Total Pageviews

Wednesday, January 09, 2013

Um turbilhão de sensações desencontradas


Todos os dias, aqui na repartição, estou lendo um livro (ebook) e um blogue que recém descobri e quero ler todo, que adorei. Ambos falam da nossa relação com o dinheiro e com as coisas, do consumismo, do acúmulo de coisas, do quão isso nos faz mal e distorce a nossa percepção sobre a vida e etc.
Tem sido muito bom ler, me acalma e me ajuda a manter a cabeça o tempo todo nos meus objetivos. Me fortalece para continuar mudando a direção das coisas, e isso é fundamental nesses dias meio incertos. Apesar disso, ontem aconteceu uma coisa que me deixou muito curiosa, e um pouco ansiosa também. Minha mãe foi ao shopping e gastou um dinheiro razoável comprando coisas, coisas essas que eu nem vi ou sei o que são. Numa loja só (uma que gosto muito de ir, por sinal), relata ela que deixou R$600,00 para trás. E postou uma foto no facebook com as sacolas.
Aquilo me deixou com um misto de curiosidade e vontade de ir ao shopping (e na loja específica) conferir as novidades, as liquidações, e juro, que está na minha cabeça o dia todo a ideia. Hoje estou usando um vestido novo, que comprei mês passado e ainda não tinha usado. Eu tenho umas 10 peças de roupa novas no armário, que me recorde, que ainda não foram usadas. Mas eu fico com vontade de ver as moda.
Como estou muito, mas muuuito determinada a escorregar definitivamente para fora do buraco, não vou fazer nada a respeito, mas fiquei intrigada em ver como o meio altera a gente. Eu leio, leio sobre o desapego, mas fico ansiosa se minha mãe vai às compras. Eu penso em ir às compras, embora isso não devesse passar pela minha cabeça. Compras, essas, que nem sei quais seriam, uma vez que não tenho o hábito de ir em lojas. Mas quando me disseram que há liquidações pelo mundo, eu quis ir conferir. Que estranho, não?

9 comments:

Neanderthal said...

Fulana, todo dia primeiro tem uma mega liquidação em uma grande loja daqui do rj. Para vc ter noção, ano passado comprei uma tv LG de 42 polegadas por 800 dinheiro na queima de estoque. Esse ano meu primo comprou um home theatre da samsung com blue-ray por 400 contos. Eu fiquei doida pra ir, pensei nas milhares de coisas que poderia comprar, que desejo ter. E é assim mesmo! Mas me segurei e não fui!
Acho que ter coisas boas e novas causa um certo sentimento de prazer e satisfação. E isso é bom! O problema é saber o que é necessidade e o que é euforia causada pelo poder de compra
Acho que você é esperta e tem consciencia disso. E isso é bom! Pior é quem é vendido e sai por aí comprando sem ao menos saber por quê!

Neanderthal said...

Ia falar que dentro da lógica capitalista e de uma sociedade de consumo, as pessoas associam o ter ao ser e isso é muito complicado. Porque as pessoas associam bem estar e o sucesso pessoal ao ter o novo, o que é moderno, o da moda sem ao menos refletir se isso é necessário mesmo. Isso não é saudável e de fato provoca distorções.

Divulga o blog para eu ler também. Fiquei curiosa!

Taís Moreira said...

Conta aí qual é o ebook e o blog, poxa!
Menina, te contar q estou determinada, mas todo dia, TODO santo dia, eu quero comprar alguma coisa. QUALQUER coisa. Tb sinto essa vontade de ver "as moda" e conferir as liquidações (coisa do demo!). O segredo não é segredo: controlar-se e pensar no objetivo. Beijos da Taís.

Drinha... said...

Tô com a Thais, tb quero saber qual é o ebook e o blog... rs

Nem me fale de resistir as tentações das promoções de janeiro, tô aqui me segurando pra não comprar uns vestidos q estão super lindos e o melhor, pela metade do preço... to louca, louca, louquinha pra estourar o cartão mas não posso... rs


bjs e boa sorte aí

Bah said...

Agora que eu não tô trabalhando que tô segurando mais o dindin. Então, eu nem passo perto das lojas super legais que tem por aqui senão é passar vontade na certa. Mas deixa eu começar a ganhar meu dinheirinho que o estrago vai ser grande auhauhaua..

Kisu!

Inaie said...

o que será que a sua mãe comprou? Estou tentando me desapegar também. Comecei me desapegando do dinheiro e deixando ele todo na lodjinha...

Dani said...

Bem, eu to na mesma que vc! Tentando sair do buraco! Meu namorado ta lendo um livro que eu quero ler depois e te indico viu, chama "o homem sem grana"...embora nao necessariamente precisemos viver como o cara relata dá pra aprender umas coisas mto legais relacionadas ao consumismo e capitalismo! Depois que ler posso vir te contar!

Bjo

Cambaxirra said...

Eu tenho vivido "na borda do buraco" e procurando comprar somente aquilo que preciso mesmo (de vez em quando combinando com algum agradinho básico, mas enfim). O que eu acho que acontece, pelo menos comigo, é que o fato de planejar compras e o ato de comprar em si libera uma quantidade de endorfina muito grande, poucas vezes experimentada pelo meu organismo, hahaha. Daí fica essa sensação de querer comprar, sair por aí ver "as moda" e tudo mais. Difícil a gente se conter, bem difícil.

Lari e Dé said...

Eu tbém quero o nome do ebook e do blog! Compartilha com a gente...

Essa questão de compras é MTO, MTO relativo... vi ali em cima alguém dizendo que geralmente as pessoas confundem "ser" com "ter".

É bem verdade, mas não é por causa disso que vamos deixar de comprar (se tivermos dinheiro sobrando, óbvio!)

Se todo mês sobra dinheiro, se são coisas boas e de qualidade, e se principalmente, você sabe que separar o "ter" do "ser", mas mesmo assim pode "ter" AND "ser"...go ahead :)

Nos dias de hoje parece que é até pecado comprar...

Blog Archive