Total Pageviews

Wednesday, April 03, 2013

Projeto BCK: dias 11 e 12

Dia 11: diferencie fome, vontade e desejo incontrolável de comer.

Esse dia foi ontem (para mim, não para o calendário) e me ensinou uma coisa totalmente nova e importante. A fome é algo que sentimos no nosso estômago: ele está vazio e ronca. A vontade e o desejo... a gente sente na boca. O desejo incontrolável é uma coisa que sinto com frequência - quando quero comer, sinto um desconforto tremendo, fisiológico inclusive, começo a ficar genuinamente desesperada. E quando tentei lembrar da última vez que senti fome, não pude me lembrar. Eu não sei mais nem o que é estômago vazio! Há anos que o meu estômago não ronca! E isso foi uma descoberta um pouco chocante. Saber identificar o que é fome e o que é esse desejo sempre me pareceu algo que eu sabia, mas sempre que tento localizar minha sensação e me deparo com o estômago cheio, percebo o quanto andei confusa. Agora, sempre que penso em comer algo e me pergunto onde está a fome, me sinto mais calma. Não preciso comer. É só vontade, desejo incontrolável, mas há tempos não é fome. E isso é libertador!

Dia 12: Aprenda a tolerar a fome.

Neste dia, que foi ontem, eu deveria tomar meu café da manhã... e não comer mais nada até a hora de jantar. Isso me ajudaria a entender que eu posso passar privação sem morrer por causa disso, e perceber o grau de ansiedade que isso me traria. Fiz portanto uma lista de situações desconfortáveis, numa escala de 0 a 10, e exatamente como o livro disse, jamais ultrapassei a marca 4. 

Com medo de morrer de fome caso não almoçasse, me preparei para a guerra desde a noite anterior, comendo um sanduíche depois das 20h (horário que não estava mais me alimentando), e tomando um estranho café da manhã composto por um sanduíche gigante, dois bombons e uma banana. E fui para a repartição me sentindo estranhamente leve, sem a geladeirinha com o almoço e os lanchinhos. Tudo aconteceu com relativa calma, e eu não senti meu estômago vazio em nenhum momento – mas jantei assim que entrei em casa, tendo ficado até meio estufada depois do feito. Sim, eu posso sentir fome e me distrair com outra coisa. Entendi! Mas confesso que isso de saber que faltam tantos dias para a brincadeira realmente começar me deixaram querendo 'me despedir' de tudo o que eu faço de errado e que não deverei mais fazer em breve. Efeito rebote!

3 comments:

Cambaxirra said...

Ai, eu aqui já entrei em total desespero só de te imaginar tomando café da manhã e não comendo mais nada até o jantar. Eu iria ficar num mau humor do cão. Mas que bom que você conseguiu, e que no final das contas, nem parece que foi tão difícil assim, né?

Beijo!

Fala, Clarice said...

Isso de aprender a lidar com a fome é mesmo muito libertador. A gente percebe que não vai morrer, nem passar mal, nem nada do tipo se passar algumas horas sem se alimentar. O problema é que nosso estômago estava tão "mal acostumado" que demora um pouco para aceitar os novos hábitos.

Neanderthal said...

Desde que comecei a ler o livro e ela ensina a distinção entre fome e vontade de comer, tenho me esforçado nesse exercício. Como eu sou olhuda e chego a me tremer toda quando quero comer, tem sido difícil viu!
Boa sorte!

Blog Archive