Total Pageviews

Wednesday, January 23, 2013

Dois mundos: o das pessoas divertidas e o das pessoas imbecis


Uma amiga minha contou nesse final de semana sobre um outro amigo seu, gay, que usa um tal de aplicativo de telefones modernos que ele sabe quem está num determinado raio de proximidade dele e disponível para paquera. Segundo essa mesma amiga minha, quem usa mais isso são os gays mesmo.
Então esse amigo dela se interessou pelo perfil de alguém que estava no raio de influência dele, adicionou, conversou, não sei bem, só sei que começaram a se falar pelo aplicativo. Ainda pelo aplicativo, se viram pela webcam e um mostrou ao outro fotos (ou exibiram pela webcam, já esqueci) os órgãos sexuais e, tendo aprovado tamanhos e características, em menos de 2h já estavam transando ao vivo em algum lugar.
O mundo dos gays é muito mais divertido que o nosso.


                                                                                 ***

Nisso falando, achei engraçado que o povo da repartição que me adicionou no facebook começou a desconfiar que eu seja homossexual, porque posto imagens e campanhas a favor dos homossexuais e seus direitos. Além disso, o fato de nunca terem me visto ficando ou namorando ninguém, ser amiga de muitos gays e tudo mais, me faria ser também. É isso que as pessoas pensam, para que defender homossexuais e seus direitos se isso não me dissesse respeito? A verdade é que tudo que tem a ver com a humanidade me diz respeito.
Infelizmente, não sou dessas: acho uma bobagem minha excluir de antemão 50% da população (ou mais) das minhas possibilidades. Mas até hoje não aconteceu de me envolver, atrair ou qualquer outra interação sexual com nenhuma mulher.
Mas no fim estou cogitando espalhar minha fama de sapata pela repartição e me livrar assim de assédios sutis ou abertos. Imaginem Millhouse, todo pudico e evangélico, sabendo que sou lésbica? Vou considerar.  

13 comments:

Luana said...

"Imaginem Millhouse, todo pudico e evangélico, sabendo que sou lésbica? Vou considerar." O evangélico ai foi so pra forcar o fato dele ser pudico? Porque evangélica eu também sou... E pudica não eh uma característica minha - alias, meu melhor amigo, gay, foi padrinho do meu casamento, celebrado por um pastor...
Nem todo evangélico eh homofóbico... Sei que nao foi isso que voce disse... Mas queria deixar meu comentário sobre isso...

Bah said...

Auhauahuaa, tadinho....
Hoje em dia, de boa, eu não sei quem é homo ou não é... Antigamente as pessoas se trancafiavam, hoje elas andam à solta, mas não consigo distinguir um homo numa multidãom exceto pelo jeito de falar. Mas mesmo assim conheci gente que não é homo e fala como se fosse.

Kisu!

Taís Moreira said...

rsrsrsrs É uma boa estratégia!

Neanderthal said...

Então fulana, eu concordo contigo em parte. Eu acho que o mundo dos homosexuais que se assumem é mais liberto e por isso mais feliz, menos hipócrita. Isso é legal!
Sou fruto de criação evangélica e não escondo isso. Quando vou na Igreja bater um papo com o altíssimo, brinco dizendo que sou evangélica do paraguai! Tenho lá minhas contradições que nao são nenhum segredo, e só para dar uma forcinha na turma dos que discordam, tenho lá os meus pudores e recalques provocados pela minha moral cristã, extrapolo fácil! Nunca deixei de curtir uma pessoa, me divertir e aproveitar algumas situações por causa disso!
Mas mencionei isso só po causa do comentário da Lu.Porque na verdade, eu acho que quem é um bocó vai ser um bocozão em qualquer religião.

Na verdade, ia mencionar que quando começaram as redes sociais e fiz meu primeiro orkut, eu tinha medo de mostrar informações pessoais e por isso usava um sobrenome fictício, sem foto, que eu era de madagascar, falava javanês e era bisexual. Ninguém se importava com os demais detalhes notoriamente falsos. Mas ser bisexual me causou alguns problemas e assédios na faculdade e ambiente de trabalho daqueles que chegavam em mim, alguns que nem tinham me notado antes, dizendo "Nossa, Olívia, que maravilha! Que tal um encontro?".
Portanto, se o Milhouse é um daqueles babões, é capaz do efeito ser contrário e ele se sentir mais ocnfiante no sentido de que isso apimentaria a vida sexual dele.
Beijos e boa sorte!

Cristiano said...

Como assim? Os caras usaram esse aplicativo brincaram de mostra o seu que eu mostro o meu. E foram transar???

Q doideira...

Inaie said...

já levei muuuita fama de sapata. e nunca desmenti. não é da conta de ninguém!!!

Inaie said...

e agora que eu me toquei que nunca vou poder usar esse aplicativo! Pq nao tenho nada pra mostrar. :-(

Lari e Dé said...

Que os gays são mais divertidos é fato.

Agora, vai dizer que não é estranho? Eu não julgo (até pq né, falou A santa. só que não), mas não vejo graça.

Fulana said...

Querida Luana,

você está coberta de razão! Errei! Não deveria ter atrelado millhouse, pudico e evangélico tudo junto, fui preconceituosa. Te peço desculpas se de algum modo te atingi, mas acho que você entendeu mais ou menos o sentido do que quis dizer, certo?
E demais pessoas,

Eu adoro os gays e o mundo gay, apesar de não ser propriamente o meu. Mas considerando uma decepção ou outra que já vivi, não acharia nada mal poder dar um confere no equipamento antes de ir testá-lo na prática! Vida de pista é assim, gente! rs
Estou curtindo ser considerada gay.

Neanderthal said...

Hein fulana, a vida é muito curta para náo mostrar os peitinhos na webcam!
Join us!

Cambaxirra said...

JURO POR TUDO que quando você falou no esquema de ser lésbica, o que veio à minha cabeça foi Millhouse. Juro, juro, juro. Nem foi pelas características dele que você deu, mas sim pelo fato de ele se dar conta que não teria mais nenhuma chance com você.
E olha, acho que a vida dos gays é bem mais divertida, pelo menos a dos meus amigos gays é mais divertida que a minha, com certeza!

Luana said...

Oi Fulana, entender eu entendi sim... Mas achei generalizador e preconceituoso. Mas esta tudo bem! =)

Liu said...

Ah, menina, acho que metade da faculdade deve pensar o mesmo de mim, pelos mesmos motivos! HAHAHAHA
Eu acho graça dessas coisas, ver como as pessoas interpretam as coisas e tal.

Blog Archive