Total Pageviews

Monday, August 12, 2013

Filme: Soul Kitchen

Tudo que fala de comida me interessa, seja livro, seja filme, seja uma pessoa, programa de TV, revista, rótulos e muito mais. Há algum tempo atrás, num grupo do facebook que eu participo (sobre comida óbvio), o pessoal começou a listar os filmes que tratam de comida, direta ou indiretamente. Desses eu tenho uma pueril preferência pelo Ratatouille. Fui assistir Soul Kitchen por causa disso.
Baixei o filme, mas só encontrei legenda em inglês, e achei que não seria um problema. Reconheço que foi um pequeno problema em alguns momentos, e no final fiquei até um pouco insegura, pensando se tinha perdido algum lance importante da história por ter visto assim. Daí que fui ler as resenhas das pessoas e percebi que entendi o filme direito. Preâmbulos findos, vamos a ele...
Soul Kitchen é o nome de um restaurante xexelento na periferia de Hamburgo, que serve uma comida sofrível e que todo mundo conhece: todo mundo conhece aquela lanchonete com balcão eternamente grudento de gordura, louças feias, ingredientes baratos, tudo frito no mesmo óleo, preço pagável. As pessoas vão lá matar a fome e ir embora, quem nunca? Parece com qualquer lanchonete de posto de gasolina ou de rodoviária. 
Daí que o mocinho, Zinos, o dono e cozinheiro do Soul Kitchen, tem uma travada nas costas e por isso fica sem conseguir cozinhar. Na mesma noite, ele vai num restaurante fino com a família da namorada, e um chef é mandado embora por discutir com os clientes. Eles conversam e alguns dias depois, o chef assume a cozinha sofrível do Soul Kitchen, reformulando completamente o menu, o público-alvo (os anteriores ficam revoltadíssimos), e aos poucos, o ambiente. 
Enquanto isso vai acontecendo, tem outros dramas se desenrolando: a dor de Zinos nas costas, o relacionamento dele com a namorada, o relacionamento dele com o irmão, com o inquilino, com um amigo de infância e com o chef. As histórias são todas dali, daquelas pessoas que orbitam à volta do Soul Kitchen, e ali elas se sustentam, se conhecem, se apóiam, se relacionam. Os personagens são na minha opinião bem consolidados, não deixa dúvidas sobre o caráter de ninguém, e você meio que vai adivinhando o que vai acontecer na cena seguinte. Na verdade, a história não tem absolutamente nada de surpreendente, as coisas vão se dando numa seqüência bem óbvia, mas muito, muito divertida. As cenas são engraçadas de um humor meio tragédia, e eu ri compulsivamente quando Zinos e o irmão fogem do incêndio que eles mesmos causaram no apartamento dele. Zinos e suas dores também rendem risadas muito fáceis. 
O final do filme é uma irrelevância: um pouco de resgate de algumas coisas que ficaram mal resolvidas no meio do filme e felicidade no amor. Final feliz. Mas apesar de ser assim, tão pouco profundo, não é aquela comédia hollywoodiana clássica, o que a torna mais divertida e menos fantástica (no sentido de fantasia, de longe do real). As pessoas do filme são reais, os atores são reais, não têm aquela beleza perfeitinha e intocável dos elencos americanos, e os diálogos, mesmo numa comédia boba, são mais bem-feitos, mais interessantes. Muito mais.Valeu a pena gastar 2h da vida assistindo, pela descontração!

4 comments:

Cristiano said...

Gosto mto do ratottuile, serio q gosto... o mais doido que acho do filme é o jeito q eles mostram paris e o jeito q eles ensinam como funciona uma cozinha profissional.

Sobre legenda, vc usa qual programa para ver filme? O BSplayer ele é mto bom pq ele faz a pesquisa automatica de legenda nos portais de legenda e no repositorio proprio.

Se eu ainda nao recomendei para vc eu recomendo.

Bruxa do 203 said...

Também gostei desse filme!

Gisa said...

Eu gostei muito de ratattoulie... esse eu ainda nao assisti... vou colocar na minha lista!

beijocas

Bah said...

Ratatouille é muito bom, além de falar de comida, é uma animação, gênero que gosto muito. Esse ainda eu não assisti, mas se vc gosta de gêneros alimentícios uahauah, vc pode tentar "tá chovendo hamburguer" (Cloudy with a Chance of Meatballs) acho até que já tem o 2, é bem engraçadinho. Julie & Julia é o meu preferido, da blogueira que faz as comidas da Julie.

Kisu!

Blog Archive