Total Pageviews

Monday, November 28, 2016

Quando sua procrastinação te morde na bunda

Há 3 anos que "tirar o diploma do mestrado" figura na minha lista de coisas por fazer. Além do fato de dever mais de 600 reais para a UFSC pela demora na entrega, a verdade é que eu procrastinei por preguiça e depois por vergonha de ter demorado tanto a fazer isso.
Mais de três anos se passaram.
Daí aqui na repartição fui atualizar o censo funcional, coisa que barnabé faz periodicamente. Atualizei que passei de graduação completo para mestre. Óbvio que eles fazem questão do diploma, né Brasil?
Aquele que nunca tirei.
Agora, fica aquele questionamento: será dessa vez? Será que é agora que retirarei meu diploma porque uma coisa sempre leva à outra?
Claro, não custa complementar: sabe aquela multinha que a gente paga por não votar? Tranca salário de barnabé. Estou esperando a wakeup call que me fará correr no último dia para o cartório eleitoral!

Tuesday, October 25, 2016

Pequenas mudanças de hábitos que aconteceram em minha rotina de higiene pessoal


Eu vivo fazendo tantos projetinhos e às vezes esqueço de compartilhar os resultados, ou mesmo, algumas coisas, não são projeto, mas quando a gente olha, mudou um monte de coisa nas nossas vidas. 
Primeiro eu queria economizar dinheiro e tempo. Até cheguei a criar um projeto, o No More Choices, inspirada pelas personalidades que tiram as escolhas banais da frente para focar nas importantes.
Mas aí acabei ajustando isso diferente: perdi muitas roupas no último período devido à perda de peso, e com isso, não tenho mais muito o que escolher. Uso o que tem. As maquiagens apenas parei de comprar, e estou usando sempre as mesmas desde então, e inacreditavelmente, nada acabou ainda. 
Daí um belo dia, como me maquio diariamente para ir ao trabalho, pensei que era uma quantidade de demaquilante e algodão no lixo. Então uma amiga minha me deu a dica de que o sabonete líquido Johnson's para bebê removia profundamente.
Comprei, e agora, ao invés de eu primeiro passar um algodão com demaquilante antes do banho, eu vou direto pro banho e lavo duas vezes com este sabonete. Não remove completamente, mas o que não sai, tiro após o banho com água micelar (que substituí pelo tônico). Não é ainda o ideal, mas eu reduzi os algodões pela metade e um produto químico também - além de uma despesa, pois este é agora o meu sabonete.
Resultado de imagem
Este é meu sabonete, o que diz remover as sujeiras mais difíceis!

Por economia, decidi que não ia mais ter 3 sabonetes para um único corpo (rosto, corpo e íntimo). Pensei que como não trabalho numa mina de carvão, bastava um sabonete neutro, sem muitos químicos, e que o de bebê era a melhor alternativa: afinal, se pode ser usado num bebê, pode ser usado num adulto.
Daí mensalmente eu ficava um tempo na prateleira de desodorantes, pensando sobre o cheiro, sobre o preço, e sobre aquele tubo de aerosol no lixo. Então uma boa amiga me falou sobre pesquisas que relacionavam câncer de mama com os desodorantes femininos, e eu comprei este cristal que não agride nem entope os poros, dura dois anos e até hoje não acabou. Quando acabar, penso em usar o leite de magnésia, ainda mais barato e menos químico que esta barra.

Em 2014, paguei cerca de R$75 por esta barra e ela está no seu último terço, acredito que dura no mínimo até o final do ano!
O próximo passo foi certo dia, futricando ali no Mercado São Jorge (que eu adoro porque posso comprar comidas individualmente, não em bandejinhas plásticas), ver que eles tinham um creme dental orgânico por preço parecido com o dos demais, só que menos cheio de porcaritos. Estou no segundo tubo, mas não vou comprar o terceiro por razões de ELE LEVA SUCRALOSE no rótulo. Talvez eu teste a da Welleda, talvez eu fabrique um pouco em casa, conforme visualizei neste post aqui e me deixou curiosa. 
Resultado de imagem
Embora seja ecologicamente melhor que as opções tradicionais, quero deixar ainda melhor

Por fim, há muito tempo que já queria fazer isso mas quando lembrava já era tarde. Absorvente só usava os íntimos porque me sinto mais segura, mas o cheiro, o lixo, a função toda me irritava. Andava doida por um copinho, mas nunca lembrava de comprar. Daí a Fleurity lançou essa grande promoção de 2 pelo preço de 1, achei uma amiga interessada e agora nós duas temos. Estou escrevendo isso de copinho. Não me adaptei 100%, mas já vejo MUITO mais vantagens do que desvantagens!
Resultado de imagem
Comprei exatamente este, sem corantes, porque se é pra preservar a ppk vamos fazer de forma completa!

