Total Pageviews

Thursday, January 28, 2010

O Presente

Ao chegar a uma das localidades mais inóspitas de meu serviço, me deparo com uma pêra sobre a impressora. O bilhete diz que é para mim. E no lugar da letra "o" da palavra beijos, tem um coraçãozinho.
Achei tão gracinha!

Meu sono, de novo

Houve um tempo que eu só blogava sobre comida. Recebi até queixas sobre isso.
Hoje em dia, no entanto, ao fazer uma análise rápida dos posts recentes, tem tantos sobre meu estado de sono e cansaço, que fico impressionada!
A verdade é que quando ele melhorou, esqueci de postar que melhorou. Mas desde o dia 04 de janeiro, eu acordo às 5h, visto-me e saio às 5h20, para às 5h40 pegar uma van, que me leva até Itajaí, chegando aqui às 7h30. às 16h15 pego-a de volta, e chego em Florianópolis às 18h.
Pode até parecer que não, mas é deveras horrível. Eu compenso dormindo um pouco na van, e um pouco de manhã cedo na salinha, e na hora do almoço também. Durmo cedo. Mas o fato é que quando o celular toca, nunca, nunca mesmo, o impulso é de se levantar. Dói bastante; é duro mesmo. Talvez com mais meses de experiência eu acostumasse e virasse uma daquelas velhinhas que aos 80 anos continua acordando às 5h, mesmo sem nenhum motivo para tal. Mas espero, sinceramente, não precisar fazê-lo.

Tuesday, January 26, 2010

Eu, aprendendo a ser bocuda

Eu sou bastante já em várias ocasiões, mas em outras fico toda travadona. Tive agora de manhã um percalço profissional que exigia um pouco mais de pulso, diante de uma pessoa louca daquelas que falam grosso e alto. E não é que me saí bem?
Mandei ela ir embora, parar de gritar, e ela até foi mesmo!

Tuesday, January 19, 2010

O dilema da manicure

Aqui eu tenho a Maurilia: ela cobra baratinho, tem esmaltes bacanas, habilidade nas unhas decoradas e ainda vem a domicílio. Lógico que nada é assim perfeito, e Maurilia é uma assassina furiosa de cutículas, manejando o alicate com tamanha violência, que me faz passar o mês inteiro dizendo "hoje só pintar" e me cagando de medo quando chega o dia de fazer.
Lá eu tenho a Carla, que faz direitinho a parte do alicate, mas que não tem nem os esmaltes bacanas da Maurília, nem sabe fazer unhas decoradas, e ainda me cobra R$10 mais caro...
A melhor de todas era a Ivonete, o problema é que eu não moro mais lá.
E agora?

Monday, January 18, 2010

Esse ano eu vou poupar dinheiro, sono, saúde, e sanidade.
Ela anda com dificuldade pra trepar, só pode ser. Só pode ser, por que dinheiro, saúde, trabalho, isso tudo ela tem... Na real não namora já tem uns meses, mas acho que ainda tinha por onde se desabafar. Tiro por mim né, que quando entro em dificuldades para trepar fico assim, azeda feito ela.
Mas o fato é que a gente pode optar, e na maior parte das vezes, a gente faz assim: pra que ser gente boa se eu posso ser chatonilda?
Confesso que eu pelo menos, ajo assim.
Notei que ela também.
Fiquei pensando que a sorte dela é que a gente trabalha junta, por que aí eu me reprimo e não fico ofendendo-a. Adoraria que a gente não trabalhasse junta e eu pudesse dar vazão à minha ânsia de vilipendiar a babaquice dela.
É muito engraçado, desde que a chefona tirou férias, ela adquiriu ares da chefona, só que sem o mesmo approach com a arte da mandonice. Meio desequilibrada na hora de se fazer respeitar, manja? Não consegue respeito só fazendo o trabalho dela. Aí precisa esganiçar-se um pouco, e apelar. Apelando ela consegue deixar claro que no momento, quem manda é ela.
Há pouco fui pedir uma informação - pedir uma informação - em relação a determinado recurso que eu necessitava.
Respondeu-me pelo MSN que se eu mandasse um e-mail solicitando o recurso, ela poderia verificar a possibilidade para mim. Fiz como ela me pediu, usando toda a formalidade que fui capaz, enquanto refletia sobre a necessidade de desrespeitá-la, que eu sentia, e ela de dar umazinha, pelo jeito.

Wednesday, January 13, 2010

Eu demorei, eu sei que eu demorei, e eu sei que você sempre vem aqui bisbilhotar e eu te deixei dias e dias sem novidades. Me perdoa, vai!
Mas não se preocupe que ainda acho que o blog sobreviverá a mais um ano. Nem que para isso eu só possa relatar bobagens.

O Final de Ano

Eu nunca havia dantes outrora trabalhado assim de carteira assinada, então acho que esse foi o meu primeiro acometimento de "estresse de final de ano". Assim que fui liberada, saí correndo feito um guri depois que o sinal bate, e dormi por uns três dias quase que direto. Depois disso, resolvi que precisava me divertir um pouco e tentei empreender uma viagem de virada!

A Viagem

Como eu não tinha férias, apenas folga, precisava ir para perto, e lá fomos, eu e meu namorado, rumo a Bombinhas. Levamos quase dois dias em preparativos para um acampamento de virada, e finalmente, no dia 29/12, acordamos 7h da manhã para viajar. Contratempos e tráfego intenso depois, chegamos suando em bicas no Retiro dos Padres, onde havíamos resolvido ficar. Achamos um lugar com relativa sombra, e acampamento armado, iniciava-se o feriado. Praias belas e bravas, passeios na única rua principal em Bombinhas aos entardeceres, pancadinha na cabeça (a minha, oh céus), perda de uma máscara, compra de uma nova, tacinhas para o Reveillon, coisas faltando, mergulho, cervejinhas, bolachinhas...
E eis que na madrugada do dia 30 para o dia 31 a chuva é forte, o vento é forte, e nossa barraca vai ao chão. E nós, ao carro. Diante de tamanha molhadura, só nos restava Floripa, onde ao menos teríamos teto de laje!

O Novo Ano

Gente que não acabava mais em todos os lugares, inclusive dentro de casa, e a triste sina de levantar todos os dias às 5h da manhã. Calor sempre, chuva às vezes, preguiça também. Um catchup novo! E uma receita nova também. E o mais fundamental de tudo, conchinhas todas as noites em nossas caminhas!

Blog Archive