Total Pageviews

Monday, October 21, 2013

Projeto Money for Nothing - semana 2!

Segunda semana, e cá estamos novamente com um balanço todo positivo! Preciso confessar uma coisa muito séria, eu estou muito mão fechada e pão dura! Nessa semana, fiz uma análise financeira da melhor forma de comprar meu remédio de vermes, e ponderei que deveria comprar em dinheiro, aproveitando um desconto de farmácia que recebo, que me fez pagar R$18 num remédio que custaria em geral R$48. Não alterei a fatura do cartão, mas sabe quando você fica com apego com algo? Assim estava eu com meus 18 reais, não queria gastar!
Hoje acordei 4h30 da manhã. Panfletagem numa fábrica da região, contra o leilão do petróleo. Daí no caminho de volta, dando carona a uma amiga, comentei que meu omeprazol tinha acabado, e eu só ia poder comprar à noite, por causa do trabalho. Adivinhem só: ela tinha várias cartelas em casa, de um tratamento que fez, e me doou! Tudo dentro da validade, tenho meu remédio sem precisar pagar por ele! Isso é, para os crédulos, Jesus abençoando os atos contra o leilão! rs
Nessa semana, ainda, eu finalmente fiz o meu planejamento de custos para a viagem do feriado em SP. Calculei transporte, hospedagem, estimativa de alimentação, compras e transporte lá. Foi muito bom ter juntado tudo, sabem? Isso me deu a noção de quanto eu já havia gasto para simplesmente estar em São Paulo durante dois dias, e assim não me empolgar tanto no orçamento restante. Considerei que vou poder estar nos restaurantes e bares que eu mais gosto, e que esse é o foco da viagem, não comprar coisas. E consegui finalmente diminuir o orçamento das compras, apoiada neste pensamento.
Quanto a esta semana, a primeira coisa a se anunciar é que viramos finalmente a fatura do cartão! Isso não significa, de maneira nenhuma, que estou liberada a consumir novamente, mas eu precisava de um respiro. Respiro para mim significa comer sushi, e é isso que devo fazer ainda essa semana, comer no restaurante de sushi que eu gosto. É a saída autorizada do mês!
Hoje também é o dia do retorno à academia, e pagar a mensalidade, coisa que protelei por dois motivos: estou ainda com dores da batida de moto, e esperava a fatura do cartão virar. Mas apesar da dorzinha no pé, chata mesmo, sinto que já posso fazer no mínimo a minha série de musculação, e fazer bicicleta como atividade aeróbica, ao invés de fazer esteira, que força mais o pé. Sobre o pé, eu estava tomando um determinado remédio, e o médico me passou outro no meio da semana passada. Não comprei, porque era remédio para a dor, e eu queria tomar menos remédios à toa (quero remédio para a causa, não para o sintoma), e porque não queria gastar dinheiro com isso. A mesma coisa com relação às cólicas por causa dos vermes: se eu já estava tratando a causa, não ia comprar analgésico para cólicas. Isso não é negligência com minha saúde, mas sair um pouco da zona de conforto em que tudo precisa ser resolvido em no máximo 12h – e comprando uma pílula. Complexo, sabem?
No mais, aqui na repartição queriam cobrar de mim os R$5 que cotizo para a água mineral. Convenci-os de que tendo feito 22 dias de greve, e não tendo portanto bebido água, não deveria pagar (quando estamos de férias ou licença a cota da pessoa é suspensa – usei o mesmo critério).
Daí sábado resolvi ir tostar as pelancas na praia, e ao contrário do que costumo praticar, não fiquei em nenhum bar. Combinei com as amigas que iria desde que fosse na farofa, e foi o que fiz: R$13 por cerveja, água e sanduíches. A única coisa que me chateou foi que fui num mercado que não aceitou meu vale, e isso estava fora do meu plano. A pão-durice se mudou para cá, vêem?
Saldo da semana: zero aumento no cartão e R$31 a menos na conta (R$18 do remédio e R$13 da farofa na praia). Em tempos normais, seria pelo menos uns R$100 entre ir à praia e comprar os remédios. De modos que me considerarei satisfeita!                                                                                   
Tarefa para a próxima semana: preciso conferir a minha folha de pagamento, que sai por esses dias no RH 24 horas, e conflitar com as despesas do mês. Também preciso arrumar um tempinho para ir à imobiliária do meu apartamento, pois estão cobrando um rateio no condomínio, no valor de R$30, que devo cobrar do proprietário. Simbora!

2 comments:

Neanderthal said...

De fato, vc está radicalizando na economia mesmo! Mas devo confessar que tbm odeio gastar dinheiro com remédios por exemplo. Tem coisas que eu não gosto de pagar e ponto! Eu pago o telefone super contrariada e não por ser uma conta, mas por ser por um serviço que só me causa dissabores.
Mas o importante é que vc vai equilibrar as contas e viajar!

Taís Moreira said...

parece q está indo bem!!! eu q preciso puxar o freio nas compras online!

Blog Archive