Também estou praticando lowpoo. Não sei se conseguirei manter ad eternum, mas troquei os produtos para aqueles permitidos, espacei o tempo entre as lavagens (estou lavando a cada 48h somente) e há pouco tempo cortei o que restava das últimas tinturas. Por enquanto, está tudo ao natural. O cabelo anda cheio de novos cabelinhos, uma revolta só, mas dizem que leva uns meses até tudo se ajeitar!
Todas essas mudanças se deram de forma gradual e sem muita cobrança ou alarde sobre elas. Acho que é isso que, inclusive, as torna mais verdadeiras e tranquilas, pois foram se baseando em necessidades que senti de simplificar um pouco as coisas. 
Quando lembro no tempo que passava escolhendo o cheiro do desodorante, nem acredito mais nisso, ou comparando os preços dos absorventes, vejo que era um desperdício de energia, dinheiro e tempo!

Monday, October 24, 2016

De férias

Não, eu não estou de férias da repartição.
Eu estou de férias de uma pessoa da repartição desde sexta-feira, quando ela vazou de folga e hoje resolveu folgar outra vez.
E aí eu percebi que estava me sentindo mais leve, mais tranquila, bem menos desmotivada... E curiosamente, percebi que o entorno estava se sentindo igual.
Não, não é chefia nem patronal - é comedor de ratazana igual todo mundo. Mas tem esse poder, esse poder de transformar negativamente seu entorno ("é o meu jeito!") e de melhorá-lo ao se retirar. Conhecem alguém assim?
Olhem para suas amizades, familiares, e para seus círculos no trabalho. É quase impossível não carregar uma pessoa dessas em algum dos círculos. 
Essa sensação tão boa, de não ter que lidar com a pessoa, está me fazendo sentir como se estivesse de férias!
Apenas por auto-preservação, me ocorreu ter uma política diferenciada para me manter de férias da pessoa pelo máximo de tempo que puder.
Nós nos encontramos apenas por 2-3h todos os dias, mas é suficiente para me azedar. Crio cuidadosamente formas de diminuir este tempo. Continuarei fazendo. Todos os dias, é o mesmo estratagema. Pensar formas de diminuir o tempo de convivência com a pessoa.
Isso me cansa, e é por isso que hoje me sinto como se estivesse de férias!

Thursday, October 13, 2016

Um verão diferentão

Lago Balaton, na Hungria - a maré tão cheia e a ventania tão forte impediram o veraneio em pleno agosto!
Estava acostumada com viagens anteriores prazoropa em que encontrei uma temperatura agradável, extremamente quente. Um verão de fato, menos castigante que o nosso, por isso mesmo, delicioso.
Eis que chego em início de agosto no leste europeu e me deparo com máximas de 16ºC, em nada parecidas com o que estava esperando.
Apesar disso, o clima nas ruas e nas cidades todas é tão gostoso e ensolarado que a gente se atreve. Pessoas de absolutamente todas as idades estão nas ruas andando de bicicleta, a pé, tomando #bonsdrink e curtindo o sol.
Na cidadezinha de Prèsov (algo como prechóv), um sorvete apesar de não estar calor!

As feiras estão saturadas de ingredientes sazonais maravilhosos: as incríveis berries, as lavandas (que aliás, se a pessoa não quiser comprar, é só ir em qualquer mato arrancar), os tomates.
Fotografei inúmeras vezes as inúmeras feiras - OLHA a cor desses pimentões?

As fontes de água estão ligadas, alguns locais que só abrem no verão estão efetivamente abertos.
E quando o tempo está bom... Ao invés de ir à praia, eles veraneiam nos lagos. Os lagos são imensos, limpos, com infraestrutura de cadeiras e guarda-sol. Geralmente também tem uma lanchonete. Infelizmente, não dei um puto de um mergulho em lago nenhum - nem na piscininha de casa.
Não é praia - é lago! Em Kosice, na Slovakia

Noto que ao contrário de nós (ao menos na cidade em que vivo) há uma grande preocupação em aproveitar o dia lá fora. Me identifico então com essa saudação tão intensa e frequente ao Sol, elemento que não tinha tão evidente em mim, mas que começo a ter noção do quão suscetível sou aos seus efeitos quando ele faz falta. 
Os sorvetes são deliciosos; não posso me esquecer daquela limonada geladinha, vendida aos copos, e que me faz lembrar de Denis, o Pimentinha - um desenho que gostava quando era criança. 
Ainda vou falar pormenorizadamente dessa lojinha de biscoitos - por enquanto, preciso que olhem as jarrinhas de limonada fresquinhas!
Estava animada para curtir um mega verão brasileiro, tostar feito uma salsicha, e não aconteceu. Mas teve lá seu valor, não posso negar.
Essa sazonalidade me pega de jeito, e me faz sonhar com mais momentos destes. Quem sabe as condições estejam finalmente ficando maduras!

