Total Pageviews

Monday, November 27, 2006

Pérolas de Sabedoria?

Quem bebe é drogado. Quem fuma é drogado. Quem fuma maconha é drogado.
Quem toma chimarrão é gaúcho!

Monday, November 20, 2006

Choveu, cabelo encolheu...

Eu nessa fase de sou-desprendida-e-minha-mala-é-prática cometi a insanidade de tirar o secador e a chapinha das prioridades. Agora pensa que passei o final de semana inteiro com o cabelo mais jaguatirica do Universo todo, e nesse exato momento ele tem cachinhos e tudo. Sem contar a franja que vira o próprio ninho de passarinho e foge do rabo o tempo todo.
Desprendida pra caralho, mas descabelada ainda não é pra mim.

Friday, November 17, 2006

Lá vai o Lula!

Continuo minha peregrinação pelo Paraná, desta vez, na Capital. Apareço um dia.
No meio de toda a quizumba do dia de ontem, corre de um lugar pro outro, faz aula, faz reunião, faz contato, recebo uma mensagem no celular. Eu andei esperando por essa mensagem um certo tempo, e meio que já tinha até me conformado que não ia receber. Só que ela chegou ontem, às 16:00h. E eu estava no meio de uma discussão, e pensei: depois eu respondo. Na hora do jantar, eu pensei nela novamente. E aí eu estava no meio de outra discussão, e pensei: depois eu dou um telefonema, é melhor. Depois eu fiz outras duas reuniões, conversei com um amigo, e mais outra reunião, e acabou a reunião e a gente passou a madrugada filosofando no botequim sobre a ordem social vigente. Aí eu resolvi ir embora, e simplesmente esqueci o celular no CA, um dos lugares que eu tinha ido bastante ontem. Lembrei da mensagem de novo agora, e pensei: será que rola eu ligar na segunda?
Tive que tomar a decisão de apagar a mensagem, e nem ter mais comigo este número de telefone. E quer saber? A gente perde, mas alguma coisa a gente também ganha...
A você que um dia mandou uma mensagem a alguém, e simplesmente não recebeu resposta, eu afirmo: às vezes, é bem melhor assim!

Tuesday, November 14, 2006

A ida

Saí de casa às 15h para pegar o ônibus das 16h, então estava razoável. Só que como todo castigo pra corno é pouco, é claro que tinha trânsito, perdi os ônibus, e às 15:45h eu me encontrava ainda no final da SC 401. Desci em frente ao ponto do Floripa Shopping que graças aos céus inaugurou neste dia, corri pra dentro de um táxi e mandei o tio correr. Nesse meio-tempo, menino Toba me liga e diz que o ônibus está saindo. E eu, apavorada, mandando ele segurar o ônibus. Todos os semáforos fechavam, to-dos. O último, em frente à rodoviária, às 15:59h, e eu vendo quais os ônibus que atravessavam a ponte. Cheguei no último segundo, assim como menino Jonathan, mas conseguimos ir. Só perdi meu casaco, provavelmente jogado no chão da rodoviária, mas deu tudo certo. Fomos tomando vodka com Sprite no ônibus vazio e batendo um papo.

Haja papo...


...pra 16 horas de viagem, e mais um engarrafamento não previsto. Sorte que rolava um DVD do Teodoro&Sampaio pra animar.

A chegada


Chegamos adiantados. Largamos as coisas dentro de uma barraca do acampamento que está rolando, e fomos em busca de um novo casaco para as noites de frio em Toledo.

O centro de Toledo


R$5,90 o bufê livre com sobremesa, ruas largas feito a Beira Mar, casacos feios, caros e já encaixotados. Tudo bem que tem feito calor, mas qual é a loja que não deixa pelo menos umas jaquetas na arara? Pois é, jacaré, Toledo não tem uma puta duma capa de chuva pendurada no verão. Comprei um moletom feio e mal costurado por R$50,00, que pelo menos me esquentou todas as noites. Aliás, todas as noites fez um frio desumano.

O encontro em si


Cumprimentem a mais nova coordenadora regional da ENESSO. Parece chique, mas não é nada disso não...
Em todas as mesas-redondas do encontro havia um desfalque de pelo menos um dos palestrantes. Vida que segue, conseguimos debater o que tinha pra debater e chegar incólumes ao fim do seminário.

Estrutura de rango


Comíamos e tomávamos banho num seminário. Não sei onde enfiaram os aspirantes a padre, por que não vi nenhum o final de semana in-tei-ro. A comida era honestíssima no almoço e no jantar, mas o clímax era o café da manhã: frios, frutas, pães, café, sucos, bolos, geléias, leite... No horário do almoço, o café ainda estava atravessado na garganta. Lembramos de cumprimentar as cozinheiras ao final.


A galera


Fora de série. Como diz menino Jonathan, a mulherada lá é firmão. Nos agüentaram dia e noite perturbando, bebendo junto, sofrendo junto, ficando acordados junto, sempre de bom humor. Toledo tem um pessoal foda.


