Total Pageviews

Friday, March 30, 2007

Engasgada histórica

Não tinha como esquecer de comentar que o cara me fez o favor de lembrar que eu posso ver ele mais mil vezes ainda nesta vida, mas a única cena da qual ele vai se lembrar sempre é aquela em que eu engasguei com um pedaço de pastel de queijo.

Pérolas de alojamento...

Nada como comer uma esfiha mordida pela metade, largada numa caixa pronta pra ir ao lixo, cheia de guardanapos amassados e sachês de temperos vazios juntos.

Todo castigo pra corno é pouco

Além de estar com a garganta em fogo (admito que em decorrência de uma idéia de jerico de colocar um colchão úmido e cheio de ácaros na varanda, pegando sereno e ainda abraçando um cobertor de lã, que costumo executar no mínimo uma vez na semana, achando "legalzinho"), hoje de manhã dei uma topada com o peito do pé no comecinho da escada, e dói pra caralho.
Mas como todo castigo pra corno é pouco, não basta estar com a garganta arrebentada e manca. Ainda tem que estar com a garganta arrebentada e manca em véspera de festa! Podem correr as apostas de qual será o meu estado na segunda-feira.

Re-sentindo

Ano passado, nesta mesma época, explicitei o quanto odeio a época de páscoa, a quantidade de chocolate de má qualidade que nos enfiam bucho abaixo, as porras dos cabidinhos de ovos no supermercado escurecendo as gôndolas, e as patéticas figurinhas de coelhinhos da páscoa que ficam sorrindo bestialmente em toda puta esquina do pais.
Só estou reiterando, que continuo odiando tudo isso, e pode enfiar os votos de feliz páscoa no olho do cu.

São Paulo - divertido e sensual

Voltei já na terça-feira, moída feito farofa, e estou em outra pilha. Mas só queria registrar que valeu a pena, como aliás sempre vale.
Deu tempo de militar, tomar umas cervejas, fazer reunião da ENESSO, dar fora no ex, estar com algumas pessoas amigas, comprar novos livros... Não deu pra dormir muito, mas... Tem cura.

Thursday, March 22, 2007

Insetos...

Muitos insetos, todos famintos e aparentemente fazendo festa aqui em casa. Daquelas que o convite é caro, mas tem comida e bebida à vontade. Ontem à noite tive que ligar meu veneno de tomada aqui na sala, tamanha era a quantidade de bolinhas pelo corpo que eu já acumulava. Acho que como o verão acabou, pobres deles estão procurando o rumo do Sul. Horácio, meu jacaré de parede, que supostamente deveria comer a todos, não conseguiu. Disse-me que não aprecia espeto corrido às quartas-feiras...

Friday, March 16, 2007

Agora, um certo estranhamento

Anônimo querido.
Acredito tê-lo subestimado, julgando tratar-se de outra pessoa, que não seria capaz de me escrever tão belas palavras. Infelizmente, não posso contar com meu coração neste momento, para A Revelação. Por isso, imploro, humildemente, que me presenteie com o teu nome.

Procura-se

Você, menino de calça jeans e camiseta branca com uma estampa preta nas costas. Que tem o cabelo castanho e liso, e a pele branca. Que foi sozinho ontem ao cinema, na sessão das 22h, assistir Conquista da Honra. Comprou um balde de pipoca e um refrigerante, e no final do filme, jogou a garrafinha fora, e levou o baldinho vazio nas mãos. Você sorriu pra mim na fila da pipoca. Eu guardei lugar pra você lá dentro, mas você foi se sentar lá do outro lado. Quando eu estava indo embora, olhei pra você, mas você não me esperou. Você foi embora andando rápido, brincando com o baldinho. Eu tenho certeza que você gostou do filme. Eu também gostei, e não pude nem te contar isso. Quanta pressa! Você come muita pipoca. Aquele balde pra uma pessoa só, é coisa! Eu misturei a minha com doce, pra gente dividir. Mas você comeu o seu balde, lá do outro lado!
Quem vir, este menino desavisado, distraído, com um baldinho nas mãos, faça o favor de dizê-lo que o estou esperando. E muito aborrecida pela pressa com que deixou minha vida!

Falta pouco

Hoje, estou partindo.

Medo?

Anônimo querido. Ganhaste um post especialmente para te responder que não foi no Angeloni, mas sim no Giassi, embora mais tarde eu tenha também passado no Angeloni, por um engano, peguei o caminho da minha casa velha. Talvez em Floripa desse um certo receio, saber que há uma pessoa que nos vê sem que a vejamos, mas eu estou na pacata Joinville, onde o senhor provavelmente dirigindo seu Uno me viu. Acertei? Eras tu?
Como certas coisas não mudam, e nem certas pessoas, me antecipei e tentei adivinhar tua identidade. Espero a revelação, sim?

Wednesday, March 14, 2007

O que Ades faz por você?

Eu compro várias caixinhas de uva, e a minha mãe comenta que não gosta muito.
- Nem eu, é que dizem que ajuda a menstruação a descer mais rápido.
- MINHA FILHA VOCÊ DESCONFIA DE ESTAR GRÁVIDA?!

É, meu povo. Como não? Eu, desconfio que estou grávida, vou lá, e tomo suco de uva, que tem propriedades abortivas recém-descobertas.