Monday, August 29, 2016

O espólio das férias


Wine and the city - Kosice presa em minha taça

Meu aniversário é dia 29 de junho. Segundo a astrologia, esse é meu ano novo pessoal - independente da astrologia, faz sentido também do ponto de vista lógico pensar que seu corpo faz um ciclo novo no seu aniversário, e não no calendário.
Junto disso, eu entraria em férias a partir de primeiro de agosto. O que espremeu em julho a responsabilidade de finalizar processos anteriores, que precisavam estar concluídos até as férias, e essa sensação de renovação em virtude do aniversário recém passado.
E aí em julho, muitas coisas diferentes rolaram: minha participação em dois congressos (um político, outro acadêmico) me reconectaram com a alegria que sinto em estar junto das pessoas pensando tirando planos conjuntos, não somente planos individuais. 
A capacidade que tive nestas oportunidades em me concentrar no aqui e agora, tendo inclusive, por alguns momentos, esquecido do celular porque a conversa estava boa - segundo um amigo meu, esta é uma perfeita definição de felicidade.
Os olhos abertos a todas as belezas que encontrei pelo caminho: o cerrado brasileiro em flor, os dias ensolarados de volta à sonífera ilha, a tatuagem nova, as oportunidades de convívio com pessoas de quem gosto, o exercício da intelectualidade que deixei adormecer nos últimos anos.
O processo contínuo e cada vez mais intenso de me desfazer das tralhas da vida - tralhas literais e figurativas, que têm finalmente abandonado os recônditos de casa e também da mente. Uma mente treinada para a concentração no agora. 
E então as férias e a insustentável leveza do ser: o fato de não ter amarras me possibilitou sentir liberdade e leveza a cada imprevisto. Eu não tinha compromissos com ninguém, além de mim mesma.
Nessa toada, o agora se apresentava com simples e importantes metas: dormir a noite toda. Acordar cedo. Dormir somente à noite, nenhuma soneca durante o dia. Comer as melhores coisas que pudesse encontrar, misturando o sabor e a saúde. Comprar novas louças para minha casa. Tomar um banho de lavanda. Devorar um livro atrás do outro. Assistir quatro filmes na mesma noite (dentro do avião, lógico). Dar um passeio de bicicleta...
E então voltar. Sem estar devendo, sem excesso de bagagem - nem de peso. Com histórias para contar, fotos e mais fotos. Paisagens. Seis países - nem sei mais quantas cidades. 
Uma simpática feirinha em Praga, com as deliciosas frutinhas de verão
Eu sempre prometo isso, nem sempre consigo cumprir... Mas pelo menos o que já escrevi no instagram irei transferir para cá.

Wednesday, August 24, 2016

O final dos #10diasbichoeplanta

Para ter uma variedade de frutas sem ter que comprar uma de cada, essas frutas cortadinhas (não é salada de frutas, banhada em suco, é apenas frutinhas picadas) salvam!
Algumas pessoas queridas cobraram, pois estavam curtindo acompanhar as postagens mais práticas a respeito do desafio. Eu fiquei muito enrolada nos dias finais do desafio, que foram também meus últimos dias antes das férias (estou escrevendo essa postagem diretamente dazoropa, onde já me encontro há 8 dias).
Assim, farei um apanhado geral e postarei algumas dicas finais.

PERCEPÇÕES:

Eu acho que comer bicho e planta é muito saudável e importante, porém, para quem não está habituado a comer menos carboidratos, pode acabar perdendo um pouco a mão nisso. Não regulei quantidades, pois sou da opinião que só podemos lidar com uma variável na equação de cada vez, então, acabei os 10 dias no mesmo peso. A disposição no entanto era notável. Isso e minha disciplina para não sair do desafio. Saí um pouco, mas foram provavelmente os 10 dias mais sem furos de toda a vida. E sempre coisas como uma fatia de queijo, um pedacinho de chocolate amargo, etc. Desinchando ao tirar os alimentos inflamatórios da rotina, terminei com 2cm a menos de cintura! Importante para quem estava a caminho das férias.