Festival do sorvete

Domingo de manhã rolou um festival do sorvete. Eu, meu sorriso simpático, minha cara de pau e minha blusinha decotada arrumaram dois vales-sorvete, que depois valiam brinquedos massa, tipo cama elástica. O sorvete de limão com raspas merece um aplauso especial.


Consumismo feliz

E foi lá no shopping de Toledo que encontrei um artefato pelo qual procurava há mais de meses: um bracelete prata sem penduricalho nenhum. Geralmente eles têm uns trabalhadinhos, uma cabeça de cobra, um strass ou alguma outra bosta no fim do metal que me broxa de comprar. Agora sou proprietária do bracelete mais clássico e lindo do universo inteiro. É claro que quando procurei um dourado, já encontrei o strass, a cabeça de cobra e outras merdas assim, né? Mas tudo bem, vida que segue.

Tentativas de volta

Fomos para a rodoviária três vezes antes de embarcarmos de vez. Atrasamos a passagem, atrasamos a viagem, e ainda fomos embora na maior má vontade. Toledo foi o bicho!

E na volta....

...os hômi estavam de serviço. Fizeram duas blitz no nosso ônibus, revistaram bagagens de mão, colocaram os cachorros pra cheiras o bagageiro, mas como o povo é do bem, não acharam nada ;).

Haxixe, Piche, Sanduíche...

Sem palavras para descrever o que essa viagem fez por mim. Podem dizer que eu fujo dos problemas, que eles vão atrás e isso é imaturidade... É uma imaturidade danada de boa. Relatório pormenorizado logo mais.

Wednesday, November 08, 2006

Finalmente Ataliba!

Eu, dois amigos e uma amiga. Por que o casal paga meia, e é muito delicioso. Assim como a conversa deles.

Finalmente Mariana

Amanhã, às 11:30h. Mas eu sei que já contei, não quero ser repetitiva.

Finalmente Toledo

Parece que conseguirei partir amanhã às 16h no único ônibus direto prá lá do dia.

Mariana me quer!

Eu e Mariana agora somos terapeuta&paciente! Ela me ligou ontem e amanhã às 11:30h da manhã teremos a nossa primeira consulta. Tenho certeza que eu e Mariana vamos longe juntas!



Vale lembrar...

Que não é a primeira vez que tento me "psicologar". Tive uma que era psicanalista e eu passei todas as nossas 4 sessões afinzona de deitar no divã e ela nunca permitiu, e uma outra que era psicodinâmica que eu fugi já na primeira sessão. É que quando eu paro de falar e elas ficam ali me olhando sem dizer nada, eu piro. Mas como desta vez a iniciativa é minha e eu confio na Mariana que escolhi, talvez eu conclua. Será que um dia ela me dá alta?

Tuesday, November 07, 2006

Vou ter uma psicóloga. Anotei vários nomes de várias linhas, abri o papelzinho e escolhi: quero a Mariana. Não que tenha alguma informação adicional, eu só quero a Mariana, e nem liguei pras outras. Mas Mariana está ocupada, e por isso deixei recado para me ligar. Enquanto Mariana não se negar a me atender, sou já paciente da Mariana!

Sunday, November 05, 2006

A dinamização do mundo moderno...

Tanto tempo sem um celular que eu me desacostumei. Daí há pouco fui sair, e pensei: preciso me reacostumar, vou levar meu celular comigo. Daí desci as escadas pensando no assunto: vou levar pra quê? Se a maior vantagem do meu lyfestyle é justamente poder só dar satisfações quando eu quiser ou julgar necessário? Deixei ali e fui-me embora. E nem fiquei toda rebuliçada checando minhas chamadas, não. Nem chequei ainda.

Santo não tem feriado!

"São Longuinho, São Longuinho, se tal coisa acontecer, eu dou três pulinhos..."