TPM

Mau humor e nervosismo lindos, resplandescentes. Um ódio de tudo e de todos, uma hipersensibilidade, irritabilidade, uma vontade de estuprar uma mente. Tudo parece ser feito especialmente para que eu me aborreça. Quero que todas as pessoas do Universo inteiro se explodam, e bem longe de mim, que é pra não cair sujeira na minha roupa.
Qual é o DNA de Deus?

Pass me a bottle, mr Jones...

Aqui é o lugar de beber. Se não tem onde, nem como nem com quem beber, nós vamos até alguma conveniência comprar e ficar embaixo do toldo (por causa da óbvia chuva!), tomando cerveja. Em poucos minutos, várias outras pessoas solitárias que estavam apenas indo comprar uma cerveja pra ir pra casa se encontram. Isto é segunda-feira, e todos estão tristes. Chove, e quase toda a cidade dorme. Se eu em Floripa tenho 80% de chances de me tornar uma alcoolista, aqui em Joinville, é 99,9%.

Saturday, March 10, 2007

Aniversário de Joinville

Esqueci-me de ontem parabenizar esta bela cidade, e seus encantadores habitantes. Esta cidade com tão alto PIB, com tão alta concentração de renda e produção industrial e tecnológica. Uma fábrica de dinheiro, um povo trabalhador. Que tira leite de pedra. A cidade em que a única universidade pública que existe oferece vários cursos, todos voltados às ciências exatas, levando em conta que só há mercado de trabalho para esta área, pelo menos pra quem pleiteia um cargo que pague salário de nível "superior". A cidade em que em uma de suas fábricas, o plano de saúde dos filhos é cortado aos 14 anos, obedecendo à lógica de que já podem ir trabalhar ali, com esta idade. A cidade onde todo mundo tem carro. É apaixonado por carro, som de carro, e todos os acessórios de carro. E depois que acaba de pagar o carro, pensa em comprar uma casa. A essa altura, o namoro sério com a alemoa da rua de baixo já virou noivado, e tá bom de começar a constituir uma nova família, com louros e sadios habitantes, criados com o mais puro leite da fazenda, como se nem morassem na maior cidade do estado.
Sendo assim, Parabéns. Pena que no dia de ontem, ninguém estava aqui para ver como a cidade passou o dia de aniversário...

Thursday, March 08, 2007

Ah, e parabéns, mulheres.

Estudante de Auschwitz

Agora no meu terreno tem cerca elétrica. Como a bandidagem tá na rua e tá na cadeia e tá em todo lugar, a gente resolveu que era uma boa hora pra incrementar as nossas grades, aumentar os nossos muros, e se sentir "livres" do perigo. Agora, nego que quiser roubar lá em casa vai ter que dar uma "ligada" antes.
É claro que eu já fui dar uma de louca e atirar umas coisas da pá de lixo através da minha grade e escutei o uóm do alarme, tendo a incrível sorte de o plástico não conduzir energia. A cerca é baixa, qualquer espreguiçada o cara já se acorda dessa pra uma melhor.
A gente paga pra dar choque nos outros!
Isso me lembra mais um traço qualquer da minha personalidade: se tem uma coisa que eu não posso e nem nunca pude fazer, foi dormir à tarde e acordar à noite. Se eu acordo e tá escuro, me dá uma vontade de chorar incontrolável, uma depressão, que eu nem sei de onde vem.

Welcome to my world again

Quem dormiu no ônibus e simplesmente não desembarcou na rodoviária de Joinville? Cada dia, cada dia mais e mais deteriorada.

Tuesday, March 06, 2007

Espetáculos na Assembléia

Daí que na sessão solene de 10 anos sem Darcy Ribeiro, queriam barrar três homens de bermuda. Como é que é, jacaré? O espaço público e aberto agora vai impedir o acesso das pessoas por causa de "formalidades" (cada um chama do que quer, né) relativas ao vestuário? Como disse um dos presentes, era a sessão do Darcy Ribeiro, não do Ernesto Geisel! Acabou que conseguiram entrar. Mas que foi ridículo, isso foi.
PS - Darci ou Darcy?

Monday, March 05, 2007

Duelo

Hormônios versus Mente...

Se é que se pode condenar alguém por optar deixar aflorar seus instintos mais óbvios e primitivos, ou por querer controlá-los. Se é mais bonito ser o cachorro que engata nas cadelas todas, e só sai de trás quando despejou todo o sêmen que reservou àquela companheira ali, ou a cadela que fica ganindo e com o traseiro colado no portão, esperando pacientemente que todos os cachorros da rua lhe façam o amor que ela tanto quer, ou se é mais bonito deixar de passar uma noite que tinha sim, tudo pra ser perfeita, por consideração à tua namorada ramelenta, descabelada e com cólicas só por essa semana, julgando que a longo prazo, ela te satisfaz em muitos outros aspectos.
A escolha não diz respeito a monogamia ou poligamia... Diz respeito a outras pessoas. Queres agradar temporariamente a várias, ou um tempo maior apenas uma? Será que algum dia vai ser suficiente, pra uma pessoa só?

Destaques da semana

Se não por mais nada, o cruzeiro valeu por ter uma biblioteca no navio, que por sua vez tinha em seu acervo "A Insustentável Leveza do Ser". Foi bom viajar em sua companhia.
Já no caminho de volta, num posto Graal qualquer, eu encontro "Recordações da Casa dos Mortos", por R$14,00. Arrebatei-o em incrível velocidade, antes que alguma pessoa má que também se encontrasse no posto resolvesse se interessar. E agora ele é meu :)

Voltei!

2kg mais gorda, e feliz da vida de estar de volta.

Blog Archive