Na volta, pretendo apenas comer lowcarb, sem necessariamente me restringir à lista do bichoeplanta, mas talvez restringindo um pouco mais os queijos e chocolates. No entanto muitas vezes vi que eles teriam me ajudado a segurar melhor as quantidades - o risco é que quem não está habituado a comer "limpo", acaba deturpando o objetivo da estratégia, comendo muito mais do que o saudável destes itens.

Executei deliciosas receitas, mas para recordá-las teria que recorrer aos arquivos de instagram e prefiro postar coisas diferentes, mais recentes, que refletem o mood do dia.
Fica como dica, aos catarinenses que moram no norte do Estado, que estive em Campo Alegre a trabalho e no caminho vi alguns outdoors anunciando "hamburguer de cordeiro". Confesso que aprecio muito o sabor e fiquei encafifada. Me enchi de cara de pau e pedi ao chefe que entrasse na cidade para comprarmos.
Fui no tal do mercado do Marquinhos (ele tem fanpage no facebook) e não me arrependi: além dos hambúrgueres que eu queria, encontrei outros cortes, a certeza de uma procedência incrível (bichinhos abatidos na véspera), bacon defumado na própria fumaça e não feito de forma química... Além dos queijos de ovelha, que não adquiri por estar em bicho e planta.

Aí, os hambúrgueres de cordeiro, que fiz com uma raita de pepinos deliciosa (já consta receita aqui no blogue)
Acredito que a boa dieta é aquela que você faz. Mas algumas são mais fáceis de implementar na vida real, e acho que bichos e plantas (ou carnes, vegetais e frutas), são as mais abundantes variedades nos buffets Brasil afora.



Friday, July 22, 2016

#10diasbichoeplanta - dias 3 e 4

Tivemos uma bela escapulida ontem. Vocês vão ver no dia 4, o dia 3 ainda foi super legal:

REFEIÇÕES:

- jejum de apenas 15h, quebrei sem fome, para tentar inverter a janela de alimentação;
- bebidas: café com óleo de coco, nenhum chá, água com limão;
- ossobuco com brócolis, farofinha lowcarb, salada verde, maçã verde e castanhas do pará de lanche, hambúrguer de costela no jantar e umas batatinhas fritas acompanharam (sem pão, dentro do bicho e planta, mas nada lowcarb);

PERCEPÇÕES:

- eu estava no hotel, e  tinha uma hamburgueria de qualidade lá, o que me fez optar por comer. Em geral acredito que não teria comido, mas aquela opção saborosa e dentro do protocolo tão à mão fez naufragar o experimento novamente;
- intestino não funcionou neste dia, talvez por ter passado tantas horas viajando dentro do carro;
- não fiquei seduzida por nenhum doce na confeitaria que parei para lanchar. Fiquei tranquila com um café e castanhas do pará, o apelo sensual das tortas doces está bastante diminuído.

DIA 4/REFEIÇÕES:

- jejum de 14h, quebrei sem fome, para não correr o risco de comer algo errado pela rua;
- bebidas: apenas água e café;
- ovos com mamão e melão, piroghi, arroz, brócolis, costela ensopada, polenta, tangerinas e os fatídicos lanchinhos: pastel de banana, brownie, um pedaço de chocolate;

PERCEPÇÕES:

- intestino voltou a funcionar, mas não está 100%;
- rolou uma "armadilha" na hora do almoço, fui convidada a ir na casa de um casal de idosos semi-surdos que prepararam um prato típico polonês chamado piroghi e eu experimentei, a salada era pouca, então me servi de tudo o que tinha, o mínimo possível, mas fora dos alimentos permitidos;
- o café da manhã no hotel por outro lado foi uma beleza, mesmo dentro do bicho e planta, em geral eu acrescentaria também os frios, mas não ontem, vi que com ovos, fruta e café eu fico muito contente, de corpo e alma satisfeitos;
- já os doces que comi posteriormente foi dentro daquela lógica do "passa boi, passa boiada", como já tinha comido alguns alimentos fora da proposta, desandei o resto do dia meio que dando o dia por perdido já. Preciso amadurecer essa questão de que uma saída no dia não é razão para estragar o dia completo.

BRÓCOLIS DE MICROONDAS



Isso é apenas uma dica. Eu vinha almoçar na repartição e não tinha tido tempo em casa de fazer meus brócolis, então levei-os crus mesmo.
Lavei, piquei, pus num recipiente com um fio de água e liguei por 30seg na potência máxima. Ficaram crocantes e al dente!



Blog Archive