Eu não sou católica, não acredito em simpatias, em santos, nem em promessas. Mas não sei se é a força do hábito, ou apenas um traço do meu signo do zodíaco (dizem que os cancerianos sempre são nostálgicos), eu uso a frase de São Longuinho ainda, como um pequeno ritual do qual não posso ainda me desfazer.
Semana passada, o telefone tocou e me deixou em fúria. Na empolgação, larguei os óculos em qualquer lugar e fiquei lá, tagarelando vááárias horas, no escuro (tocou mais de meia-noite, já). Desliguei o telefone e fui dormir. Dia seguinte, tanta coisa ruim me aconteceu que eu acabei desistindo dos óculos, e viajando pra Joinville sem eles. Não ia dirigir, nem assistir filme...foda-se. Só que na semana seguinte, voltando, começou a me fazer falta. E começou a saga. Pia, escrivaninha, criado-mudo, montanha... Nada. Caralho, perdi! Mas ainda tranqüila, visto que a diarista vinha no dia seguinte, e como ela arrasta tudo do lugar, certamente ela ia achar pra mim. Deu que ela também não achou. E eu cada vez mais tensa, pensando que agora que eu sou desempregada, meu pai ia me matar antes de pagar óculos novos pra mim... Daí fui lá, falei a frase, procurei mais um pouco, e lembrei: fazendo minha mala sexta-feira, eu fiz duas malas, e depois re-selecionei as coisas, colocando as "de escanteio" na mala preta, que ficou. Abri ela, revirei, e nada. Mas ali no cantinho... Ahá! Pulei meus três pulinhos feliz da vida, e saí a dar um passeio. Poucas horas mais tarde, o dinheiro que eu tinha deixado no balcão da sala voa. E onde terá ido parar o último choro que tinha ficado lá, pra semente? Repito a frase, e vamos lá. Me arrastei feito uma sucuri ou qualquer outro bicho desses, atrás do cantinho no qual o dinheiro tinha ido se enfiar, e nada. Acabou que tinha caído num vãozinho ridículo dentro de uma sacola ali bem pertinho de onde ele estava no balcão...uma queda livre, em linha reta. Mais três pulinhos, e me enfiei na cama a dormir, senão o pobre do santo não ia folgar no feriadão.

Mas afinal, o que tem em Toledo?

Ahá. Tem 105 mil habitantes, economia predominantemente agroindustrial, dois parques, dois centros, um teatro municipal, um centro de eventos e uma cachoeira. Toledo é divertido, portanto!

E tem mais!

Quem é essa menina que passou o feriadão inteirinho assistindo filme, pegando Sol no horário certo, bebendo pouco (comparativamente...), não comeu uma única pizza e ainda lavou a louça?
De bônus, consertei a minha garganta que vinha arranhando com uma faca atravessada há vários finais de semana de pouca saúde e muita cerveja gelada. Estou novinha em folha para causar danos irreparáveis ao Universo lá na tal de Toledo Paraná.

Mas o que importa...

...é que já estou com tudo pronto pra semana que vem. E sou uma pessoa tão afortunada que no mesmo ano vou conhecer duas Toledo's: Toledo - Espanha, e Toledo, Paraná.

Só por Deus...

Quem mais além de mim mesma arrumaria as malas, compraria as besteirinhas de comer no ônibus, ficaria endoidecida atrás de passagem de ônibus e inscrição do encontro uma semana antes da data?
Welcome to my world.

Friday, November 03, 2006

Encontro das Águas
Jorge Vercilo
Composição: Indisponível
Sem querer
te perdi
tentando te encontrar
por te amar demais sofri, amor
me senti traído e traidor
Fui cruel
sem saber que entre o bem e o mal
Deus criou um laço forte, um nó
e quem viverá um lado só?
A paixão veio assim
afluente sem fim
rio que não deságua
Aprendi com a dor
nada mais é o amor
que o encontro das águas
Esse amor
hoje vai pra nunca mais voltar
como faz o velho pescador
quando sabe que é a vez do mar
Qual de nós
foi buscar o que já viu partir,
quis gritar, mas segurou a voz,
quis chorar, mas conseguiu sorrir?
Quem eu sou pra querer
Entender
O amor

Thursday, November 02, 2006

Citação?

"Pra não ficar com uma pessoa, sempre vai haver motivos."
Por isso que às vezes a gente tem que se concentrar nos que levam ao "sim", que afinal de contas, é o que faz a vida acontecer, não?

Wednesday, November 01, 2006

A little MORE conversation, please

Um pouco mais de conversa, de perguntas, de "porquês". Perguntas e respostas. Que não te baste apenas saber que a pessoa chegou em Tal lugar, mas sim como. E como ela se sente agora. E o que ela sentiu no caminho. E o que a pessoa acha sobre o mármore da mesa, e da extração mineral. Uns 5min a mais desenvolvendo realmente como é que a pessoa está. Tipo, de verdade: se dormiu bem à noite, e se no trabalho as coisas estão fáceis ou difíceis, e o que foi que sonhou, e qual foi a coisa mais importante que aconteceu no dia de hoje. E qual é o nome daquele colega de quem a pessoa sempre fala. E perguntar por que é que ela hoje, acha isso sobre aquilo lá. E se perguntar o que é que aconteceu ontem, e a levou a achar hoje. Um pouco mais de ouvidos. E um pouco mais de detalhes, mesmo quando talvez não sejam necessários no âmbito prático. Um pouco mais de eu-e-tu e o que é importante pra nós, e menos vitrine-fofoca-comprei-um-carro-dei-uma-festa.
Se cada pessoa todos os dias gastasse 5min das suas próprias 24h só dedicando-se a um diálogo de qualidade, sobre pessoas de verdade, sobre idéias, em um mês haveria uma drástica queda na venda da Caras, e no ibope do Manuel Carlos. Lembra daquele filme "A Corrente do Bem"? Dá até medo de pensar o que aconteceria se meia-dúzia de pessoas levasse a idéia a cabo...

Blog Archive