Total Pageviews

Monday, December 09, 2013

A tosse do amor

Há algumas semanas venho amargando uma tosse que me dobra ao meio em alguns momentos, tamanha a força dos acessos. Isso se deve ao fato de eu pouco dormir, mal comer, viajar muito, e viver noites e mais noites atormentada por pensamentos incríveis mas desestabilizadores. 
Estou relendo O Amor nos Tempos do Cólera, que embora esteja anos-luz de distância da obra prima de Gabito, é realmente muito bom. Leio sobre Florentino Ariza vomitando pelas sarjetas enquanto sua de febre pensando em Fermina Daza, e sobre o desespero de sua mãe pensando que ele havia contraído cólera - mas era só amor.
Penso que minha tosse vem com tamanha força porque cada acesso é uma declaração de amor que meu ser tenta gritar e eu teimo em silenciar. Tossindo apaixonadamente, receio que contraí a tosse do amor. Enquanto sigo gelada do suor da tosse que me atormenta, morro de pavor que um dia a tosse saia de mim.

3 comments:

Neanderthal said...

Eu lí esse romance pela segunda vez neste ano e foi uma redescoberta.
Na primeira vez eu sofri junto com Florentino Ariza. Desta vez, o achei um chato e ela acertou ao casar com o Dr. Juvenal Urbino. Acho que isso é um sinal do meu amadurecimento emocional.
Inclusive, ví o filme no cinema e chorei horrores no final. Saí com a maquiagem toda borrada!
Vale a pena!

Neanderthal said...

Aliás, acho que sua escrita metafórica diz alguma coisa sobre sua vida intensa. Non?

Bah said...

Preciso criar vergonha na cara e voltar pra academia e ler meus livros... pena que eu conciliei um com o outro. Então se não vou à academia, acabo não lendo livro nenhum rs.

Kisu!

Blog Archive