Total Pageviews

Thursday, April 24, 2014

Casapueblo - Punta Ballena

A única foto minha do post, rs, tirei de uma varanda lateral

Iniciei a escrever o relato da parte Punta del Este da viagem, que foi a mais curta, e já estou levando horas para isso. De modos que resolvi segmentar mais uma vez e falar do meu passeio predileto no Uruguai inteiro, que foi conhecer a linda Casa Pueblo. Se alguém fizesse a crueldade de me dizer que eu só poderia conhecer um lugar lá, certamente seria este. Evidentemente, motivos muito emocionais me fazem escolher desta forma, mas realmente para mim aquela casa é o símbolo do melhor do Uruguai: o pôr-do-sol impressionante, o silêncio e a poesia que parece existir pelo ar. 
Em primeiro lugar, quero lhes relembrar uma coisa muito gostosa da infância, que me remete a um período tão longínquo da vida que não tenho praticamente nenhuma outra lembrança. Acho que o primeiro jardim de infância ou o segundo que fui na vida ficava no centro da cidade e numa apresentação de final do ano, a gente apresentou uma coreografia da Aquarela. Eu acho incríveis as músicas de Toquinho e Vinícius 'para crianças', embora não sejam apenas para crianças. Sem mais tergiversações, quem nunca cantou a música abaixo?



E talvez já tenham escutado a versão em que Vinícius a termina cantando: mas era feita de pororó/era a casa de Vilaró. Tentei achar esse vídeo mas na corrida do horário de almoço em casa, faltou esse detalhe. Então que sem mais delongas, lhes relato que Carlos Paes Vilaró é um artista uruguaio daqueles multifacetados, que fez poesias, pinturas, esculturas e também fez a linda Casa Pueblo, toda construída a mão, e por isso mesmo, bastante irregular e incrivelmente bela. Eu já havia visto diversas fotos da casa, e tinha certeza que precisava ir, mas jamais estive preparada para conhecer uma pessoa tão especial. 

Aéreo da casa, que eu peguei da internet e não me recordo mais do site

'Conheci' através de sua obra, de sua casa, de suas pinturas e objetos, pois infelizmente Vilaró morreu algumas semanas antes de eu ir para lá, o que deixou el paisito inteiro de luto, além de vários amigos famosos mundo afora. Assisti alguns vídeos e entrevistas, li alguns de seus escritos e morri de vontade de comprar um livro seu, sobre uma tragédia que ocorreu anos atrás quando um de seus filhos desapareceu no Chile num acidente de avião (o rapaz foi reencontrado mais tarde) - mas era caro, caríssimo (para o que eu pretendia pagar). Gostei das pinturas, vi objetos muito engenhosos, mas me apaixonei perdidamente pela casa, e pela sua voz tranquila e meio zombeteira, que só pude ouvir gravada. 
Objetos interessantes e curiosos no interior, foto também da internet
Passear por Casapueblo leva bastante tempo pois a casa é grande, cheia de detalhes interessantes, e sempre muito cheia também. Ao final do dia, quando o sol se põe, todos os visitantes se posicionam para assistir o pôr-do-sol ouvindo um poema que Vilaró fez, uma saudação ao sol cheia de versos impressionantes e que mostram um pouco de sua personalidade incrível. No vídeo abaixo, vocês podem ver o poema e o pôr-do-sol, emocionante e que me fez chorar feito criancinha. E mesmo hoje ouvindo, quando chega no meu verso preferido, não consigo evitar (nadie ignora que perteneces a todos, pero que prefieres dar tu calor a los más necesitados, los que precisan de tu luz para iluminar sus casitas de chapa, los que reciben de tí la energía para afrontar el trabajo, los que piden a Dios que nunca les faltes, para enriquecer sus plantíos, y lograr sus cosechas. Es que vos, Sol, sos el pan dorado de la mesa de los pobres)



Bueno, se vocês não choram é porque não têm coração :P. Para terminar, alguns detalhes:
- a casa fica numa cidade próxima de Punta del Este, chamada Punta Ballena, e por isso muita gente opta por se hospedar na cidade mais turística. No entanto o deslocamento é ruim, poucos ônibus e ainda caminha um pedaço, então dividir táxi, alugar carro ou mesmo contratar citytour pode ser bom;
- o ingresso da casa custa 150 pesos uruguaios, mais ou menos R$20 a inteira;
- lá dentro tem café, livraria, lojinha que vende pinturas e reproduções lindas. Se curtir o artista, leve dinheiro;
- para assistir o pôr-do-sol, as pessoas vão se posicionando bem cedo nos melhores locais, então chegue mais cedo para ver toda a casa com calma e depois poder sentar num local interessante para ver. Isso se aguentar, eu fugi porque me doeu as vistas.

1 comment:

Bah said...

Que linda foto! Não sei pq, mas me lembra muito Santorini, na Grécia..

Kisu!

Blog Archive