Total Pageviews

Wednesday, September 27, 2006

Loucos Esperançosos

Só pra opinar sobre algo, e para continuar com a minha feia mania de sair classificando coisas, pessoas, e tudo que me apareça na frente. O louco esperançoso é um tipo de maluco deveras interessante, quiçá o mais. Pensa que simplesmente tudo, absolutamente tudo já te demonstrou que dali daquele mato, nem as pulgas do coelho vão sair. O Louco Otimista já pulou fora dessa barca furada há horas, mas o louco esperançoso ainda está insistindo que aquele pontinho preto depois da linha do horizonte, é algo. Tenho tido oportunidades raras de conviver com alguns destes... "fenômenos". Semestre passado, por exemplo. Eu precisava fazer uma disciplina na Universidade que não estava dando certo a minha matrícula. Aí, quando estava já no tempo do ajuste excepcional, deixei a papelada a cargo de um amigo meu (apenas para entregar) e me piquei para outro continente, passar uns dias fora. Meu amigo percebeu que eu não havia entrado em contato com a professora em questão, e que deveria assinar também essa papelada. Daí ele passou o caso adiante, para uma outra colega minha, que correu atrás da professora com a minha papelada em mãos, explicando que eu estava viajando (de férias) e precisava me matricular. A mulher dali mesmo ao invés de desconfiar do tipo de aluna que eu era, deferiu o meu pedido, e assim, estava eu devidamente matriculada na disciplina. Com quatro semanas de atraso, chego na aula, e começo a participar. É assim que fico sabendo que tenho para a semana seguinte de entregar um "plano de intervenção", e eu sem nem saber de nada. Na semana seguinte, eu falto novamente. Na outra, eu apareço dizendo que não sei o que fazer para o meu plano de intervenção. A mulher me explica, dá várias dicas, e eu vou embora. Nisso se passam mais duas aulas (ou seja, 15 dias), e eu lá, tão sem plano quanto antes. Até que apareço com um, na semana posterior, quando as pessoas já estavam entregando o seu relatório final da intervenção que eu mal tinha começado a planejar. Sentiram? Pois bem, mais 15 dias se passam, e recebo meu plano rabiscado, para que eu faça as devidas correções. Pois bem, que mais 3 semanas se passam, antes que eu entregue uma segunda versão. Daí que ela me devolve, e diz que eu posso fazer a versão final (do plano de intervenção, veja bem), o pessoal já estava refazendo seus relatórios finais. E eu ali. Daí mais 15 dias se passaram, e eu sem nada de terminar o plano de intervenção. Chego na aula seguinte e digo: professora, eu não trouxe o plano de novo! E ela me responde: tudo bem, me entregue aula que vem! Entrego o plano e a minha versão preliminar do relatório final, a papelada circula, o semestre acaba, e eu vou para a aula do relatório final com uma mão na frente, a outra atrás. As médias se fechariam no dia seguinte. A professora pergunta se tem alguma chance de entregar o relatório no dia seguinte. Eu digo que não. O que ela faz? Me deixa em suspenso no sistema da Universidade e eu ganho todo o semestre seguinte (este, corrente) para acabar meu relatório. Quer moleza?
Senta no pudim.

Wednesday, September 20, 2006

Você Sabia?

Que o manjericão fresco e a alfavaca são a mesma coisa? Eu sempre gostava do manjericão seco, e achava cheiroso, e sempre pensava que eu deveria comprar manjericão fresco, e tal. Aí outro dia tinha lá no supermercado, e fedia a alfavaca, e eu achei estranho. Daí pesquisei no Pai Google, e lá estava, na primeira ocorrência. La ele! Abafa...

