentas coreanas.
Ocorre que em seguida de eu guardar essa pequena obsessão aqui comigo, tive uma viagem para São Paulo e fui obrigatoriamente na Liberdade e bater um papinho com meus amiguinhos chineses, a linda e tímida família que me atende sempre muito bem. E liguei uns dias antes contando que eu ia, e que queria comer kimchi. Então a velhinha me disse que tinha 'kimutchi' lá em vidro, mas que era japonês, e chegando lá, comprei e trouxe para casa. Usei como molho de pimenta, mas ainda não estava lá muito satisfeita; o rótulo me dizia em português que eu poderia colocar aquele molho todo numa conserva de acelgas, e eu guardava o vidro para o frio pensando nisso.
Meu primeiro kimchi, japonês

Eis que lá em Buenos Aires, futricando num mercadinho qualquer do barrio chino, encontro essa maravilha de vidrinho cheio de legumes dentro, por um valor de mais ou menos R$10. Comprei apenas um por causa do peso da mochila, mas não tinha chegado nem no ônibus ainda e já morria de arrependimento de não ter trazido no mínimo dois. Quando abri em casa, me deliciei: pimenta, alho e gengibre determinam o sabor das conservas que sim, mantêm-se crocantes, e fica tudo uma delícia com elas - mas bem salgado, reconheço.

E o meu lindo kimchi coreano, já mais ou menos pela metade
E ontem, tendo que fazer um omelete funcional para meu jantar, e tendo tido um bolo de uma amiga para um temaki no jantar, olhei o vidro de kimchi e resolvi que, já que não tinha tido temaki, pelo menos eu comeria algo com tempero oriental (eu acho omeletes muito sem graça, não importa o seu recheio). E mandei ver duas colheradas bem distribuídas de kimchi por cima do omelete, e ainda postei no instagram meio culpada que havia comido kimchi com o omelete. Sabia que não tinha glúten, lácteo nem cítrico ali, então, apenas estava comendo algo trash. Um deslize.
Mas eis que hoje, procurando na internet o valor energético do kimchi para poder lançar  no fatsecret (o aplicativo que eu uso para registrar peso, refeições e receitas), descubro que o kimchi é famoso por ser uma das coisas mais saudáveis que os orientais comem. Que uma colher de sopa tem 20cal. E que inclusive tem virado meio que modinha justamente por causa dessa variedade nutricional toda. E não é que ontem eu não fiz nada errado? E que podia ter comido kimchi de boa?
E vou comer muito mais daqui por diante: por cima dos omeletes quando forem seus dias, mas também com arroz, ovo frito e cebolinhas. E com torradinhas sem glúten. E como finalmente esfriou, estou paquerando a ideia de comprar acelgas, cenouras e preparar o meu próprio kimchi com o vidro de molho que comprei na Liberdade. E... lá vou eu revirar mercadinhos orientais atrás de conservas de kimchi com os legumes dentro.
Experimentem!

2 comments:

Bah said...

Hmmm não sou muito fã de Kimchi não.. aliás, é um prato coreano, diga-se de passagem (muita pimenta e condimentos, é coisa de coreano auhauahua)... vc pode fazer em casa em vez de comprar conservas prontas.

Esse link parece ser bom:
http://portal.konbini.com.br/receitas-orientais/receita-kimchi-conserva-coreana-de-acelga-apimentada/

KisU!

catarse cotidiana said...

Vou provar só por curiosidade... Porque pratos orientais não me apetecem.

Blog Archive