Total Pageviews

Wednesday, October 29, 2008

Na humildade...

Estou aproveitando essa minha boa sorte, a primavera e muito mais pra tentar de ser um pouco Miss Know Everything. Nem preciso dizer o quão isso é difícil. As pessoas que me conhecem apenas superficialmente sempre comentam rapidamente, muito surpresas, que sou uma pessoa "muito observadora". Sempre saio com uma "mas tu disseste que isso não acontecia contigo por causa daquilo" - puta chatice, concordo. Agora, imagine tu aí, dileto leitor, o que não passam as pessoas realmente próximas. O que não devem pensar os parentes, o namorado, os amigos muito de perto, e ultimamente, os meus alunos. Se eu já tinha essa mania de ficar o tempo todo incomodando as pessoas relembrando-as de seus compromissos chatos, morais e concretos, imagine a partir do momento em que recebo R$15 a hora/aula para fazê-lo.
Mas tenho fé que existe um lado gente boa dentro de mim só esperando que o lado implicante e "sou foda" saia de cena. Vou procurar fortalecê-lo para que enfrente essa força do mal!

Bem-vinda, boa sorte

Se eu achei meu chip e já estou de celular novamente, que é o que eu identifico como o início da minha onda de azar, acho que o buxo do sapo onde costuraram meu nome rasgou e agora serei sortuda um pouquinho.
Wohooo!
Quanto drama numa pessoa só. Ele passou o semestre inteiro sem botar o pé na aula, aí reprovou por faltas. Último semestre, tudo pronto, seleção pro mestrado e muito mais. E ele reprova por faltas. Chorou pro professor que não deu moral. E aí, é claro, veio chorar pra mim. Veio me dizer que está muito mal. Que não merecia isso, que é um cara legal e do bem. Que não foi ao médico pegar um atestado para suas faltas por ter medo de sair da cama. Eu não sei, mas acho que sou uma cascuda. Por que nunca boto fé nessas coisas de pânico de sair da cama... Acho que ele precisa de outra pessoa para chorar. Na boa, eu não o compreendi, e tampouco quero apoiá-lo. Eu quero é ter pavor de sair da cama!

Cheirinho de Escola

Estou dando um curso numa escola estadual lá em Biguaçu, não lembro se já postei sobre isso. Mas enfim. Os lugares em que eu geralmente dou aula são modernos, arrojados, com quadro branco e canetinhas. E essa, obviamente é uma escola bem tradicional. E é uma gracinha!
Tem palhacinhos na porta, e cheirinho de guache, giz, piso de madeira, massinha, tudo misturado. Aquele cheirinho de escola, não tem?
Esse é um dos motivos que me fez querer fazer Pedagogia no próximo ano. Poder passar o resto da vida sentindo esse cheirinho...

Mas que azar, hein?

Ultimamente tenho sido vítima de fortes azares. Perdi meu celular, e fui comprar outro chip para poder voltar a ter telefone... E já perdi o chip novo. No domingo, esqueci minhas chaves em algum lugar obscuro e precisei pagar 40 reais ao segundo chaveiro que veio abrir minha porta, pois o primeiro desistiu e me largou sozinha, dizendo que a fechadura era difícil. Andei quebrando louças e utensílios dentro de casa, tropeçando, virando os pés, e eu não faço a menor idéia do que está acontecendo.
Eu inclusive tenho sido mais chata, metódica e detalhista do que já sou com as coisas que não posso perder, esquecer e nem estragar, mas ainda assim, continuo com problemas. Acho uma lástima, pois não gosto tanto assim dessa minha versão organizada e a par de toda a situação, mas tornou-se necessária essa postura para sobreviver no mundo injusto em que habito.
Qualquer um que tenha costurado meu nome na boca de um sapo, pode contar que vou devolver o trabalho!

Monday, October 20, 2008

Pantanal é do caralho

No dia em que Marcelo e Guta tiveram sua primeira vez (no clássico banho de rio, como acontecem 90% das trepadas de Pantanal), fizeram uma tomada com Tarcisinho andando pelado em direção ao rio contra o sol, bem de longe, só pra aparecer a silhueta. E qual não foi minha surpresa ao constatar que no meio daquela silhueta, havia uma protuberância? A platéia foi ao delírio! Agora passo meus dias imaginando se o banho de rio dos atores rendeu tanto quanto para os personagens.
Valei-me, Jesus!
Fora de bobeira, eu acho, mesmo, que toda pessoa que guarda dinheiro em poupança no Brasil, deve ir lá e fazer a rapa. E mesmo quem guarda menos de mil reais.

A crise econômica e suas conseqüências mundiais

A crise econômica chegou ao Brasil, mais especificamente aqui em casa. Talhou meu leite no meio da massa, acabou com o gás no meio do assamento da massa, terminou com o vinho durante a preparação da massa, fechou o supermercado antes que eu pudesse buscar reforços, cobrou R$3 a latinha de Sprite pra eu misturar na vodka, e ainda me fez escolher um filme deveras ruim na locadora.
Os impactos da crise econômica não cessam de me surpreender!

Friday, October 03, 2008

Preciso aprender com alguma pessoa bem alto astral como é que se faz para reagir num "durante". Porque eu consigo reagir muito bem depois de complicada a situação, quando a desgraça já se abateu sobre o ser humano e só resta se conformar. Agora, quando tu estás numa situação em que as coisas ainda podem se aprumar em algum momento, mas que também há uma alta possibilidade de dar tudo errado, fico completamente paralisada, angustiada e deprimida. E não consigo ficar de bem com a vida, porq que não sei se estou de bem com a vida porque já me conformei com a desgraça, ou se por que não teve desgraça.
Coisa difícil...

Emagreci!

Não sei exatamente por conta de que, mas consegui emagrecer 5kg. Uma amiga palpita que é uma mistura de natação com stress. Eu avalio que é isso, mais umas manias de andar a pé ocasionalmente, e uma tática nada segura, mas que vou compartilhar: a Dieta do Comer Até Enjoar.
Eu consegui enjoar de Pringles! De tanto que comi! Enjoei de várias outras besteiras que faziam parte de meu cardápio usando esta inteligente dieta. Estou num ponto perigoso, muito próxima de enjoar de pizza. Há muito tempo que não sinto vontade de ir a um rodízio. Ainda como em casa, as que eu faço, com muito manjericão, mas nem as do tele-entrega eu tenho sentido vontade de comer. Medo...

Ando...

Meio esquisita...

Perdi meu celular

Triste e verídico. Faço apenas vaga idéia de onde perdi-o, e no entanto, não tenho a menor chance de recuperá-lo. Se alguém quiser me doar um Brasil Telecom, DDD 48, por favor, sinta-se à vontade...

Blog Archive