Total Pageviews

Sunday, November 23, 2008

Blogandíssima

Domingo à noite virou dia de blogar, ouvindo os Simpsons. Sei que não deveria estar escrevendo, pelo menos não sobre isso (isso, isso que daqui algumas linhas aparecerá), mas às vezes a gente entope, e só falta fazer aquele pôu, e sai tudo. Então melhor fazer um fss na bexiga de festa e ir relatando homeopaticamente as últimas.
As últimas são que tenho feito planos, planos de mudar de vida, de cidade, de profissão; sem entrar em detalhes sobre os planos (porque sabes como é, não custa nada a gente prevenir segundo a superstição e esperar dar certo), preciso dizer que nunca pensei que passaria por um ano tão pacato, que serviu pra me convencer que fora da UFSC, Florianópolis não só é pacata, como sabe ser monótona, tacanha e entediante. Ainda mais quando chove tanto quanto em minha cidade natal...
Essa é aquela hora em que meus conterrâneos que se ofendem de morte quando eu falo mal de Joinville esboçam um sorrisinho, como quem diz: "ahá, finalmente percebeste que Floripa é pior que Joinville!"; lamento, mas percebi foi nada, continuo colocando Joinville no top de lugar que não quero pra mim, salvando no máximo a casquinha de siri da Mercearia Sofia e o salão da Ivonete, a única manicure nesse mundão de meu Deus que não magoa minhas cutículas. Mas também fui percebendo que já passei 5 anos aqui, e se passar o sexto, minha relação com a cidade passa de desgastada para esgotada...
Anuncio então que meus planos incluem umas viagens e experiências (e que Buenos Aires é só passeio mesmo, as viagens de estágio de futura cidade serão somente no pŕoximo mês!), e que talvez eu me aventure pelo mundão de meu Deus...

Experiências gustativas

Tive um final de semana presenteado por váárias coisas deliciosas e muito preferidas: pizza da Pizza Hut, sorvete da Haagen Dazs, nhoque de abóbora com mussarela de búfala e palmitos laminados. Uma garrafa de vinho, um chocolate belga e ai-ai, sinto-me feliz feito pinto no lixo.

E essa chuva?

Depois que aparentemente estarei "documentada" e com bala na agulha para viajar nesta terça-feira, desconfio que não consiga fazer subir o avião! Melhor seria se ele não descesse na volta, já pensou? Se desse problema lá em Porto Alegre, ficaria felizona...
Não é a primeira vez que vou estar em Buenos Aires, mas é a primeira que vou sem família, que vou ficar num hostel e não num hotel ou cabine de navio, que as compras da Calle Florida não são o mais importante, que vou na companhia do namorado, etc, e bla-bla-bla... Então é uma viagem praticamente inédita, com vários roteiros desconhecidos, com possíveis histórias bem diferentes ao final. Volto daqui a uma semana!

Tuesday, November 18, 2008

A saga pela carteira de identidade

Como boa brasileira que sou, mesmo sabendo há três meses atrás que eu ia viajar para um país vizinho que pede identidade recente e/ou passaporte e estando eu com ambos vencidos, deixei para fazer isto exatamente ontem, sendo que minha viagem está marcada para daqui a 7 dias. Contando que eles precisam de 5 e uma taxa extra paga por mim para me entregarem em 5 dias úteis, eu estou ligeiramente encrencada. No entanto, faço votos de que não me prendam no aeroporto (no sentido de não poder entrar no país, e não no de ir para a prisão), que a polícia civil não entre em greve tampouco exploda o prédio com meu documento novo, a ser pego no dia anterior à viagem.

Monday, November 10, 2008

Pense aí em alguém que quase não se acredita, quando ouve as palavras que saem de sua própria boca. Pense numa pessoa se horrorizando com a maneira automática com que toma uma série de atitudes que sempre repudiou, e que a fez dar no pé algumas vezes.
Só espero que ter essa consciência ajude no processo de não me tornar cada vez mais essa pessoa que tenho me tornado! Ui!

Thursday, November 06, 2008

Mau humor, teu nome é Thais

Nem sempre fui assim impaciente e irritadiça. Mas nos últimos dias, ajo como uma mulher na TPM a qualquer época do mês. Preciso ser controlada por drogas...

Projeto Sou Legal

Está sendo bem difícil colocá-lo em prática; já fui chata, implicante e metida pelo menos umas quatro vezes desde que o Projeto começou, e receio que ainda serei algumas (muitas) vezes...
Ontem eu estava tentando resolver um caso de um colega que precisava que cuidassem da filhinha dele para que ele pudesse dar uma palestra. O problema não era exclusivamente meu, mas tomei a dianteira para resolvê-lo. Meu namorado teria que ter uma participação especial na procura de pessoas para cuidar da menina, e estava eu lá tentando dizer como achava que poderíamos solucionar o caso. Ocorre que ele falaria com a maioria das pessoas, passando portanto muito mais pelo controle dele, e pelas iniciativas dele. A partir daí é que entra em ação o chamado lado-negro-da-força. Que expressão racista, melhor dizer que é aqui que inicia a neurose minha. Pedi que ele então buscasse falar com as pessoas e que não se esquecesse, e mordi a língua com força pra não dizer que se ele esquecesse, ia cuidar da guria sozinho a tarde inteira, que o problema não era meu e tralalala... Caralho, que difícil! Chega a doer não ser chata! Passei o resto da tarde remoendo com a neurose, algo dentro de mim dizendo "fala com mais fulano!Manda uma mensagem pra ele não esquecer!Liga pra ele! Cobra isso logo!". E aquilo me martelando, literalmente me fudendo as idéias, me torturando! Já acordei com o negócio na mente. Eram 7h20 da manhã quando tive o primeiro impulso de telefonar e saber "qual era o problema", já com o pessimismo a todo vapor prevendo que provavelmente teria que dar mais alguns passos antes de resolver a parada. Mas me contive, a duras penas, e tomei o ônibus para o trabalho, o caminho todo já imaginando possíveis alternativas para resolver a questão, e já por antecipação fazendo o exercício de paciência que eu considerava necessário para não surtar por causa de um probleminha. Foi nessa altura do campeonato que me chega uma mensagem dizendo que já estava tudo ok. Aproximadamente às 9h da manhã. Confesso que doeu e foi complexo esperar algumas horas sem me intrometer. Mas sobrevivi. Talvez eu ainda possa ser legal um dia...

Wednesday, November 05, 2008

Essa chuva do inferno que não pára. Me molhou inteirinha hoje, na ida pra repartição. E eu dei aula molhada, da cabeça aos pés, durante infernais 1h30. Sorte minha, sorte minha, hoje a aula acabaria cedo!

Vou me resfriar

Já sei, estou só comunicando.

Monday, November 03, 2008

Pra Reforçar

Eu realmente odeio cheiro de cigarro. Odeio cigarro, odeio fumantes, principalmente os que habitam o mesmo espaço aberto ou fechado que eu. Já dizia um amigo meu que todo fumante deveria morrer na primeira tragada. Eu não sou tão má: acho que deveria morrer na segunda, e ter uma chance de mudar de idéia.
Mas que eu odeio essa bosta que fede meu cabelo e o mundo como um todo, que fique claro: odeio!

Blog Archive