Eu e a Natação

Ontem foi a primeira aula. Era aula livre, o professor só ali em volta. Acho que em menos de uma hora eu não fui capaz de fazer vinte chegadas de 50m. Arfava feito uma velha, reclamando das moléstias da vida. Como ele disse que não precisava ficar as duas aulas, eu fui-me embora ao final da primeira, bastante ciente do meu "preparo" físico. Fui caminhando até o estágio, dá mais ou menos uns 20 ou 30min, o problema é a mochila, que pesa. Vai minha toalha (molhada da volta) e os apetrechos de banho. Como não tem jeito de me desfazer deles assim, terei que abstrair a questão do peso. Às quintas é uma aula só, e sem caminhada, por que já fico por ali mesmo para a aula da tarde. Meu braço direito dói da braçada torta do meu borbo, que por dividir a raia com mais duas pessoas, tenho que nadar colada na corrente, e o braço esquerdo quase nem consegue sair d'água. Pra quem como eu acha que o nado borboleta é aquele no qual pagamos os pecados, por ter de levantar no braço todo o seu inútil corpo, imagine fazendo isso com um braço só concentrado na braçada, e o outro batendo na corrente. Mas, tirando isso, nada como estar dentro de um ginásio absurdamente fedido de cloro, vendo todas as pessoas sob a ótica da touquinha e do óculos, conversando depois no vestiário... Nadar vale cada centavo, cada segundo, e cada defeito.

Tuesday, September 19, 2006

Utopias

Daí que noites atrás fiquei pirando pensando que se todo mundo pudesse usar tudo de todo mundo, ia ser muito massa. Tipo assim, se eu tenho uma festa chique pra ir, eu vou numa loja e pego um vestido, e daí eu devolvo na loja, ou repasso pra alguém, ou outra loja, e assim, todo mundo ia ter chance de usar a roupa que quisesse, "nesta" ou "naquela" ocasião. Tudo sem dinheiro. Daí, podia aumentar essa parada pra quase tudo. E a pessoa do comércio não ia ficar estressada achando que ia ficar no prejuíxo, por que mesmo que a pessoa que levou aquilo da sua loja embora nunca mais voltasse, outra pessoa viria e deixaria uma outra coisa ali.

Sunday, September 17, 2006

Abordagens do tipo "face-by-face"

O garoto abriu um sorriso assim daqueles que ilumina as faces inteiras, me chamou e disse:
- Eu te conheço!!!
- De onde?
- Do meu colégio!!!!

Choppada da ESAG

Acho que eu não vou na próxima.

Friday, September 15, 2006

A bateria estragou, o telhado destelhou, o cachorro adoeceu, as pessoas pegam dinheiro emprestado e 2 meses depois não pagam ainda, as dívidas se acumulam, as notas não saem direito no histórico e trancam o semestre. E eu ainda levo esse sorriso besta!

A Mudança

Arranca-rabos e estresses familiares à parte, temos novo endereço em Joinville. Mesmo eu não morando mais na minha antiga casa&antigo quarto há quatro anos, saiu de lá de dentro duas caixas de papelão com coisas minhas. O mais incrível é que eu poderia mandar jogá-la fora sem o menor medo de perder algo - simplesmente eu não consigo lembrar de nada de útil que haja lá dentro. Eu tenho a mania de guardar coisas achando que um dia ainda vou precisar delas. Aí é claro que eu me esqueço que as tenho, e caso um dia eu realmente precise delas, eu não uso elas, e compro novas. Preciso modificar esse traço de minha personalidade...

Tuesday, September 12, 2006

Cálegas de Repartição

Além de Dona Odete, tem o estagiário novo que é maior figura. Ele tem todo aquele jeitão meio de poeta assim, já leu um monte de livros massa, canta-dança-toca-representa, fala francês dentre outras coisas fodas que eu gostaria de saber fazer. Outro dia uma criança lá não quis lanchar, e ele tinha ido levar o sanduíche pra criança, e o menino se negando, com aquele beicinho típico de criança emburrada. Ele me sai com o seguinte argumento (em falsete):
- Esqueça o ego, e aceite este pão!

O Dia do Curinga - Jostein Gaarder

Eu quero peixinhos coloridinhos e douradinhos, quero morar na casa do padeirinho, tomar líquido púrpura e ganhar pãezinhos de uvas passas com mini-livrinhos dentro, e uma lupa também! Acho que Pasárgada é lá!

Monday, September 11, 2006

Pau no cú de quem tá lendo!

Depois não reclama, nego descarado!

Saturday, September 09, 2006

Blergh

Pra que amar, se podes te embebedar e ficar sem sentido nenhum curtindo a fossa mais descomunal do Universo todo, e tudo isso, por menos de R$20,00? E o Sonrisal Abacaxi pra depois, depois que já vomitaste as vísceras... Menos de R$5,00.

Blog Archive