Total Pageviews

Monday, December 09, 2013

O japonês metódico

Eu até hoje não contei nada de minha viagem para São Paulo porque ela me preencheu de uma forma difícil de lidar. Em todas as minhas conversas recentes, em tudo no meu cotidiano tem algo dessa viagem para mencionar, e até agora não organizei direito as memórias para poder relatar no blogue. Acho que contar uns fragmentos pode ser mais fácil que organizar um relato cronológico.
A isso, então.
No sábado dia 16/11 a nossa programação era ir para a Liberdade, na feirinha, comer e comprar ingredientes asiáticos. A feirinha no sábado não tem a mesma interessância de domingo, ou talvez a gente não estava com o olhar apurado. Parecia uma feira de bugigangas encontráveis em qualquer feira do Brasil, com poucos elementos mais orientais, e por isso, acabamos não nos demorando tanto nela.
Comprei alguns artesanatos para dar de presente, minha amiga para sua casa, mas não poderei fotografar porque são presentes de Natal. 
Quanto aos ingredientes, só tenho essa foto:

Parte singela de meu processo de loucura

Sabendo que eu ia gastar os tubos com comida, bebida, com o que mais surgisse, tratei de procurar algum mercadinho na liberdade que aceitasse meu vale alimentação. Cheguei inclusive a telefonar para vários deles, quando então parei de ser burra e fiz o caminho mais simples: entrei na rede credenciada da Sodexo e vi por lá quais eram os estabelecimentos da Liberdade que aceitavam meu cartão. Anotei diversos endereços e, num deles, lá embaixo da Galvão Bueno, bem depois de todo o furdunço passado, estava a pequenina Mercearia Kosaka. Pequena mesmo, menor que uma padaria, mais ou menos do tamanho dessas lanchonetes de centro, sabem? Dois pequenos corredores com tudo, alimentação e limpeza. Sem funcionários, só a pequena família. Mas para minha sorte, em primeiro lugar, aceitava mesmo o cartão, e em segundo lugar... Tudo dentro daquela pequenina loja era objeto de meu desejo.
Apanhei a cestinha e iniciei uma sanha compulsiva e sem reflexão nenhuma de pegar tudo que achei fofo, neném, curioso, interessante, exótico ou que por ventura pudesse ser saboroso. Transbordei a cestinha de chás, temperos, lamens, molhos, chicletes, e mais um lote safado de biscoitos Koala. 
O menino do caixa riu de mim e minha empolgação, enquanto ia colocando os objetos de fora da cestinha no balcão para passar. E quando vi a maneira metódica e organizada dele tirar as coisas para me cobrar, não tive dúvidas. Lancei:
- Moço, você poderia arrumar minha bolsinha para eu levar embora viajar, né?
- Arrumo, sim! (todo sorridente de olhinhos apertados)
E foi assim que encontrei a bolsa mais bem arrumada de minha vida, numa organização tão perfeita que, por pouco, não esvaziei a despensa inteira e enfiei a bolsa lá dentro, do jeitinho que ele me arrumou. No fim obviamente a desfiz, e ainda hoje, quase um mês depois, sigo numa temporada de comidas asiáticas longe de terminar. Porque tem muito o que comer, e porque gastei quase R$300 de vale alimentação num monte de coisinhas deliciosas e exóticas. E a cada vez que me delicio com uma salada de vermicelli (macarrão vietnamita muito curioso e delícia), recordo os bons momentos passados lá na Liberdade e no feriado como um todo. :)

4 comments:

Cristiano said...

No minimo curioso vc se empolgar por um macarrão vietnamita! O doido disso q varias pessoas podem viajar para o mesmo lugar, mas sempre vão contar a viagem de forma diferente.

Taís Moreira said...

AMO a Liberdade, e também sou dessas de se jogar nos mercadinhos e "contrabandear" quilos de comida! kkkkk Da próxima vez que for, procura os marshmellows do Snoopy, são os melhores! Beijão da Bruna.

Neanderthal said...

Oi lindona, eu vi em algum lugar que vc estava em Sp. Foi vc voltar pra casa, que eu fui pra lá! Não tinha como ir antes...
Mas agora que passarei os próximos 4 anos morando lá, eu adoraria tirar uma tarde para conhecer as feirinhas como a da liberdade e a da praça da república contigo!
Que tal?
Beijos

Bah said...

Que delícia poder consumir as delícias nipônicas rs.
Será que isso atiçou a sua vontade de visitar o Nihon?

Kisu!

Blog Archive